Google Bard é lançado em 180 países e agora até sabe escrever códigos

Google Bard é lançado em 180 países e agora até sabe escrever códigos

O Google I/O 2023 não apenas proporcionou o lançamento de novos produtos de hardware, como o Pixel Fold e o Pixel 7a. Mas também revelou avanços significativos nas frentes de software e inteligência artificial.

A gigante das buscas anunciou várias atualizações importantes neste sentido, com o Google Bard – seu chatbot inteligente – ganhando destaque. Nos próximos parágrafos eu mostro todas as novidades que o Google anunciou nesta quarta-feira (10).

Leia também
Funcionários do Google consideram IA Bard “pior que inútil” e um “mentiroso compulsivo”
CEO do Google afirma que precisarão se preparar para os erros do Bard

Google Bard ganha habilidades de programação e é lançado mundialmente

Em um movimento surpreendente, o Google decidiu disponibilizar o Bard em 180 países, marcando um grande salto na disponibilidade do chatbot. Ainda que restrito apenas ao idioma inglês em muitos desses lugares, o Bard agora também entende japonês e coreano. A companhia firmou o compromisso de adicionar outros 40 idiomas em breve, mas não disse quais.

Notavelmente, o Google Bard agora possui a capacidade de escrever códigos em 20 linguagens de programação. Não só isso, ele também pode ajudar a depurar e comentar códigos, nivelando-se com o ChatGPT em termos de habilidades de programação.

Além disso, o Bard agora tem um componente visual mais aprimorado. Por exemplo, imagine que você esteja viajando e queira saber os principais pontos turísticos da cidade. O Google Bard também exibirá fotos dos lugares que sugerir ao usuário visitar.

Integrações com serviços Google e nova linguagem de IA

O Google Bard foi projetado para se integrar de maneira mais orgânica com outros serviços do Google. Essa integração se dá até mesmo com ferramentas externas, como Instacart e Wolfram. Depois de gerar um código, por exemplo, o usuário pode inseri-lo diretamente em um Google Docs ou enviá-lo por e-mail.

O Bard é alimentado pelo PaLM 2, o mais recente modelo de linguagem do Google. Este LLM (Large Language Modelo) é capaz de realizar tarefas envolvendo códigos e operações matemáticas. Além disso, ele é compatível com mais de 100 idiomas.

Há também uma versão médica do PaLM 2, chamada Med-PaLM. Ela pode identificar problemas de saúde a partir de sintomas e fornecer orientações de cuidados.

Inovações em outros produtos do Google

O Google também apresentou atualizações empolgantes em seus outros produtos. A ferramenta de busca do Google, por exemplo, agora usará a IA para sugerir recomendações personalizadas com base nos hábitos de navegação dos usuários.

Além disso, a busca fornecerá respostas de IA com fontes de informação na lateral. É uma maneira de continuar dando o crédito aos criadores de conteúdo e levando tráfego para os sites. As novas funcionalidades da busca serão liberadas aos poucos para os usuários através do site Search Labs. É preciso estar logado na sua conta Google.

Outra novidade bacana é a atualização do Google Lens. Ela permitirá combinar voz e imagem para fazer buscas, apontando a câmera para um objeto e fazendo uma pergunta sobre ele.

O Google Maps agora contará com um recurso chamado Immersive View, que fornece uma visão detalhada do caminho até o destino do usuário. O recurso inclui até mesmo informações sobre a qualidade do ar e previsões de trânsito e clima.

IA no Google Docs, Slides e Fotos

O Google também está trazendo a IA para o Google Docs e Slides. Uma nova ferramenta chamada Sidekick será adicionada ao Google Docs. Esta ferramenta será capaz de escrever uma sinopse e fornecer sugestões para continuar o enredo de um texto de ficção.

Já no Google Slides, a IA ajudará a adicionar ilustrações e criar textos para apresentações. Em outras palavras, o auxílio da inteligência artificial deverá agilizar a execução de tarefas como estas.

O Google Fotos também vai se beneficiar do uso de inteligência artificial. As funções Magic Eraser e Magic Editor farão tarefas como remover ou reposicionar objetos em fotos. A IA será usada para completar as partes cortadas e preencher o fundo automaticamente.

Google Cloud para IA personalizada

Em adição às atualizações para os consumidores, o Google Cloud agora pode ser usado por empresas e desenvolvedores para construir seus próprios aplicativos usando IA. Eles podem conectar os modelos de IA do Google aos seus próprios bancos de dados para criar ferramentas personalizadas que se ajustem às suas necessidades específicas.

Uma das primeiras empresas a aproveitar esta novidade é a rede de fast food Wendy’s. A empresa anunciou que usará o PaLM para entender os pedidos dos clientes. A tecnologia será empregada especificamente nos drive-thrus dos restaurantes, ilustrando o tipo de aplicações práticas que podem surgir dessa nova funcionalidade do Google Cloud.

Por fim, o Google também deu uma prévia de algumas ferramentas que ainda estão em estágios iniciais de desenvolvimento. Uma delas é o Tailwind. Trata-se de um projeto ambicioso que usa a IA para criar um programa de estudo personalizado com base em arquivos do Google Docs. O usuário poderia, por exemplo, inserir várias anotações e o Tailwind destacaria os tópicos principais e ajudaria a resumir as ideias.

Fonte: The Verge

Sobre o Autor

Cearense. 34 anos. Apaixonado por tecnologia e cultura. Trabalho como redator tech desde 2011. Já passei pelos maiores sites do país, como TechTudo e TudoCelular. E hoje cubro este fantástico mundo da tecnologia aqui para o HARDWARE.
Leia mais
Redes Sociais:

Deixe seu comentário

X