Elon Musk ameaça levar Microsoft aos tribunais por uso de dados do Twitter em IA

Elon Musk ameaça levar Microsoft aos tribunais por uso de dados do Twitter em IA

Uma disputa entre gigantes do setor tecnológico pode estar prestes a ser travada nos tribunais. Elon Musk, CEO da Tesla, SpaceX e Twitter, acusou a Microsoft de utilizar indevidamente dados do Twitter para aprimorar sua inteligência artificial (IA). O bilionário fez a ameaça através de sua conta no Twitter, embora não tenha apresentado provas ou detalhes adicionais sobre suas intenções.

Leia também
Discurso de ódio no Twitter: tema gera debate entre Elon Musk e jornalista
Elon Musk admite que só comprou o Twitter porque achou que a justiça o obrigaria a fechar o negócio

Elon Musk e Microsoft não estão se entendendo bem

A polêmica surge no momento em que a Microsoft anuncia o fim do suporte ao Twitter em sua plataforma de anúncios, o Microsoft Advertising. A partir de 25 de abril, o pacote Smart Campaigns with Multi-platform não oferecerá mais suporte à rede social de Elon Musk. Assim, os usuários do Digital Marketing Center não poderão mais gerenciar suas contas no Twitter, apenas no Facebook, Instagram e LinkedIn.

A decisão ocorre pouco antes do encerramento do acesso gratuito à API do Twitter. A partir de então, a rede social planeja cobrar entre US$ 42 mil e US$ 210 mil mensais das empresas que desejarem utilizar a ferramenta. A Microsoft não revelou os motivos para o corte, mas a medida tem sido interpretada como uma reação à nova política de preços do Twitter.

Nos últimos meses, Elon Musk tem aumentado suas críticas à Microsoft. Principalmente devido à aproximação da empresa com a OpenAI, desenvolvedora do ChatGPT. Musk é um dos cofundadores da OpenAI, mas afastou-se da organização após não conseguir assumir o controle dela. A Microsoft tornou-se então uma das maiores investidoras, integrando as tecnologias de IA desenvolvidas pela OpenAI em seus próprios produtos, como o Bing e o Microsoft 365.

Desde então, Musk alega que a Microsoft monopolizou o controle da OpenAI, contrariando o propósito original da organização, criada sem fins lucrativos. O bilionário anunciou recentemente a criação de sua própria IA, chamada TruthGPT, que buscará entender a “natureza do universo”.

Anunciantes que usam a plataforma da Microsoft não poderão mais anunciar no Twitter

Além disso, o corte do suporte ao Twitter no Microsoft Advertising ocorre após a participação de Elon Musk em uma importante conferência de marketing e publicidade, onde tentou atrair anunciantes de volta à plataforma. O Twitter perdeu metade de seus principais anunciantes após a aquisição da rede social por Musk.

O recurso do Microsoft Advertising permite aos anunciantes gerenciar suas contas em várias redes sociais. Dentre as funções disponibilizadas estão responder a tweets e mensagens diretas, bem como às mensagens recebidas no Facebook, Instagram e LinkedIn. A partir de 25 de abril, os usuários ainda poderão gerenciar e criar conteúdo para Facebook, Instagram e LinkedIn na plataforma, mas não mais para o Twitter.

A Microsoft obteve mais de US$ 12 bilhões em receita de publicidade digital no ano passado através de sua plataforma de anúncios. A decisão de remover o Twitter do Microsoft Advertising ocorre em um momento em que outras empresas e organizações também optam por não pagar pelo acesso à nova API da rede social, como o Intercom e o Serviço Nacional de Meteorologia dos EUA.

Resta saber se a ameaça de processo feita por Elon Musk se concretizará e quais serão as implicações dessa disputa para o setor tecnológico.

Fontes: PCMag e Mashable

Sobre o Autor

Cearense. 34 anos. Apaixonado por tecnologia e cultura. Trabalho como redator tech desde 2011. Já passei pelos maiores sites do país, como TechTudo e TudoCelular. E hoje cubro este fantástico mundo da tecnologia aqui para o HARDWARE.
Leia mais
Redes Sociais:

Deixe seu comentário

X