NVIDIA: criptomoedas não trazem nada de útil para a sociedade

NVIDIA: criptomoedas não trazem nada de útil para a sociedade

O diretor de tecnologia da NVIDIA, Michael Kagan, recentemente expressou seu descontentamento com o uso das GPUs da empresa na mineração de criptomoedas. Em entrevista ao The Guardian, Kagan afirmou que as criptomoedas não trazem benefícios significativos para a sociedade, ao contrário da inteligência artificial (IA), que tem um impacto positivo e transformador.

A afirmação de Kagan ocorreu após o evento GTC 2023, onde a NVIDIA destacou a relevância de seus produtos no desenvolvimento e aprimoramento da IA. A empresa tem buscado enfatizar seu papel no avanço da IA, como a tecnologia ChatGPT, criada pela OpenAI e desenvolvida com a ajuda do supercomputador DGX AI da NVIDIA.

Leia também
Novas GPUs da Nvidia prometem avanços significativos em inteligência artificial
CEO da Nvidia diz que inteligência artificial permitirá que todos sejam programadores

NVIDIA deve focar em IA em vez de mineração de criptomoedas

A NVIDIA já tentou desencorajar a mineração de criptomoedas com suas GPUs. Em 2021, a empresa lançou versões com baixa taxa de hash da linha RTX 3000, na tentativa de torná-las menos atraentes para os mineradores. Entretanto, a estratégia mostrou-se ineficaz quando um driver beta para a RTX 3060 removeu a limitação. Outros modelos tiveram suas restrições contornadas em um ano.

A demanda por GPUs para mineração, combinada com a pandemia e a escassez de chips, resultou em preços inflacionados dos produtos. Quem tentou dar um upgrade na placa de vídeo nesta época sentiu o baque do aumento dos preços.

Apesar do lucro obtido pela NVIDIA com a venda de GPUs para mineração, Kagan defende que o foco da empresa deveria ser a IA. Ele acredita que a IA tem um impacto mais significativo na sociedade e pode trazer inovação e benefícios reais.

Michael Kagan, diretor da NVIDIA

Kagan comparou a mineração de criptomoedas ao comércio de alta frequência, destacando que, embora ambos possam gerar receita, nem sempre são benéficos para a sociedade. Ele reiterou que as GPUs da NVIDIA são ideais para o desenvolvimento de tecnologias baseadas em IA, como ChatGPT, que podem transformar a maneira como interagimos com máquinas e programas.

A postura de Kagan é respaldada pelo histórico da NVIDIA com criptomoedas. Em 2021, a Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos multou a empresa em US$ 5,5 milhões por não divulgar o impacto da mineração de criptomoedas em suas receitas. A multa foi aplicada com base nos resultados financeiros de 2017 a 2018, quando a queda no valor das criptomoedas afetou negativamente as ações da NVIDIA.

NVIDIA fez grandes contribuições para o desenvolvimento da inteligência artificial

A NVIDIA tem um papel fundamental no desenvolvimento de IA, como evidenciado pelo uso de suas GPUs na criação de tecnologias como ChatGPT e GPT-4, desenvolvidas pela OpenAI.

A empresa também colaborou com a Microsoft no desenvolvimento do supercomputador DGX AI, que utiliza GPUs NVIDIA A100. Recentemente, a Amazon anunciou que adquirirá até 20.000 unidades das novas GPUs H100 da NVIDIA, que custam cerca de US$ 30.000 cada, para impulsionar suas operações de IA.

O CEO e fundador da NVIDIA, Jensen Huang, destacou a importância da empresa na evolução das tecnologias de IA durante a GTC 2023. Ele comparou o pioneirismo da NVIDIA no campo da IA ao sucesso do iPhone, ressaltando o potencial de crescimento e inovação neste setor.

Em suma, a declaração de Michael Kagan evidencia a visão da NVIDIA de que as criptomoedas não trazem benefícios tangíveis para a sociedade e destaca a prioridade da empresa em investir e desenvolver soluções de IA. A discussão em torno do papel das criptomoedas e da IA no mundo moderno continua, e é essencial que o debate seja mantido para que possamos entender melhor os impactos dessas tecnologias em nossa sociedade.

E você, o que acha dessa posição da NVIDIA? Deixe seu comentário e participe da discussão!

Fonte: The Guardian

Sobre o Autor

Cearense. 34 anos. Apaixonado por tecnologia e cultura. Trabalho como redator tech desde 2011. Já passei pelos maiores sites do país, como TechTudo e TudoCelular. E hoje cubro este fantástico mundo da tecnologia aqui para o HARDWARE.
Leia mais
Redes Sociais:

Deixe seu comentário

X