Elon Musk ameaça desistir de comprar o Twitter

Elon Musk ameaça desistir de comprar o Twitter

O magnata Elon Musk, dono da Tesla e da SpaceX, ameaça desistir de comprar o Twitter por US$ 44 bilhões.

Musk acusa a rede social por recusar ceder informações sobre as contas falsas e os bots de spam que inundam o Twitter. Assim, advogados de Elon Musk fizeram a ameaça ontem (6) através de uma carta ao Twitter que revela uma ação submetida à Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos.

Elon Musk compra o Twitter: tudo o que você precisa saber

Na carta de ameaça direcionada à Vijaya Gadde, responsável pelo setor jurídico do Twitter, Elon Musk alega que o Twitter está “resistindo de maneira ativa ao restringi-lo de seus direitos de informação”.

Os advogados que enviaram a carta à Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos alegaram que o Twitter ofereceu à Elon Musk apenas a possibilidade de fornecer detalhes sobre os métodos de testagem da empresa.

Contudo, para os advogados, essa posição do Twitter é equivalente a negar os pedidos de Musk em relação aos dados, constituindo em uma violação material do acordo.

“Esta é uma nítida violação material das obrigações do Twitter conforme o acordo de aquisição da empresa, e o Sr. Musk se resguarda de todos os direitos recorrentes do acordo, incluindo o direito de não efetuar a transação, bem como o direito de cancelar a aquisição”, escreveu um dos advogados representando Elon Musk na carta de ameaça ao Twitter.

Além disso, os advogados afirmam que Elon Musk solicitou diversas vezes as informações desde 9 de maio, quase um mês após sua oferta para comprar o Twitter, para avaliar quantos perfis fakes existem na rede social.

O CEO do Twitter, Parag Agrawal, disse anteriormente que a companhia estima que menos de 5% dos perfis na rede sejam spans ou fakes. No entanto, Elon Musk discorda dessa afirmação, alegando, em um tweet em maio, que 20% das contas são

https://twitter.com/elonmusk/status/1526465624326782976falsas, embora não tenha dado evidência concreta.

Carta de ameaça pode se tornar uma batalha judicial entre o bilionário e a rede social

Enfim, a carta de ameaça é mais uma prova da intenção de Elon Musk em desistir de comprar o Twitter. No entanto, a carta também levanta a possibilidade de uma longa batalha judicial se alguma das partes levar a situação à justiça.

Se Elon Musk for a parte que iniciará a batalha judicial, os termos do contrato de aquisição permitem que o Twitter processe o bilionário para forçá-lo a completar a compra caso o seu financiamento para a transação continue intacto.

Susannah Streeter, analista de mercado da firma Hargreaves Lansdown, comenta que essa ação era algo que os investidores do Twitter estavam se preparando há algumas semanas.

“O momento em que as polêmicas casuais de Elon Musk através de tweets se tornaram em uma carta oficial aos órgãos reguladores”, disse Streeter. A analista ainda afirmou que a aquisição, desde o início, estava destinada a ser uma “montanha-russa”.

O Twitter afirmou que a venda da rede para Elon Musk continua em curso e a companhia espera concluir a transação e reforçar o acordo de fusão com base nos termos e no valor combinado.

Entretanto, nos bastidores, há mais de um mês o Twitter compartilha informações com Elon Musk sem que haja alguma falha de comunicação, segundo uma fonte do New York Times. 

Outras duas fontes do jornal afirmaram que uma das preocupações do Twitter em compartilhar as informações é o fato de falas anteriores de Elon Musk sobre criar uma rede social rival.

Elon Musk estaria arrependido em comprar o Twitter?

Em abril, quando anunciou a compra do Twitter, Elon Musk afirmou que a companhia iria se tornar de capital fechado e permitiria maior liberdade de expressão.

Elon Musk comprar Twitter

No entanto, as semanas posteriores ao anúncio foram marcadas por quedas no mercado de ações, bem como pela guerra na Ucrânia e os desafios na cadeia de produção.

Com isso, a reviravolta afetou as ações de companhias como a Tesla, a maior fonte de renda de Musk. Além disso, a queda afetou o mercado de créditos, dificultando, potencialmente, os empréstimos de bancos direcionados a aquisições financeiras.

Assim, analistas especulam que esses fatores fizeram Elon Musk se arrepender em gastar US$ 44 bilhões para comprar o Twitter.

Nas últimas semanas, Elon Musk, em tom de ameça, afirmou a possibilidade de suspender a compra do Twitter devido ao número de contas falsas. Segundo Musk, o acordo não pode avançar até que o Twitter apresente provas que atestem que essas contas correspondem por menos de 5% dos seus usuários.

Leia mais: Elon Musk suspende temporariamente a compra do Twitter

A carta de ameaça de Elon Musk, entretanto, representa uma nova estratégia de desistir da compra do Twitter. Em vez de simplesmente dizer que o bilionário não acredita nos números do Twitter, os seus advogados batem na tecla de que a rede social está quebrando suas obrigações legais ao não fornecer as informações importantes para o acordo.

Sobre o Autor

Redes Sociais:

Deixe seu comentário

X