Oficial: TSMC fabricará parte dos processadores da Intel

Oficial: TSMC fabricará parte dos processadores da Intel

Após anos de especulações, a Intel finalmente resolveu apostar numa medida drásticas, mas essencial, para continuar competitiva no mercado de processadores: terceirizar sua produção. A gigante de Santa Clara seguirá no modelo de IDM (Integrated Device Manufacturing), produzindo seus próprios chips e, numa extensão desse modelo de negócios (IDM 2.0), cuidando no futuro da produção para outras empresas, mas parte dos seus processadores serão fabricados pela TSMC, líder do mercado de semicondutores.

Assim como comentei neste artigo no ano passado, devido ao atraso dos chips de 7nm, era um indício claro que terceirizar a produção era a saída. E assim será feito. A Intel deixará nas mãos da TSMC os processadores de 7nm, chips que a Intel chama de “CPUs de liderança”, apostando no efeito positivo que o uso do processo de produção da TSMC, aliado ao chip design da Intel pode representar no mercado.

O uso da TSMC, na estratégia da Intel, se aplica aos produtos de consumo e servidor. O CEO da Intel, Pat Gelsinger, citou que fabricantes como TSMC, Samsung e GlobalFoundries oferecem benefícios para otimizar cronogramas de custo, desempenho, cronogramas e quantidades. Além da TSMC, a Intel também poderá recorrer a esses outros players para a produção de seus chips.

A Intel não entrou em detalhes sobre quais processadores terão a produção conduzidas pela TSMC. O que sabemos é que são chips que farão uso da litografia de 7nm. Em resumo: o próximo salto geracional da Intel. Lembrando que além de CPUs, a Intel deve utilizar a TSMC também para a produção de GPUs. No início do ano correu o boato que a Intel utilizará a TSMC para produzir o chip da DG2, placa de vídeo para o público gamer com suporte a Ray Tracing.

Ao mesmo tempo que a TSMC é uma aliada estratégica, os esforços da Intel em seguir como rival da gigante taiwanesa não foram deixados de lado; ao contrário, foram potencializados. A Intel anunciou investimento de 20 bilhões de euros em duas novas fábricas de chips no Arizona. Valor superior ao que foi anunciado pela TSMC no ano passado como investimento em uma unidade fabril, também no Arizona. Após o anúncio da Intel as ações da TSMC caíram 3,9 % nesta manhã.

O investimento da Intel chega também no sentido de tentar mudar a supremacia de empresas asiáticas em relação a produção de chips. Dados da Intel revelam que 80% do silício é produzido na Asia, 15% nos Estados Unidos e 5% na Europa.

Sobre o Autor

Editor-chefe no Hardware.com.br, aficionado por tecnologias que realmente funcionam. Segue lá no Insta: @plazawilliam
Leia mais
Redes Sociais:

Deixe seu comentário

X