Vendas mundiais de PCs caíram 29% no primeiro trimestre: Apple foi a mais prejudicada

Vendas mundiais de PCs caíram 29% no primeiro trimestre: Apple foi a mais prejudicada

As vendas globais de computadores pessoais enfrentaram uma queda significativa de 29% no primeiro trimestre de 2023, em comparação com o mesmo período do ano anterior. Essas informações foram divulgadas pela IDC (International Data Corporation). A Apple, uma das maiores empresas de tecnologia do planeta, sofreu o maior impacto, com uma redução de 40,5% nas vendas.

Leia também
Esse homem não limpava o PC há seis anos
Tela preta ao ligar o PC: o que pode ser e como resolver?

Mercado de PCs volta a sofrer queda nas vendas

O mercado de PCs já vinha apresentando um declínio nas vendas desde o fim de 2022, quando as remessas de PCs caíram 28%. No período entre janeiro e março de 2023, as vendas somaram 56,9 milhões de unidades, bem abaixo das 80,2 milhões registradas no primeiro trimestre de 2022. Em 2019, o total foi de 59,2 milhões, e em 2018, 60,6 milhões de unidades.

A diminuição das vendas pode ser atribuída ao retorno gradual ao cenário pré-pandemia. Durante o período de isolamento, houve um aumento na demanda por computadores pessoais devido à adoção do home office. Agora, com a reabertura gradual dos escritórios, a demanda por PCs está diminuindo.

Além da Apple, outras grandes fabricantes também sofreram quedas nas vendas. A Dell registrou uma diminuição de 31%, seguida pela Lenovo e ASUS, ambas com redução de 30,3%. Jitesh Ubrani, gerente de pesquisa dos Rastreadores de Mobilidade e Dispositivos de Consumo da IDC, aponta que, apesar dos números negativos, as vendas podem melhorar ao longo do ano. Veja o que ele comentou:

Embora as remessas de fornecedores tenham reduzido nos últimos meses, ainda está bem acima da faixa saudável nas últimas quatro a seis semanas. Mesmo com quedas pesadas, os canais e os fabricantes de PCs podem esperar que as vendas em alta persistam até o meio do ano e, potencialmente, no terceiro trimestre”.

IDC acredita que o Windows 11 pode ajudar a impulsionar mercado de PCs

De acordo com a IDC, uma das razões para a queda nas vendas é a busca das fábricas por meios de produção fora da China, já que os Estados Unidos têm aumentado a pressão para isolar o país asiático do resto do mundo. Além disso, a recuperação econômica global desempenha um papel crucial na demanda por PCs.

Linn Huang, vice-presidente de pesquisa de Dispositivos e Monitores da IDC, acredita que o lançamento do Windows 11 pode impulsionar o mercado de PCs. A expectativa é que até 2024, uma base instalada mais antiga comece a ser atualizada, gerando um crescimento significativo no setor, desde que a economia global esteja em ascensão. Veja o que ele disse:

Até 2024, uma base instalada [de PCs]antiga começará a ser atualizada. Se a economia está tendendo para cima até lá, esperamos uma melhoria significativa do mercado à medida que os consumidores procuram se atualizar, as escolas buscam substituir os Chromebooks desgastados e as empresas migram para o Windows 11. Se a recessão nos principais mercados se arrastar até o próximo ano, a recuperação pode ser um obstáculo”.

Em outras palavras, se a recessão se prolongar em mercados-chave até o próximo ano, a recuperação do mercado de PCs pode não acontecer.

Agora nós convidamos você, leitor, a compartilhar sua opinião sobre o futuro do mercado de PCs e as estratégias que as empresas podem adotar para enfrentar os desafios atuais. Deixe seu comentário abaixo.

Fonte: IDC

Sobre o Autor

Cearense. 34 anos. Apaixonado por tecnologia e cultura. Trabalho como redator tech desde 2011. Já passei pelos maiores sites do país, como TechTudo e TudoCelular. E hoje cubro este fantástico mundo da tecnologia aqui para o HARDWARE.
Leia mais
Redes Sociais:

Deixe seu comentário

X