SSDs utilizados para a mineração podem ser danificados em 40 dias

SSDs utilizados para a mineração podem ser danificados em 40 dias

Vimos há alguns dias a fabricante GALAX confirmar que rejeitará pedidos de RMA para SSDs utilizados na mineração de criptomoeda. A empresa justificou a decisão dizendo que a mineração, assim como outras tarefas categorizadas como operações anormais, acabam elevando o volume de gravação diária de dados. Isso contribui para que a característica da finitude do ciclo de leitura/escrita dos chips Flash NAND seja alcançado bem mais rápido. O quão mais rápido? Temos agora uma perpesctiva.

De acordo com o site chinês MyDrives, um SSD de 512 GB de armazenamento pode ser detonado em apenas 40 dias de trabalho com a mineração da criptomoeda Chia Coin. A Chia Coin é a primeira criptomoeda a ofertar essa possibilidade de mineração através de unidades de armazenamento. Além da capacidade de armazenamento (quanto maior melhor), a questão da durabilidade, representada por um valor em TB estipulado pelos fabricantes, é de suma importância para o uso de um SSD na mineração.

Assim como temos SSDs com mais ou menos poderio bruto em termos de performance de leitura e escrita, como, por exemplo, os SSDs NVMe superando os tradicionais SATA (AHCI) também temos SSDs que variam na questão da resistência, isto é, opções que podem lidar com um volume maior ou menor de gravação de dados. Por exemplo, SSDs de alta capacidade e que visam o mercado corporativo entregam uma maior resistência a um grande volume de gravação de dados.

Portanto, SSDs de entrada ou intermediários, voltados ao mercado de consumo, até podem ser utilizados para a mineração, mas estão longe de serem indicados. Vale lembrar também que assim que o volume médio de gravação de dados determinado pelo fabricante (o TBW) é excedido, a garantia pode ser negada, ou o próprio SSD pode parar do nada. No uso convencional de uma unidade de armazenamento é muito difícil atingir esse limite em termos de ciclos de leitura/gravação, mas com a mineração esse limiar pode ser excedido sem muito esforço.

Siga o Hardware.com.br no Instagram

Com o hype desmedido em cima da Chia Coin começam a surgir opções que deem conta da mineração. Um exemplo é a linha T-Creat Expert, anunciada pela Team Group. São duas opções de capacidade: 1 TB e 2 TB. O TBW do modelo de 1 TB é de impressionantes 6.000 TB. Para efeito comparativo, o TBW do popular SSD WD Blue, em sua versão de 1 TB, é 600 TB.

Em outras opções o TBW pode ser até menor. Repare na imagem acima do folheto de especificações do SSD Crucial BX500. Em durabilidade, a Crucial fala de 360 TB para o modelo de 1 TB.  Essa média equivale a gravação de 195 GB por dia durante 5 anos.

Sobre o Autor

Editor-chefe no Hardware.com.br, aficionado por tecnologias que realmente funcionam. Segue lá no Insta: @plazawilliam
Leia mais
Redes Sociais:

Deixe seu comentário

X