Dados de mais de 100 milhões de brasileiros estão sendo vendidos na Dark Web

Dados de mais de 100 milhões de brasileiros estão sendo vendidos na Dark Web

Nesta quarta-feira (10) a empresa de cibersegurança PSafe divulgou um enorme vazamento de dados no Brasil. E quais são esses dados? Basicamente, números de celular e outras informações, como o tempo de duração das ligações. Dentre os vazamentos estão os números de pessoas públicas, como o do presidente Jair Bolsonaro e os apresentadores William Bonner e Fátima Bernardes. Esses dados estão sendo vendidos na Dark Web.

Leia também
Golpe na praça: e-mail falso da Claro tenta roubar quase R$ 500 das vítimas

Para ser mais exato, foram 102.828.814 contas de celular vazadas. Essa descoberta foi feita pelo laboratório dfndr lab, que já expôs diversas vulnerabilidades em empresas e órgãos do governo brasileiro. Um relatório detalhado sobre a investigação será enviado pela PSafe à ANDP (Autoridade Nacional de Proteção de Dados).

O hacker que está vendendo as informações na Dark Web afirmou que conseguiu os dados na base de clientes das operadoras Claro e Vivo. O cibercriminoso disse que armazenou 57,2 milhões de contas da Vivo e 45,6 milhões de contas da Claro.

Dentre os dados há informações bem sensíveis, como RG, endereço, dívidas, valor das faturas, adimplência, CPF/CNPJ, dentre outros. Porém, não há nenhuma prova de que ele efetivamente conseguiu invadir o banco de dados dessas operadoras.

E como seguirá a investigação? A ANDP pode acionar o Ministério Público e a Polícia Federal que, por sua vez, poderão pedir esclarecimentos às empresas citadas. Assim, uma investigação mais profunda poderá ser feita. Ambas as operadoras negam que sofreram invasão ou qualquer tipo de vazamento de dados. Mesmo assim, se comprometeram a conduzir investigações internas para esclarecer os fatos.

Fonte: NeoFeed

Sobre o Autor

Redes Sociais:

Deixe seu comentário

X