Meta Quest ganha capacidade de reprodução de vídeo espacial para competir com o Apple Vision Pro

Meta Quest ganha capacidade de reprodução de vídeo espacial para competir com o Apple Vision Pro

O mercado de dispositivos de realidade virtual ou realidade mista está ficando cada vez mais quente, e as competições estão a todo vapor. Um dos headsets mais populares nesse segmento é o Meta Quest, que agora está ganhando novos recursos para competir de frente com o Apple Vision Pro.

Acontece que a Meta, anteriormente conhecida como Facebook Reality Labs, anunciou recentemente a introdução de capacidades de reprodução de vídeo espacial para seus headsets de realidade virtual Meta Quest, trazendo uma experiência envolvente e aumentando a competitividade no mercado.

Leia também:

Meta se antecipa e anuncia novo headset Meta Quest 3 antes do anúncio da Apple
Apple Vision Pro: 5 fatos para conhecer o óculos da gigante da Maçã

Exibição de vídeo espacial a partir do iPhone 15

Meta Quest

Durante as apresentações e até mesmo das estratégias de marketing do Apple Vision Pro, a Apple deixou claro que a capacidade de captura e reprodução de vídeo espacial pelo headset seria um dos seus pontos principais e de destaque.

A capacidade de reprodução de vídeos espaciais é uma adição bem interessante para o Meta Quest, permitindo que os usuários revivam memórias em uma dimensão mais profunda e envolvente. Esta iniciativa surge em um momento estratégico, coincidindo com o lançamento do muito aguardado Apple Vision Pro.

A novidade permite que os usuários carreguem vídeos espaciais diretamente do iPhone para o aplicativo móvel Meta Quest, proporcionando uma experiência de criação de conteúdo única. No entanto, vale ressaltar que a criação de vídeos espaciais exigirá um iPhone 15 Pro ou iPhone 15 Pro Max. Uma vez carregados, esses vídeos serão armazenados na nuvem, preservando o espaço valioso do disco rígido no headset.

Novidades também estará presente em outros modelos do Meta Quest

A Meta tornou disponíveis vários vídeos de demonstração, permitindo que os usuários tenham um vislumbre do que está por vir. O recurso não é exclusivo do recém-lançado Meta Quest 3, o que significa que os usuários do Meta Quest 2 e do Meta Quest Pro também poderão desfrutar dessa nova funcionalidade.

No entanto, o Meta Quest original não será contemplado, seguindo uma tendência comum na indústria que acaba tornando alguns dispositivos mais antigos obsoletos.

O lançamento da capacidade de reprodução de vídeo espacial é apenas uma parte de uma atualização mais ampla do sistema que traz diversas melhorias para os usuários do Quest.

A navegação na web agora permite jogos baseados na web, com suporte para gamepads externos. Além disso, a transmissão ao vivo pelo Facebook foi expandida para todos os usuários, após uma fase inicial de testes limitada.

Outras melhorias incluem novas ações rápidas com gestos únicos, como silenciar o microfone ou tirar uma foto, realizando um simples gesto de pinça enquanto olha para o pulso. Curiosamente, esse esquema de controle parece ecoar o adotado pelo Apple Vision Pro, levando a especulações sobre a intensificação da concorrência entre as duas gigantes da tecnologia.

Isso mostra o quanto o cenário competitivo na indústria de realidade virtual está evoluindo rapidamente, o que acaba sendo bom para o consumidor, já que ele terá mais opções. Com essa novidade, por exemplo, será possível apreciar o recurso sem precisar desembolsar US$ 3.500 dólares para isso (aproximadamente R$ 17.330 em conversão direta), que é o preço do Apple Vision Pro por lá.

Isso porque o Meta Quest 3, que é a versão mais avançada lançada no ano passado, pode ser encontrado nas lojas dos Estados Unidos por preços a partir de US$ 499,99 (aproximadamente R$ 2.536 em conversão direta).

Fonte: engadget

Sobre o Autor

Redes Sociais:

Deixe seu comentário

X