Relembre o lançamento do primeiro Xbox

Relembre o lançamento do primeiro Xbox

Poucas empresas têm o gabarito e ousadia de se aventurar no vespeiro que é o mercado de consoles domésticos. A Microsoft, que construiu sua marca no mercado de softwares para computadores, foi quem apostou alto quando poucos conseguiam imaginar algo diferente de um horizonte que tinha Sony, Nintendo e Sega.

Bom, para se aventurar no mercado de hardware, ainda mais com um console, a Microsoft precisava realmente de um produto com alguma proposta ousada, seja em design ou em características técnicas. A aposta foi o Xbox, revelado pela primeira vez em 2000, época que Bill Gates ainda era a imagem pública da companhia que ajudou a fundar.

A ousadia da apresentação, que também contou com a presença de Seamus Blackley, chefe do projeto (falaremos mais sobre ele), ficou clara. Literalmente o que foi revelado na Game Developers Conference de 2000 foi um console em formato de X.

Protótipo do primeiro Xbox

Esse X gigante não foi a cara final do produto que chegou às lojas, mas foi o ponto de partida pra termos uma noção do quão ousado seria essa aposta da Microsoft. Neste artigo vou relembrar o lançamento do primeiro Xbox, embarque nessa viagem que irá te transportar diretamente para a sexta geração de consoles. Vamos nessa!

Adeus DirectX Box, bem-vindo Xbox

A ideia da Microsoft de se inserir no concorrido mercado de consoles nasceu em 1998. Neste ano, um grupo de engenheiros da companhia da área multimídia (Kevin Bachus, Seamus Blackley, Otto Berkes e Ted Hase) chegou ao todo poderoso Bill Gates com uma proposta para que a Microsoft desenvolvesse seu primeiro console. A ideia era construir um console que fosse mais poderoso em termos de hardware que o modelo da Sony.

Seamus Blackley, que foi o líder do projeto, estava na Microsoft há poucos meses quando teve essa ideia realmente corajosa de propor que a gigante dos softwares para PCs se jogasse nos consoles.

A Microsoft comprou a ideia. A empresa já tinha a pretensão de ter um produto que a fizesse atingir outros mercados. O Xbox foi esse produto. Na fase inicial do projeto o nome era outro. DirectX Box. Fazendo uma referência direta para a famosa API gráfica da companhia (DirectX). No final, o nome foi abreviado. Nascia então o Xbox.

O apego ao hardware

Dia 10 de novembro chega ao mercado uma nova família Xbox, temos logo de cara dois modelos, o Xbox Series S e Series X. Olhando por número brutos, o Xbox Series X é o console mais poderoso dessa geração e de outras as outras. Esse apego hardware é uma marca do Xbox desde o seu primeiro modelo.

Enquanto o midiático PlayStation 2, que chegou ao mercado um ano antes do Xbox, ficou marcado como uma console que poderia ser uma verdadeira central multimídia, a Microsoft fazia questão de bater na tecla do poderio de hardware do seu console. Na verdade o Xbox era um PC transvestido de console. No fundo, a Microsoft não se descarrou da sua aliança com o mercado de microcomputadores com o lançamento do Xbox, estava tudo ali, mas agora em uma máquina que mirava alto: desbancar a Sony com o seu PlayStation.

Essa disparidade de hardware entre Xbox e PlayStation 2 era bem clara. Enquanto o processador do Xbox rodava com clock de até 733 MHz, o PS2 tinha um processador com clock de 300 MHz.

É interessante observar aqui a mudança em relação aos fornecedores do hardware que formaram o Xbox. Enquanto nos últimos anos nos habituamos com a AMD sendo a responsável pelos projetos personalizados que dão origem ao processador e chip gráfico que equipa o console da Microsoft (e também o da Sony), o primeiro Xbox tinha um processador Intel Pentium 3 personalizado e o chip gráfico era fornecido pela NVIDIA!

Destaque também para os 64 MB de memória e HD de 6 GB. O disco rígido que equipara o primeiro Xbox é da marca Seagate, a mesma empresa que agora fornece os SSDs para a expansão do Xbox Series S/X. Interessante, né?

A Microsoft se orgulhava de dizer que o Xbox era capaz de gerar até 150 milhões de polígonos por segundo, contra 66 milhões do PlayStation 2. Sabemos que o PlayStation 2 vendeu absurdamente mais que o primeiro Xbox, mas é inegável o salto técnico que a Microsoft promoveu para entrar com o pé direito no mundo dos consoles.  Isso ficava ainda mais claro quando partíamos para os jogos. GTA San Andreas, por exemplo, tinha texturas e nitidez bem superiores no console da Microsoft do que no da Sony.

2001: lançamento do Windows XP e Xbox

2001 foi o ano oficial de chegada do Xbox ao mercado, mas não podemos esquecer que também foi o ano em que a Microsoft lançou uma das versões mais bem-sucedidas da história do software. O Windows XP. Era a Microsoft investindo pesado no mundo do hardware, com o Xbox, mas também seguindo com seu carro-chefe, o Windows.

Após a apresentação do protótipo do Xbox em 2000, durante a Game Developers Conference daquele ano, avançamos para o dia 06 de janeiro de 2001. Um outro evento, dessa vez a edição daquele ano da famosa CES (Consumer Electronic Show), palco de anúncios históricos, como o VCR (vídeo cassete recorder) e o DVD.

Foi na edição de 2001 da CES que o mundo teve contato com a versão definitiva do Xbox. Ao invés de uma carcaça em formato de X, a versão final deu lugar para uma caixa preta com o X percorrendo toda a parte superior e uma cúpula ao centro com o nome Xbox. Detalhe que ficava ainda mais evidente, no, ergonomicamente controverso, controle do console.

Um dos controles mais absurdos já lançados!

Assim como fez no passado com o lançamento do Windows 95, a Microsoft tornou o anúncio do Xbox um verdadeiro feito midiático. O investimento na campanha de divulgação do Xbox foi orçada inicialmente em US$ 500 milhões. Era tratado realmente como o maior lançamento da história da empresa.

Na apresentação do console, além de Bill Gates, tivemos a presença do ator e lenda do WWE, Dwayne Jonhson, o The Rock, que ainda tinha cabelo na época.

Falando nele, está circulando uma imagem do ator segurando um Xbox Series X personalizado, que inclui sua assinatura. Como nem a Microsoft nem o The Rock confirmaram, vamos deixar aqui como uma especulação.

A chegada ao mercado

Da apresentação, pulamos para o dia 8 de novembro de 2001. Essa foi a data escolhida pela Microsoft para o lançamento do Xbox. Novembro se repetiu como o mês de lançamento das demais versões do console: Xbox 360 (22 de novembro de 2005), Xbox One (22 de novembro de 2013) e Xbox Series S/X (10 de novembro de 2020).

O Xbox chegou ao mercado americano com o preço sugerido de US$ 299. Diferentemente do que vimos com o Xbox One e com o Xbox Series S/X, o lançamento do primeiro Xbox não chegou no Brasil em conjunto com o lançamento nos EUA. O console só chegou por aqui em janeiro de 2002, por R$ 2.299. Cada jogo custava R$ 249 (US$ 50 nos EUA).

No mesmo ano que o Xbox chegou ao Brasil, a Microsoft anunciou o serviço Xbox Live, permitindo que os assinantes pudessem jogar a distância, por intermédio da internet. Era o videogame realmente assumindo funções de PC.

Na época, o diretor geral da Microsoft para o Xbox, J. Allard, afirmo que a tecnologia online seria a próxima revolução dos videogames. E foi mesmo. Temos isso cada vez mais claro, ainda mais agora com plataformas de jogos por streaming, como o Stadia, e o xCloud, da própria Microsoft.

A belíssima e rara versão Crystal Edition

No artigo sobre os 20 anos do PlayStation 2 comentei sobre as  versões diferenciadas de design que saíram do console, como a belíssima Astral Blue. Com o Xbox também rolou algumas versões muito bonitas e raras, uma delas é a Crystal Edition, que ao invés da carcaça na cor preta, traz um case translúcido.

Essa versão de tiragem limitada foi lançada em 2004 na Europa. Era uma versão que comemorava o segundo ano de vendas do console na região. Encontramos um anúncio neste site de usados vendendo esta versão do Xbox por R$ 2.499.

Xbox e seu legado

A Microsoft nem de longe conseguiu ultrapassar a PlayStation 2 com o Xbox, o timing de lançamento, e jogos acabaram vencendo a questão da superioridade técnica, porém, o Xbox construiu as bases para que a Microsoft entendesse o mercado de consoles, inclusive a empresa se tornou muito mais competitiva na geração seguinte, com o Xbox 360.

O Xbox deixou bons jogos, como “Halo”, “SoulCalibur” e “Dead or Alive 3, e alcançou a marca de 24 milhões de unidades vendidas, até ser descontinuado em 2005.

Sobre o Autor

Editor-chefe no Hardware.com.br, aficionado por tecnologias que realmente funcionam. Segue lá no Insta: @plazawilliam
Leia mais
Redes Sociais:

Deixe seu comentário

X