Senadores dos EUA confrontam Mark Zuckerberg sobre liberação do metaverso da Meta para menores de idade

Senadores dos EUA confrontam Mark Zuckerberg sobre liberação do metaverso da Meta para menores de idade

A Meta ainda mantém seus esforços para que todo o seu investimento no metaverso possa dar certo, e atualmente o principal foco da empresa é o Horizon Worlds, uma plataforma de jogos online no metaverso onde é preciso utilizar acessórios de realidade virtual compatíveis como o Oculus Rift S ou Quest 2.

Atualmente ela só está disponível oficialmente para adultos, porém no começo de fevereiro, alguns relatórios mostraram que a empresa estava se preparando para permitir que pessoas de 13 a 17 anos pudesse começar a usá-la também. Porém a ideia não agradou a muitos e alguns senadores estão tentando impedir que isso aconteça.

Leia também:

Meta: relatório financeiro revela queda na receita e risco de nova rodada de demissões em massa
Metaverso e Inteligência Artificial: algumas tecnologias que se tornarão tendência em 2023

Senadores apontam falhas da Meta para proteger jovens

metaverso

Dois senadores democratas, Ed Markey e Richard Blumenthal enviaram uma carta endereçada para o próprio Mark Zuckerberg pedindo para que ele não disponibilizasse sua plataforma do metaverso para menores de 18 anos. Em um trecho da carta, eles afirmaram que:

“À luz do histórico de falha de sua empresa em proteger crianças e adolescentes e um crescente corpo de evidências apontando para ameaças a jovens usuários no metaverso, pedimos que interrompa esse plano imediatamente”

Como dá para perceber, eles apontaram uma preocupação crescente principalmente por causa do histórico da empresa de Zuckerberg em falhar na proteção dos usuários mais jovens. Além disso, eles também apontam algumas pesquisas que mostram perigos do metaversos para pessoas tão novas.

Entre um dos casos de falhas da Meta, eles citaram o bug que aconteceu no Messenger Kinds que permitiu que crianças de 6 a 12 anos pudessem contornar as restrições de idade e conseguissem falar com estranhos, o que é bastante perigoso.

Além disso, os senadores também apontaram os relatórios de 2021 sobre algumas pesquisas internas da Meta, que concluíram que o Instagram é uma plataforma prejudicial para muitos jovens, principalmente para os do sexo feminino.

Na época, a Meta respondeu a esse relatório apontando que a pesquisa também revelou que muitas meninas sentiam efeitos positivos ao usar a plataforma Instagram e que sua equipe vem trabalhando arduamente para lidar com questões como bullying e automutilação e fazer com que o espaço seja cada vez mais seguro.

Ainda assim, a empresa acabou recuando um pouco com seus planos para o lançamento de uma versão Kids do Instagram.

Perigos do metaverso

Já em relação ao metaverso em si, os senadores apontaram algumas pesquisas de senso comum, como as que revelam que o uso de fones de ouvido de realidade virtual, quando utilizados por muito tempo, podem causar náusea e fadiga ocular, além de afetar a privacidade de quem usa.

Eles citaram uma pesquisa feita pelo Center for Countering Digital Hate, que mostrava que usuários no VRChat, uma plataforma social que está disponível para uso com os headsets da Quest, podem expor os usuários a comportamentos abusivos de forma constante, a cada 7 minutos.

Depois que os relatórios sobre o plano da empresa para trazer usuários mais jovens para o Horizon Worlds foram descobertos, ela respondeu dizendo que seus fones de ouvido Quest são feitos para pessoas com idades a partir de 13 anos. Por isso, fazia sentido oferecer esse tipo de experiência para pessoas com essa idade, contando com “ferramentas e proteções adequadas para a idade”.

O Horizon Worlds atingiu em janeiro uma média de 200 mil usuários por mês. A empresa pretende aumentar esse número e chegar até 500 mil até junho e vê no público jovem a melhor forma de concretizar esse plano. A Meta ainda prevê o lançamento de versões móveis e web do Horizon Worlds em breve.

Fonte: engadget

Sobre o Autor

Redes Sociais:

Deixe seu comentário

X