Bloqueadores de anúncios estão com os dias contados, pelo menos no Google Chrome

Bloqueadores de anúncios estão com os dias contados, pelo menos no Google Chrome

O Google divulgou o calendário de liberação de uma atualização polêmica. A partir de 2023, o Google Chrome colocará em prática o Manifest V3. Trata-se de uma atualização que visa trazer mais privacidade aos usuários. Porém, a polêmica reside no fato de que os plugins bloqueadores de anúncios, popularmente conhecidos como ad blockers, serão proibidos.

Leia também
Como limpar os dados de preenchimento automático do Google Chrome
Melhores alternativas ao Google Chrome

Sobre o Manifest V3

A atualização Manifest V3 está sendo debatida desde que o documento se tornou público pela primeira vez, em 2019. Na época já estava em vigor o Manifest V2, que alterou a política do Google em relação aos plugins bloqueadores de anúncios. E nessa época já haviam críticos ferrenhos ao Manifest V2. Imagine só o que eles acharam quando o Manifest V3 se tornou público.

Em 2020 o Google lançou a versão 88 do Chrome, que já implementou os primeiros vestígios do Manifest V3. E, mais uma vez, a comunidade de usuários se manifestou desfavoravelmente ao Manifest V3. A justificativa da gigante das buscas sempre foi a mesma, ou seja, levar mais privacidade para os usuários.

No entanto, só foi em 2022 que o Manifest V3 realmente começou a tomar forma. Por exemplo, em fevereiro desse ano a Chrome Web Store deixou de aceitar extensões baseadas no padrão Manifest V2. E na semana passada o gerente de produto do Google, David Li, divulgou o roadmap para a implementação do Manifest V3. Veja o cronograma abaixo:

  • Janeiro de 2023: se uma extensão quiser aparecer na seção “Em destaque”, ela terá que seguir os padrões do Manifest V3;
  • Junho de 2023: a extensões baseadas no Manifest V2 deixarão de ser listadas na Chrome Web Store;
  • Janeiro de 2024: as extensões baseadas na Manifest V2 serão totalmente removidas da Chrome Web Store.

Além disso, o executivo disse que a partir do Chrome 112 (que será lançado em janeiro), o Google pode fazer testes para desativar o suporte a plugins baseados no Manifest V2 nos canais Canary, Dev e Beta. E o suporte a extensões baseadas no Manifest V2 será desativado até no canal estável a partir do Chrome 115, que será lançado em junho de 2023.

Usuários insatisfeitos

Como era de se esperar, os usuários mais antenados estão extremamente insatisfeitos. Tentando apaziguar os ânimos, o Google publicou um artigo ressaltando as vantagens e diferenciais do Manifest V3. Segundo a empresa, o novo padrão trará mais segurança e tranquilidade para os usuários instalarem plugins diversos. Além disso, o Manifest V3 implementara mais transparência e um controle aprimorado de permissões.

Não há como negar que estas são, de fato, vantagens importantes para um navegador tão grande como o Google Chrome. O grande problema é que o Manifest V3 vai restringir o uso de ad blockers. E esse é um tipo de extensão que milhões de usuários usam, justamente para ter uma navegação mais sadia na internet.

E a impossibilidade de se usar bloqueadores de anúncios no Manifest V3 está ligada a uma API chamada WebRequest. Através desta API as extensões do tipo ad blockers conseguem interceptar solicitações de páginas. Dessa forma, é possível impedir a inserção de cookies no navegador e até mesmo o carregamento de arquivos de mídia. É justamente isso que impossibilita os navegadores de rodarem os anúncios quando o ad block esta ativado.

Acontece que com o Manifest V3 esta API será substituída pela declarativeNetRequest. Esta API exigirá que a extensão informe uma série de regras que serão analisadas. É a partir dessas regras que o Google Chrome decidirá o que será bloqueado e o que será exibido. Para piorar ainda mais a situação, esta nova API limita o número de regras que podem ser evitadas.

Trocando em miúdos, o Manifest V3 vai limitar bastante o nível de atuação e eficiência dos bloqueadores de anúncios.

Fonte: Google via ArsTechnica e Engadget

Sobre o Autor

Cearense. 34 anos. Apaixonado por tecnologia e cultura. Trabalho como redator tech desde 2011. Já passei pelos maiores sites do país, como TechTudo e TudoCelular. E hoje cubro este fantástico mundo da tecnologia aqui para o HARDWARE.
Leia mais
Redes Sociais:

Deixe seu comentário

X