Maior diamante negro do mundo é vendido por US$ 4,3 milhões: pago em criptomoeda

Maior diamante negro do mundo é vendido por US$ 4,3 milhões: pago em criptomoeda

A manchete fala por si: o maior diamante negro do mundo é vendido por Maior diamante negro do mundo é vendido por US$ 4,3 milhões, pago em criptomoeda!

O nome da pedra preciosa é “Enigma” e  pesa 555,55 quilates (111 gramas), de acordo com a casa de leilões Sotheby’s, que realizou a venda do diamante negro.

O Enigma foi nomeado o maior pedaço de diamante negro do mundo em 2006, pelo livro dos recordes Guinness.

diamante negro criptomoeda
Créditos: Sotheby’s

Na última quarta-feira (9) a casa de leilões confirmou que o diamante negro foi comprado através de criptomoeda. De acordo com a Sotheby’s, o diamante é “uma das maravilhas mais raras, com mais de um bilhão de anos, conhecida pela humanidade”.

No entanto, a casa não informou quem é o comprador que desembolsou US$ 4,3 milhões no maior diamante negro do mundo.

O empresário Richard Heart afirmou no Twitter ter ganhado o diamante e iria mudar nome do mineral para “HEX.com diamond”, em homenagem ao nome da sua blockchain.

Enigma não é o diamante mais caro vendido em criptomoeda

Contra-Capa-24
Créditos: Sotheby’s

A Sotheby’s, com mais de 300 anos de existência, começou a abrir seus negócios para universo das criptomoedas. No ano passado, a casa de leilão começou aceitá-las como forma de pagamentos no intuito de expandir sua base de clientes.

Além disso, a empresa iniciou os leilões de NFTs, tendo em vista o entusiasmo da comunidade de criptomoeda em relação a grandes itens.

Desse modo, em julho deste ano, de acordo com uma matéria do The Wall Street Journal, a Sotheby’s vendeu um diamante de 100 quilates por US$ 12,3 milhões, pago em criptomoeda.

Você também deve ler!

O maior diamante negro do mundo tem origem espacial

O Enigma é um diamante negro, ou seja, a forma mais dura de diamante natural, encontrada em depósitos sedimentares próximos, ou dentro, da superfície da Terra. Isso indica, portanto, que o mineral possa ter origem espacial.

“Acreditamos que esse tipo específico de diamante negro foi gerado por impactos de meteoros, produzindo, assim, deposição de vapores químicos naturais, ou possua uma origem extraterrestre. Possivelmente, explosões de supernovas formaram asteroides contendo diamantes que, eventualmente, colidiram com a Terra”, explicou a Sotheby’s.

Geralmente, a maioria dos diamantes são encontrados no subsolo, enquanto os diamantes negros não possuem os mesmos minerais dos diamantes convencionais.

De acordo com a Sotheby’s, diamantes negros, ou carbonados, possuem traços de nitrogênio e hidrogênio, abundantes no espaço estelar, assim como osbornita, uma variação de titânio encontrada em meteoros.

O Enigma pode ter origem brasileira

A Terra possui 4,5 bilhões de anos. A idade média dos diamantes negros giram em torno de 2,6 a 3,8 bilhões de anos.

Atualmente, esse tipo de mineral só é encontrado no Brasil ou na República Central Africana, cujos continentes eram conectados há mais de um bilhão de anos.

Esse supercontinente é conhecido como Rodinia, formado há 1,1 bilhão de anos e dividido há 750 milhões de anos.

Jazida de diamantes negros na cidade de Lençóis, na Bahia, na década de 1920.

De acordo com a Sotheby’s, isso é mais um fator para embasar a teoria que os diamantes negros vieram do espaço, pois a destruição desse supercontinente foi causada por meteoritos.

Entretanto, não há informação sobre a origem do diamante negro vendido por US$ 4,5 milhões, pois o Enigma é apenas uma peça de um mineral bem maior, que se encontra espalhado entre os dois países.

Fonte: Sotheby’s

Sobre o Autor

Redes Sociais:

Deixe seu comentário

X