Estúdios de jogos retiram suas equipes da Ucrânia

Estúdios de jogos retiram suas equipes da Ucrânia

Vlad Panchenko, CEO de uma empresa de tecnologia ucraniana, disse que levou mais de 100 de seus funcionários e suas famílias de Kiev para Montenegro há duas semanas em resposta à ameaça de invasão russa.

Para Vlad Panchenko, da empresa de ativos digitais DMarket, a decisão se resumiu a tentar assumir o controle de uma situação incontrolável. “Tenho que cuidar das pessoas, suas famílias e seus filhos”, disse Panchenko em entrevista a um jornal local. Ele espera que a realocação seja temporária e a orçou para dois meses.

Ninguém pode prever o que a pessoa que está governando a Rússia fará“, disse ele. Ele reconheceu a incerteza sobre a situação atual de Kiev. À época da entrevista ele disse que não sabia se o presidente russo, Vladimir Putin, usaria as forças russas que cercavam a Ucrânia para obter concessões ou realmente invadiria o país. Bom, agora sabemos que ele não estava blefando.

Mudanças para uma maior tranquilidade

Vlad Panchenko
Vlad Panchenko decidiu mudar sua equipe para longe da guerra

Panchenko disse que decidiu transferir sua equipe depois de perceber que seus funcionários passavam muito tempo se preocupando com a Rússia. “As pessoas estão falando sobre ‘O que vai acontecer?’ ou ‘Quando isso vai acontecer?’ e ‘O que vamos fazer?

Sua solução foi avaliar o custo da realocação e convencer seu conselho a aprovar pelo menos uma mudança temporária. Uma estadia de dois meses em Montenegro adicionou cerca de meio mês de custo ao orçamento anual da DMarket, um aumento suportável para uma maior tranquilidade, disse ele. “As chances de a Rússia invadir são de 20%”, disse ele. “Mas se eles invadirem, os riscos vão além do teto e as consequências para a empresa e para as pessoas vão além do teto.” Parece que ele tomou a decisão certa.

Enquanto a maioria dos cidadãos da Ucrânia não tem escolha a não ser ficar parado e torcer para que a situação não piore, alguns líderes empresariais são capazes de avaliar a difícil decisão de se mudar.

Outras empresas seguem o mesmo caminho

Jogo STALKER 2 teve seu desenvolvimento interrompido

Alexey Menshikov, que dirige o estúdio de jogos independente Beatshapers, disse a um site estrangeiro que seu estúdio tem um plano de “pior cenário”. Nesse caso, a ideia é se mudar para outro país. Mas espera que isso não seja necessário. Ele disse que seus 30 funcionários optaram em grande parte por ficar onde estão.

Uma das empresas de tecnologia da Ucrânia mais visíveis para o Ocidente, o estúdio de desenvolvimento GSC Game Word, está encerrando o desenvolvimento de uma sequência para a franquia S.T.A.L.K.E.R. Um representante do estúdio se recusou a comentar sobre como está lidando com a situação atual.

No início desta semana, uma empresa israelense de computação em nuvem disse que transferiria quase mil funcionários da Ucrânia para a Turquia por algumas semanas, de acordo com relatos da mídia local. Panchenko disse que os colegas inicialmente lhe disseram que ele estava exagerando, mas alguns também optaram por transferir suas equipes do país, pelo menos temporariamente.

Empresas já passaram por isso em 2014

Não é a primeira vez que isso acontece. Em 2014, após a invasão da Crimeia pela Rússia, um dos maiores estúdios de videogame da Ucrânia, a 4A Games, transferiu grande parte de sua equipe para Malta.

Seu CEO observou, na época, que eles se sentiam traidores, porque estavam deixando seu país em turbulência. Mas ponderou que era necessário manter a empresa viva. A 4A Games ainda está presente em Kiev. “Continuamos monitorando a situação lá enquanto apoiamos nossa equipe e suas famílias da maneira que podemos”, disse um representante do atual proprietário da empresa, Sabre Interactive. “A 4A e os outros estúdios de propriedade da Sabre com presença em Kiev têm a opção de trabalhar em um de nossos outros locais no exterior, se assim o desejarem.

Infelizmente, ao que parece, Vladimir Putin não vai se dobrar às inúmeras sanções impostas pelos Estados Unidos e seus aliados. Então, é provável que a guerra na Ucrânia se prolongue por mais algum tempo.

Sobre o Autor

Cearense. 34 anos. Apaixonado por tecnologia e cultura. Trabalho como redator tech desde 2011. Já passei pelos maiores sites do país, como TechTudo e TudoCelular. E hoje cubro este fantástico mundo da tecnologia aqui para o HARDWARE.
Leia mais
Redes Sociais:

Deixe seu comentário

X