Samsung e Xiaomi, juntas, lançaram quase 100 novos celulares em 2020

Samsung e Xiaomi, juntas, lançaram quase 100 novos celulares em 2020

Samsung e Xiaomi estão entre as 3 maiores fabricantes de smartphones no mundo todo. A gigante sul-coreana ocupa a primeira posição, vendendo mais celulares que qualquer outra marca. Já a empresa chinesa está na terceira colocação e recentemente alcançou a importante marca de valer US$ 100 bilhões.

O “segredo” para todo esse sucesso reside, em parte, no lançamento de diversos modelos de smartphones, indo dos mais básicos até os mais caros e potentes. Juntas, as duas empresas lançaram em 2020 quase 100 novos modelos de smartphones. A Samsung lançou 45 modelos e a Xiaomi 48, totalizando 93 novos smartphones no mercado.

A Samsung já tem o costume de lançar muitos smartphones todos os anos. Em 2019, por exemplo, ela lançou 38 modelos. Em 2020 aumentou para 45. É um crescimento de 18%. Esse ano tivemos o lançamento do Galaxy S20 e Galaxy Note 20. Sem falar nos smartphones dobráveis, que é o caso do Galaxy Z Flip e também Galaxy Z Fold.

Galaxy Note 20 foi um dos smartphones lançados pela Samsung em 2020

Mas o grosso dos smartphones da Samsung se concentra nos modelos intermediários e de entrada. A linha “M” e a linha “A” tiveram inúmeros novos modelos em 2020. Só para citar alguns exemplos, tivemos os Galaxy M01, M01 Core, M11, M21, M21s, M31, M31s, M31 Prime e M51.

Já a linha mais básica e barata foi composta por modelos como o Galaxy A01, A01 Core, A02s, A11, A21, A21s, A31, A41, A51 e A71. Ufa! Todos estes possuem pequenas diferenças entre si, como aumento de memória RAM e capacidade de armazenamento, tamanho de tela ou bateria maior ou menor.

Já a Xiaomi deu um grande salto em relação ao ano passado. Em 2019 ela lançou “apenas” 34 smartphone e, em 2020, pulou para 48 modelos anunciados. Esse número fica ainda mais gritante quando comparamos com 2017, onde a empresa lançou 17 novos modelos de smartphones.

Dentre os aparelhos mais proeminentes da Xiaomi, podemos citar o Mi 10 e o Poco X3, que começou a ser vendido no Brasil há apenas 2 meses. Mas um dos motivos para a Xiaomi ter lançado tantos celulares é que ela simplesmente dá nomes diferentes para o mesmo celular.

O Xiaomi Mi 10 foi um dos destaques da fabricante chinesa

Para exemplificar: o Redmi K30S, vendido na China, é o mesmo Xiaomi Mi 10T, vendido na Europa. A única coisa que muda é o nome. O Redmi Note 9 4G, vendido na China, foi rebatizado de Redmi 9 Power em outros mercados. E ele foi baseado, por sua vez, em outro smartphone da companhia, o Poco M3. Outro exemplo é o Poco C3 que, em alguns mercados ganhou o nome de Redmi 9C.

Mesmo assim, é uma quantidade bem grande de smartphones lançados em um único ano. Mas 2020 ainda não acabou. No dia 28 de dezembro a Xiaomi vai lançar o Mi 11, que será o seu mais novo modelo top de linha, com processador Snapdragon 888, tela de 120 Hz e câmera tripla de 108 megapixels.

Sobre o Autor

Cearense. 34 anos. Apaixonado por tecnologia e cultura. Trabalho como redator tech desde 2011. Já passei pelos maiores sites do país, como TechTudo e TudoCelular. E hoje cubro este fantástico mundo da tecnologia aqui para o HARDWARE.
Leia mais
Redes Sociais:

Deixe seu comentário

X