blank blank

Usando o Kurumin BootServer

Por:
Usando o Kurumin BootServer

O Knoppix inclui um script chamado “knoppix-terminalserver” desde a versão 3.4. Este script segue uma abordagem diferente do Kurumin Terminal Server, que usa o LTSP.

A idéia do Kurumin Terminal Server é oferecer uma solução para máquinas antigas. O servidor roda todos os aplicativos e manda apenas as imagens para os clientes, permitindo que mesmo um 486 seja usado como cliente, com um bom desempenho.

O knoppix-terminalserver também é uma solução para que os clientes dêem boot via rede, mas ele é mais voltando para máquinas mais novas. O servidor apenas compartilha uma pasta com uma cópia do CD do Knoppix. Os clientes rodam o sistema como se estivessem dando boot através do CD, rodando tudo localmente.

A maioria das placas de rede atuais, principalmente as onboard, suportam boot via rede usando o protocolo PXE. Ao habilitar o knoppix-terminalserver, basta configurar as máquinas para dar boot via rede no setup, ou pressionar a tecla F12 durante o boot.

gdh1
Existem algumas situações onde isto pode ser muito útil. Por exemplo, imagine um laboratório de informática de uma escola, com máquinas relativamente novas, mas todas rodando Windows e sem drive de CD-ROM. Você é convidado para ministrar um curso de Linux e precisa arrumar alguma forma prática de rodar Linux nas máquinas.

Dando boot pela rede, as máquinas vão rodar o sistema como se estivessem dando boot pelo CD-ROM. A partir daí você pode redimensionar a partição do Windows e instalar em dual boot ou simplesmente dar as aulas com tudo rodando via rede.

A partir da versão 3.3 este recurso está disponível também no Kurumin. Diferentemente do Knoppix, os servidores necessários não vem pré-instalados, por isso ele só funciona com o Kurumin instalado no HD. Você pode chamar o ícone mágico dentro da seção de servidores, ou rodar o comando:

$ instalar-kurumin-bootserver

gdh2
A instalação consiste em instalar o pacote com os scripts, os pacotes dhcp3-server e tftpd-hpa e fazer uma cópia de um CD-ROM do Kurumin dentro da pasta /cdrom.

Para que os clientes possam dar boot via rede, é preciso compartilhar com eles uma cópia do CD do Kurumin. Esta cópia pode ser feita a partir de um CD-ROM gravado ou de um arquivo .iso do Kurumin. Não é necessário usar um CD da mesma versão do Kurumin. Você pode ter o Kurumin 3.0 instalado no servidor e compartilhar uma cópia do Kurumin 3.3 por exemplo, desde que as duas versões utilizem a mesma versão do Kernel. Por exemplo, toda a série 2.x do Kurumin usa o Kernel 2.4.22, enquanto a série 3.x usa o Kernel 2.4.25. O serviço não vai funcionar ao usar versões com versões diferentes do Kernel

Em seguida é chamado o script /etc/init.d/knoppix-terminalserver, uma adaptação do script original incluído no Knoppix. É ele quem faz a configuração dos servidores dhcp, tftp e nfs.

Ele começa perguntando qual faixa de endereços será usada pelos clientes. Tome o cuidado de usar uma faixa diferente da usada para os demais micros da rede:

gdh3
Em seguida vem a parte mais complicada, que é indicar os drivers de rede que serão incluídos na imagem de boot que será executada pelos clientes. Esta imagem precisa conter o driver para a placa de rede usada em cada cliente. Se você possui três clientes, um deles com uma placa com chip Via Rhine (módulo via-rhine), outro com uma SiS 900 onboard (módulo sis900) e o terceiro com uma Realtek 8139 (modulo 8139too) você precisará marcar os três.

gdh4
Além do servidor dhcpt e tftp, é usado também o servidor NFS que já vem instalado no Kurumin. O boot no cliente acontece da seguinte forma:

  1. No início do boot o cliente não possui software nenhum instalado, apenas o cliente PXE instalado no firmware da placa de rede. Ele começa enviando um pacote de broadcast para a rede, que é respondido pelo servidor dhcp.
  2. O servidor dhcp fornece ao cliente a configuração de rede que ele utilizará (IP, máscara, gateway, etc.) e o orienta a carregar uma imagem de boot compartilhada via tftp. Você pode verificar a configuração do dhcp dentro do arquivo /etc/dhcp3/dhcpd.conf

    gdh5

  3. O protocolo tftp é uma versão reduzida do ftp, uma forma simples de transferir arquivos via rede. A imagem de boot carregada pela estação contém uma versão do Kernel junto com alguns utilitários usados na parte inicial do boot.
  4. Ao carregar este Kernel, a estação passa para a instrução seguinte, que é acessar um compartilhamento de rede via NFS que contém o sistema que será carregado. Este compartilhamento pode conter uma versão qualquer do Linux, com suporte aos recursos que serão usados nas estações. Por exemplo, o LTSP usa uma mini distribuição que permite à estação dar boot e obter a tela de login do servidor. No caso do bootserver é compartilhada uma cópia do CD-ROM do Kurumin copiada para a pasta /cdrom.
  5. Ao montar o compartilhamento, a estação continua o boot como se estivesse inicializando o Kurumin a partir do CD, com a detecção de hardware e tudo mais. Diferentemente do LTSP, a estação apenas acessa um compartilhamento do servidor, todos os aplicativos são executados localmente.

gdh6
Você pode usar o boot via rede inclusive para instalar no HD (nas estações). Neste caso, tome o cuidado de não alterar a configuração da rede durante a instalação, caso contrário o cliente vai perder a conexão com o servidor e fim de jogo. Deixe para configurar a rede depois do primeiro boot.

Sobre o Autor

Redes Sociais:

Deixe seu comentário

blank