Importação, backup e restauração

O WordPress pode importar conteúdo de outros blogs, de diversos sistemas: Blogger (do Google), Blogware, DotClear, LiveJournal, entre outros, além do próprio WordPress, é claro; ou ainda de um feed RSS. No gerenciamento do blog, clique em “Import” (“Importar”), selecione o sistema e siga as instruções. Sempre que possível, todos os posts e comentários serão importados, mantendo os dados originais, como se fossem postados no seu novo blog um por um.

Para importar do WordPress, você deve primeiro ter exportado algum conteúdo. Isso pode ser feito clicando em “Exportar” na administração do blog antigo, para depois importar no novo. Ele salva num arquivo XML o conteúdo do blog, de forma um pouco limitada (como o tamanho máximo de 8 MB do arquivo XML, por exemplo, no WordPress 2.5). Esse arquivo serve como backup do conteúdo do blog.

Se você mudar de servidor, poderá recuperar o conteúdo parcialmente. O visual, temas, e configurações não são salvos ao fazer isso. Salve sempre a pasta do WordPress, com os temas e as devidas modificações que você por ventura tenha feito nos arquivos. O conteúdo do blog fica no banco de dados, e para isso você precisa fazer backup da base de dados.

A forma de backup varia de servidor para servidor, geralmente você tem opções no painel de administração fornecido pela sua hospedagem. Se não tiver muitas postagens no blog, pode ser até fácil migrar pela web, usando o phpMyAdmin, uma interface para manipulação dos bancos de dados MySQL.

Acesse o phpMyAdmin do seu banco de dados (usando a interface fornecida pelo seu provedor de hospedagem), selecione o banco de dados usado pelo WordPress (na lista à esquerda, no phpMyAdmin), e vá para a seção “Exportar”. Selecione todas as tabelas, deixe as opções padrões (geralmente não é necessário alterá-las); certifique-se apenas de deixar marcado SQL no tipo de exportação. Clique em “Executar” na parte inferior direita da tela, para fazer a exportação:

78ac59e5

Ele vai retornar um longo texto, que será maior conforme maior a quantidade de postagens:

519d4d23

Copie tudo e salve como um arquivo de texto (de preferência em Unicode UTF-8, a menos que você tenha escolhido outra codificação). No outro servidor, com o banco de dados previamente criado, você deverá rodar esses comandos SQL para a criação das tabelas e inserção dos dados, exatamente como eram. Para isso, acesse o novo banco de dados com o phpMyAdmin, clique em “Importar” e localize o arquivo de texto salvo.

Concluída a importação, você deve ajustar o wp-config.php para acessar o novo banco de dados. Quando você acessa o WordPress com o banco de dados novo, ele sugere instalar o sistema (e criar as tabelas vazias, a estrutura usada por ele, etc), então é bom importar o conteúdo do banco de dados antes de acessar a página do novo blog. Isso evita que ele tente criar as tabelas usadas por ele, pois poderia ter conflito durante a importação – já que há comandos de criação das tabelas, e elas já existiriam.

Para importar só o conteúdo para um blog existente, você pode editar o arquivo SQL antes de importá-lo, removendo os comandos de criação das tabelas, mantendo apenas a inserção dos dados. Cuidado, pois alguns erros podem estragar o conteúdo do site, e se ele já estiver publicado (e divulgado) a coisa pode ficar feia.

Enfim, eis o WordPress, que ganhou uma grande força na recente versão 2.5. Aproveite!

Sobre o Autor

Redes Sociais:

Deixe seu comentário

X