Dicas para o Winecfg

Ao ser executado pela primeira vez, o Winecfg cria uma configuração utilizável para o Wine, permitindo que você execute muitos aplicativos sem precisar se preocupar em alterar as opções. Entretanto, você vai precisar dele ao tentar rodar algum aplicativo problemático, ou para solucionar problemas diversos de compatibilidade. Vamos então às dicas:

Depois das configurações básicas que vimos no tópico anterior, o próximo passo é a aba “Graphics”, que inclui um conjunto de opções importantes, sobretudo em jogos 3D. O default do Wine é tentar abrir os jogos em tela cheia, alterando o modo de exibição do vídeo. Entretanto, é possível também rodar os jogos em uma janela (usando a opção “Emular uma área de trabalho virtual”), o que soluciona alguns problemas de compatibilidade (nos casos em que o Wine não é capaz de chavear o vídeo para o modo correto), e permite que você faça outras coisas enquanto está jogando.

A opção “Programas DirectX podem impedir que o mouse deixe a janela” determina se os jogos rodando em janelas poderão ou não bloquear o cursor do mouse. Marcar essa opção soluciona casos em que o jogo deixa de responder quando o cursor sai da área da janela.

Finalmente, temos a opção de ativar o suporte a vertex shaders e pixel shaders, caso suportados pela placa de vídeo. Os shaders são suportados no Linux tanto em placas com chipset nVidia, quanto nos chipsets recentes da Intel. Entretanto, o suporte no Wine é ainda incipiente, o que cria muitos problemas de compatibilidade. Nesses casos, basta desativar a opção e desativar o uso de shaders dentro da configuração do jogo.

1c1c7edd

42dd34a2

Sobre o Autor

Redes Sociais:

Deixe seu comentário

X