Alguns aplicativos

Concluindo, aqui vão algumas sugestões de aplicativos para aproveitar melhor seu “novo” Milestone:

RockPlayer: Enquanto ninguém aparece com uma versão portada do Mplayer ou do VLC para o Android, a melhor opção de player de vídeo com suporte a múltiplos formatos é o RockPlayer. Ele é um player bastante competente, oferecendo suporte a quase todos os formatos de vídeo.

O RockPlayer oferece duas opções de decodificação: O “System Mode” e o “Software Mode”. O System Mode realiza a decodificação dos vídeos via hardware e além de ser mais rápido, consome menos bateria. O grande problema é que ele fica restrito aos formatos suportados pelo SoC usado, que no caso do Milestone representa uma lista bastante limitada.

O “Software Mode” é o grande diferencial, uma engine de decodificação baseada no ffmpeg que é capaz de decodificar praticamente qualquer coisa que tentar abrir. Graças ao poder de fogo dos processadores, os aparelhos da geração atual são bastante competentes em exibir vídeos mesmo usando a decodificação via hardware. Com o overclock, o Milestone pode exibir facilmente vídeos de 854×480.

Google Earth: O Google Earth é um verdadeiro teste de fogo para qualquer smartphone, devido ao uso intensivo de processamento e de 3D para a exibição. Por outro lado, o resultado final impressiona e embora ele ocupe nada menos que 22.5 MB, você vai provavelmente querer mantê-lo instalado, nem que seja apenas para impressionar os amigos. Devido aos requisitos mínimos impostos pelo Google, ele não está disponível no Market para muitos aparelhos, mas você pode baixar o .apk manualmente no: http://sites.google.com/site/droidlife10/home/google_earth.apk

Astro: Este é mais um aplicativo gratuito que merece entrar para o cinto básico de utilidades. Ele é um gerenciador de arquivos locais, que além das funções básicas de navegar, mover e deletar arquivos, inclui visualizadores para diversos formatos de arquivos e suporte ao acesso de compartilhamentos de rede.

TxtPad Lite: Um editor de texto simples, com suporte a múltiplos encodings (UTF, ISO, etc), copiar e colar, seleção da fonte, funções de busca e substituição, etc. o que o tornam mais um aplicativo básico para o kit de ferramentas, servindo para editar arquivos de texto criados no PC (bem como páginas web ou código) e para fazer anotações. Como um bônus, ele oferece a opção de enviar os arquivos de texto por e-mail ou SMS, o que permite que ele seja usado também como um compositor de mensagens.

Remote RDP Lite: Permite acessar máquinas Windows remotamente, via RDP. Ele permite acessar seu PC remotamente para realizar tarefas rápidas, bem como administrar servidores remotos. A principal limitação é que é muito difícil de utilizar as seções em aparelhos com telas capacitivas (ou seja, quase todos os modelos atuais), pois é quase impossível clicar em pontos específicos, como seria possível usando uma stylus em aparelhos com telas resistivas. Ele oferece funções de zoom e arrasto, que torna as seções mais ou menos utilizáveis, mas que em compensação o obrigam a fazer muitos malabarismos para conseguir fazer qualquer coisa. Em resumo, é um utilitário bem interessante, mas que você acaba não utilizando muito.

androidVNC: Similar ao Remote RDP, mas agora para seções do VNC.

ConnectBot: O obrigatório cliente SSH em modo texto para acesso a PCs e servidores Linux. É recomendável usá-lo em conjunto com o Full Keyboard, que oferece acesso às teclas de atalho usadas nas seções.

QuickSSHd: Este é um servidor SSH baseado no Dropbear, que permite executar comandos remotamente e transferir arquivos via SFTP. Ele funciona normalmente em aparelhos sem acesso de root, mas nesse caso você não tem acesso às pastas do sistema. Para quem não gosta de soluções prontas, é possível também instalar o Dropbear diretamente, seguindo as instruções do http://cri.ch/sven/doku.php/blog/running-dropbear-on-android.

SwiFTP: Uma boa pedida para facilitar a cópia dos arquivos para o cartão. Ele é um aplicativo gratuito que permite o acesso aos arquivos do cartão (e também a pastas da memória interna) via FTP, transformando o telefone em um mini-servidor de arquivos, acessível via Wi-Fi.

Ao abrí-lo pela primeira vez, indique o usuário e senha de acesso e a pasta que será compartilhada. Para ter acesso direto aos arquivos do cartão, por exemplo, use a pasta “/sdcard”. Uma vez ativo, ele mostrará o endereço de rede do aparelho, permitindo que você o acesse a partir e qualquer cliente FTP ou navegador com suporte ao protocolo (ftp://endereço:porta, como em ftp://192.168.1.3:2121). Existe também uma opção de acesso via proxy, que permite acessar um aparelho dentro de uma rede interna através da web.

Google Chrome to Phone: Este aplicativo lança mão da função de recebimento de notificações disponível a partir do Froyo, permitindo que você “empurre” links no navegador, rotas criadas no google Maps e outras informações diretamente do Chrome rodando no PC para o telefone, sem precisar ficar escrevendo links manualmente. Ele funciona em conjunto com a extensão “Chrome to Phone” do Google Chrome, disponível no http://chrome.google.com/extensions/.

Sobre o Autor

Redes Sociais:

Deixe seu comentário

X