Mais lançamentos

Além do Llano de 4 núcleos, destinado aos desktops mid-range, a AMD está trabalhando também em uma versão reduzida, com apenas 2 núcleos e uma GPU com 240 unidades de processamento, destinada ao low-end. Inicialmente, os modelos do Llano com 2 núcleos serão baseadas em versões castradas do Llano grande, com dois dos núcleos desabilitados, aproveitando as unidades defeituosas. Entretanto, a AMD logo fará a transição para a produção da versão menor, que será naturalmente bem mais econômica de se
produzir.

Com isso, a linha da AMD passa a ser composta pelo Brazos nos netbooks e tablets e o Llano nos desktops e notebooks low-end a mid-range. Para o high-end a AMD está preparando mais uma arquitetura, o Bulldozer, que em vez de ser uma APU como o Llano será uma CPU especializada baseada em uma nova arquitetura, sucessora da velha plataforma K10 usada desde o Phenom. Por ser destinado a desktops high-end, faz sentido que o
Bulldozer não trará uma GPU integrada, já que este é o público que normalmente prefere comprar uma GPU high-end dedicada. No caso dele faz bem mais sentido dedicar todos os transistores ao processador.

Os primeiro produtos baseados no Bulldozer devem chegar ao mercado ainda no terceiro trimestre de 2011. Para 2012 temos o passo seguinte dentro do roadmap da AMD, o Trinity, que combinará o processamento do Bulldozer com uma nova GPU, ainda não anunciada, resultando em uma plataforma com mais poder de processamento e mais processamento 3D, destinada a concorrer com o Ivy Bridge da Intel.

O nome “Trinity” não se refere a um local específico do Texas como no caso dos nomes usados anteriormente, mas sim ao coletivo de três locais, dica de que o plano da AMD é unificar a arquitetura a partir do Trinity, passando a utilizar a mesma plataforma para o low-end, mid-range e high-end, em vez de manter linhas separadas, como o Llano e o Bulldozer. Considerando o quão severamente o Llano é limitado pelo barramento com a memória, a AMD pode muito bem optar por inclui um
cache L3 compartilhado entre a CPU e a GPU, ou mesmo incluir uma porção de memória RAM dedicada dentro do próprio processador, assim como a Intel vem planejando fazer no Haswell.

No geral, o roadmap da AMD é bastante interessante, pois combina APUs moderadamente poderosas e uma linha completa de GPUs, uma posição sob certos pontos de vista até melhor que a da Intel, que embora possua no momento processadores mais poderosos, não tem como concorrer diretamente com as GPUs da AMD.

Alguém interessado em montar um PC de baixo custo, verá no Llano uma opção para ter um desempenho 3D razoável sem precisar investir em uma GPU dedicada, enquanto alguém interessado em um PC high-end provavelmente combinaria um Core i7 ou i5 com uma GPU dedicada da AMD, fazendo com que ganhem em ambos os casos.

Sobre o Autor

Redes Sociais:

Deixe seu comentário

X