As mudanças do P55

O P55 é um chip relativamente simples, que concentra as portas USB, SATA e 8 linhas PCI Express adicionais, que é conectado ao processador através de um link DMI de 2 GB/s. Seguindo a mudança, o chip passou a ser chamado de Platform Controller Hub (PCH), indicando a redistribuição das funções:

7e44322e

Com mais funções sendo movidas para dentro do processador, as placas baseadas no P55 se tornaram bem mais simples, com um layout mais limpo que nas plataformas anteriores, com a posição central onde ficaria a ponte norte do chipset dando lugar a um espaço quase vazio com apenas alguns chaveadores ou reguladores de tensão.

Um bom exemplo é a MSI P55-GD65, onde os dois grandes dissipadores com o heat-pipe são destinados aos reguladores de tensão, e o P55 propriamente dito (posicionado entre os dois slots PCIe) recebe apenas um dissipador simples:

359e5cd

Assim como todas as placas baseadas no P55 que utilizam dois slots PCIe, ela utiliza uma configuração compartilhada, onde cada slot recebe 8 linhas. A divisão é feita por um quarteto de switchs PCIe instalados na placa:

1b34db9d

A ideia de dividir as linhas PCIe entre dois slots nunca soa muito bem, mas como o P55 utiliza o PCIe 2.0, a perda acaba não sendo muito grande, já que com o dobro da banda por linha, um slot PCIe 2.0 x8 oferece a mesma taxa de transferência que um slot PCIe x16 antigo.

O uso dos switchs PCIe aumenta o custo da placa, por isso os fabricantes geralmente os utilizam apenas em placas de médio e alto custo. No caso das placas mais baratas a solução mais comum é ligar as 16 linhas oferecidas pelo processador ao primeiro slot e equipar o segundo slot com apenas 4 linhas roubadas do chipset P55 (o “x16, x4” que aparece nas especificações). No caso delas você encontrará um “PCIEX4” decalcado no segundo slot:

1b1a6869

Algumas placas, como por exemplo a Gigabyte P55-UD6 combinam o uso dos switchs com o uso das 4 linhas roubadas do chipset para oferecer 3 slots x16. Nesse caso, os dois primeiros oferecem 8 linhas e o terceiro oferece 4 linhas.

Uma quarta possibilidade, esta restrita apenas às placas high-end é combinar o chipset P55 com um chip nForce 200 (como no caso da EVGA P55 FTW 200), que oferece 32 linhas PCIe adicionais, permitindo o uso de dois slots x16. Nesse caso, o chip nForce 200 é conectado ao processador através das 16 linhas disponibilizadas por ele, criando uma solução estranha, onde as placas possuem 32 linhas até o chip, mas apenas 16 linhas dele até o processador. Como pode imaginar, esse cruzamento melhora apenas a comunicação entre as placas, mas não faz nada para melhorar a comunicação entre elas e o processador. Você não vai encontrar o nForce 200 em muitas placas P55, pois essa é uma solução que realmente não faz sentido.

Continuando, é importante enfatizar também que o fato de usar dois ou três slots não torna a placa automaticamente compatível com o SLI, já que é necessário que o fabricante submeta a placa ao processo de certificação e pague os royalties à nVidia. Sem isso, uma flag no BIOS bloqueia a ativação do SLI por parte dos drivers, muito embora você ainda possa usar a segunda placa para o processamento dos efeitos de física (Physics). O processo de suporte ao CrossFire X por outro lado é bem mais simples, o que faz com que quase todas as placas dual-slot ofereçam suporte a ele.

Sobre o Autor

Redes Sociais:

Deixe seu comentário

X