Entendendo os processadores

Por:

O processador é sempre o componente mais enfatizado em qualquer PC. Ao comprar um desktop ou notebook, quase sempre a primeira informação que se verifica é o modelo e/ou clock do processador. Além de ser o encarregado de processar a maior parte das informações, ele é o componente onde são usadas as tecnologias de fabricação mais recentes.

Existem no mundo apenas três empresas com tecnologia para fabricar processadores competitivos para micros PC: a Intel, a AMD e a VIA. Antigamente tínhamos outros fabricantes, como a IDT (que fabricou o IDT C6, concorrendo com o Pentium 1), a Texas Instruments (que fabricou chips 386 e 486), a Cyrix (que foi comprada pela VIA), a Transmeta (fabricante do Crusoé) e até mesmo a IBM. Entretanto, com o passar do tempo todas foram empurradas pra fora do mercado, deixando apenas a Intel e a AMD brigando pela supremacia e uma pequena VIA lutando para sobreviver.

3f77ec46

Athlon X2 e Pentium D

Mais do que em qualquer outro componente, os preços dos processadores variam brutalmente de acordo com o modelo. Temos desde processadores de baixo custo, como os diferentes modelos do Sempron e do Celeron, que chegam a ser vendidos por menos de 40 dólares nos EUA, até processadores high-end, como os modelos mais caros do Core i7, que chegam a custar US$ 999.

O principal motivo de tamanha disparidade é a necessidade dos fabricantes de adaptarem seus produtos a diferentes faixas de mercado, que vão desde os PCs de baixo custo, que são vendidos por menos de 800 reais, até estações de trabalho ou PCs para jogos que chegam a custar mais de 5 mil. Muda o número de núcleos, a quantidade de cache e o clock dos processadores, mas a arquitetura usada continua quase sempre a mesma. Em muitos casos, os processadores de baixo custo são apenas versões castradas de chips mais rápidos, com parte dos componentes desativados, uma estratégia usada tanto pela Intel quanto pela AMD.

Com tantos processadores disponíveis no mercado, entender as diferenças entre os diferentes modelos dentro de cada geração pode parecer impossível, mas na verdade não é tão difícil assim, já que os modelos são ramificações de algumas poucas arquiteturas. Vamos começar com um resumo rápido:

Sobre o Autor

Redes Sociais:

Deixe seu comentário

X