Primeiro teste

Depois de fazer um monte de Hello Worlds, Hola Mundos e até Ciao Mundi! Aprendi um pouco sobre os rudimentos do Flex e do ActionScript. Por exemplo, eu não sabia o que era uma linguagem fortemente tipada, acabei descobrindo o que era ao estudar o AS (ActionScript). Outra coisa interessante que aconteceu, foi relembrar o C, na forma que se inicia as variáveis.

A pouca experiência com o Python me ajudou a entender a orientação a objetos e o funcionamento das funções. Uma dica que dou é que se você quer aprender a programar, procure estudar a essência e não absolutamente uma linguagem. Estude quantas puder, quando mais situações diferentes e soluções diferentes você lidar, mais compreenderá a programação de um modo global.

Voltando ao primeiro teste, depois de estudar códigos do estilo Hello World, passei a pedaços de outros códigos, descrevendo o funcionamento de funções específicas ao meu objetivo, que era importar uma maquete feita no Blender e poder deslocar o ponto de vista com a movimentação do mouse.

Testei o Papervision3D, o Away3D, o Altavista e até o Sandy3D. Em todos eu consegui fazer uma coisa e não conseguia outra. O problema não era o engine, mas sim, a minha falta de conhecimento em programação, nesse caso, em ActionScript. Mas quando estamos aprendendo, algo interessante acontece. A coisa é como se a aprendizagem obedecesse ciclos, a cada ciclo você volta aos antigos problemas. A parte legal é que toda vez que você se depara novamente com uma antiga tribulação ela parece quase ou totalmente trivial… é a mágica da compreensão!

Isso aconteceu no sentido de eu pular de um engine para o outro, até que consegui fazer a coisa funcionar no Papervision3D. Bastava fazer a maquete no Blender, exportá-la como um arquivo Collada (.dae) e importá-lo no meu arquivo .as com a biblioteca do Papervision3D atrelada.

O resultado foi esse:

m2587a0be

Xoxo o tema do meu Gnome né? Segundo um amigo meu é o tema quando dá erro de tema e fica sem tema… :). Mas eu vejo como um tema de macho. Gosto de uma área de trabalho espartana, onde as únicas coisas bonitinhas sejam as minhas obras… 😀

Voltando ao foco, esse foi o meu primeiro teste. Fiz uma maquete usando a tecnologia de Baking no Blender, e renderizando com Ambient Occlusion. Agora, parte do problema estava resolvido. Consegui criar um visualizador de edificações em tempo real pela internet e que não precisava de nada que o computador não tivesse, visto que pelo menos 97% dos computadores conectados na Web tem o Flashplayer instalados neles.

Fiquei imensamente contente por ter alcançado o objetivo primo. Lembrei de todas as vezes que estudei, os códigos que imprimi em folhas recicladas e as repetidas vezes que os li no banheiro do meu quarto 😛

Agora, faltava fazer uma maquete para demonstração bem caprichada.

Sobre o Autor

Redes Sociais:

Deixe seu comentário

X