Puppy Linux

O Puppy é uma distribuição minimalista independente, que utiliza um sistema próprio de gerenciamento de pacotes. Ele combina bem com o jeito Slackware de ser, oferecendo um sistema bastante simples, onde você pode manipular diretamente os componentes e entender como as coisas funcionam.

Ele é uma das distribuições Linux mais leves, o que o torna uma opção para uso em PCs antigos. O sistema é surpreendentemente compacto, incluindo um conjunto completo de softwares em uma imagem de apenas 95 MB. Ele está disponível no: http://puppylinux.com/

As versões são tipicamente disponibilizadas em pares, uma com uma versão atual do kernel e outra com uma versão mais antiga, compilada de maneira mais conservadora e destinada a máquinas antigas, onde a versão principal eventualmente apresente problemas. No caso da versão 4.1.2, por exemplo, a versão principal é a puppy-4.1.2-k2.6.25.16-seamonkey.iso” e a versão conservadora é a “puppy-4.1.2retro-k2.6.21.7-seamonkey.iso”.

O “2.6.25.16” indica a versão do kernel usada, enquanto o “seamonkey” indica que as imagens incluem o Seamonkey (a versão original do Mozilla, que inclui o cliente de e-mails, o livro de endereços e o editor HTML), usado como navegador. Está disponível também o “puppy-unleashed”, um conjunto de pacotes e scripts que permite gerar uma versão personalizada do Puppy, com os pacotes desejados.

Durante o boot, ele pergunta sobre o mouse e sobre o layout do teclado. Em muitas máquinas, ele é capaz de detectar o vídeo automaticamente, assim como em outras distribuições atuais, mas em outras ele exibe um wizard simples, perguntando qual resolução usar:

m7fa04c6e

A possibilidade de indicar a resolução manualmente ajuda bastante ao rodar o sistema em micros antigos, que muitas vezes usam placas de vídeo sem suporte adequado no Linux ou monitores sem suporte a DDC (onde o sistema não tem como detectar a resolução automaticamente). Muitas distribuições atuais falham nessas condições, mas no Puppy basta indicar a resolução manualmente.

Outra opção que você talvez estranhe é a possibilidade de escolher entre dois servidores gráficos. Além do Xorg, que é o servidor padrão, usado em outras distribuições, o Puppy inclui também o “Xvesa”, que é um servidor gráfico mais simples e leve, que simplesmente utiliza o driver VESA para acesso à placa de vídeo. Ele é limitado com relação ao desempenho e às resoluções suportadas, mas oferece a vantagem de ser mais leve e funcionar em praticamente qualquer placa de vídeo.

O boot do Puppy é surpreendentemente rápido, muito diferente da maioria dos live-CDs, onde o boot demora de dois a três minutos. O segredo é justamente o tamanho reduzido do sistema, que faz com que o PC tenha menos dados a ler no CD e menos instruções a processar.

Outra vantagem do tamanho reduzido é que o sistema é capaz de rodar inteiramente a partir da memória RAM, o que representa um salto adicional em termos de desempenho. Nas versões recentes, a cópia para memória RAM é feita automaticamente em PCs com a partir de 256 MB de RAM: o sistema fica uns 30 segundos no “copying to ram” no início do boot e, a partir daí, as coisas acontecem quase instantaneamente.

Sobre o Autor

Redes Sociais:

Deixe seu comentário

X