Personalizando o CD do Tiny Core

Como de praxe, o Tiny Core suporta diversas opções de boot, que podem ser usadas para configurar o sistema e solucionar problemas. Você pode ver a lista pressionando as teclas F2 e F3 na tela de boot. Para que ele pergunte a resolução (em vez de usar o default de 1024×768), por exemplo, use a opção “tinycore xsetup“.

É possível também fazer com que ele salve os módulos instalados e os arquivos salvos no diretório home em um pendrive ou em uma partição do HD usando as opções “tce=” e “home=”, como em “tce=sda1 home=sda1“. Isso faz com que ele crie dois diretórios na partição selecionada e passe a montá-los automaticamente nos boots seguintes.

Você pode também criar versões modificadas do CD, incluindo diretamente os módulos desejados (afinal, chega a ser um desperdício usar uma mídia para gravar apenas 10 MB 🙂 de forma bastante simples.

Comece (a partir de outra distribuição Linux) copiando o arquivo ISO para uma pasta qualquer e crie duas subpastas:

# mkdir tinyiso
# mkdir novo

Em seguida, monte o arquivo ISO na primeira pasta e copie os arquivos para a segunda:

# mount -o loop tinycore_1.3.iso tinyiso
# cp -a tinyiso/* novo/
# mkdir novo/tce/

Como pode imaginar, a pasta “novo” contém os arquivos do nosso novo ISO. A pasta “tce” que criamos no último comando é a pasta onde o sistema procura os módulos durante o boot. Basta colocar todos os módulos desejados dentro dela para que o sistema os ative automaticamente. Você pode baixar os módulos no:
http://distro.ibiblio.org/pub/linux/distributions/tinycorelinux/tce.html

Muitos dos módulos dependem de outros módulos (a maioria dos aplicativos gráficos precisam do “gtk+-2” e do “glib2”, por exemplo), por isso é importante checar o arquivo de informações de cada um e baixar também as dependências, citadas no campo “requires”.

Depois de terminar, use o comando a seguir para gerar o novo ISO. O “MeuTiny” especifica o nome do projeto, o “tiny.iso” é o arquivo que será gerado e o “novo/” é o diretório onde estão os arquivos:

mkisofs -l -J -V MeuTiny -no-emul-boot -boot-load-size 4
-boot-info-table -b boot/isolinux/isolinux.bin -c
boot/isolinux/boot.cat -o tiny.iso novo/

Uma observação é que os arquivos “.tce” são descompactados na memória no início do boot (assim como o kernel) por isso eles acabam consumindo um volume três vezes maior (aproximadamente) de memória que os arquivos originais. Em outras palavras, se você colocar 50 MB de módulos dentro da imagem, o sistema vai consumir 150 MB a mais de RAM no boot.

Para reduzir o consumo de memória ao usar muitos módulos, existe a opção de usar os módulos TCZ, que são montados diretamente (rodando a partir do CD), reduzindo o uso de memória.

Existe também a possibilidade de instalar o sistema no HD ou em um pendrive. Nesse caso, você precisa copiar a pasta “boot” e a pasta “tce” (caso usada) para o diretório raiz da partição e fazer uma instalação simplificada do grub, para que ela se torne inicializável (como detalhado no http://tinycorelinux.com/install.html).

É possível também instalar o Tiny Core em “dual boot” com outra distribuição Linux já presente no HD. Nesse caso, a instalação consiste em apenas copiar os arquivos “bzImage” e “tinycore.gz” para dentro da pasta “/boot” e adicionar uma seção adicional no final do arquivo “/boot/grub/menu.lst” da distribuição instalada, como em:

title TinyCore
uuid 77e43f2e-063f-4e4f-8708-be403c49a492
kernel /boot/bzImage quiet xsetup
initrd /boot/tinycore.gz

A opção “uuid” é usada no caso de distribuições que usam UUIDs para identificar as partições, como no caso do Ubuntu. Basta copiar o valor do UUID a partir da entrada principal. A opção “xsetup” faz com que ele exiba o configurador do Tiny X no boot, permitindo que você ajuste a resolução do vídeo.

Para completar, crie os diretórios “/tce” e “/home/tc” no diretório raiz da partição, para permitir que o Tiny Core salve os módulos instalados e os arquivos do home:

# mkdir /tce
# mkdir /home/tc

Opcionalmente, você pode criar o arquivo “mydata.tgz”, que é usado pelo Tiny Core para salvar os arquivos e configurações ao marcar a opção “backup” no menu de desligamento:

# touch mydata.tgz

Essa instalação em “dual boot” do Tiny Core funciona muito bem como um sistema de instant-on, para quando quiser apenas fazer alguma tarefa rápida ou ouvir música (instale o “audacious” pelo gerenciador). O boot é mesmo muito rápido.

Sobre o Autor

Redes Sociais:

Deixe seu comentário

X