Samba, parte 5: Dicas e configurações adicionais

Samba, parte 5: Dicas e configurações adicionais

Clique aqui para ler a quarta parte

A configuração do Samba que vimos até aqui é voltada para a configuração de servidores de arquivos. Como você viu, é possível gerar rapidamente tanto configurações básicas, que fazem com que o Samba simplesmente compartilhe algumas pastas, sem muita segurança, quanto configurações muito mais complexas, com o uso de um PDC, perfis móveis e tudo mais.

Entretanto, imagine que você precisa permitir que os usuários também criem compartilhamentos em suas estações de trabalho Linux, assim como no Windows. Não seria muito prático ter que ensiná-los a usar o Swat ou a editarem manualmente o arquivo smb.conf. Precisaríamos de algum sistema mais simples para a criação dos compartilhamentos.

O KDE possui um módulo que resolve este último problema, permitindo que os usuários compartilhem arquivos dentro dos seus respectivos diretórios de usuário de uma forma bastante simples, algo parecido com o que temos no Windows. Para que este recurso funcione, você deve instalar o módulo de compartilhamento de arquivos do Konqueror. No Debian, ele é fornecido pelo pacote “kdenetwork-filesharing“, que pode ser instalado pelo apt-get, juntamente com o servidor Samba:

# apt-get install kdenetwork-filesharing samba

Em outras distribuições, ele é incluído diretamente no pacote “kdenetwork“, que faz parte da instalação básica do KDE. Nesses casos, o módulo já vem ativado e você precisa instalar apenas o pacote do servidor Samba.

Como os usuários podem apenas compartilhar seus próprios arquivos, a possibilidade de danos ao sistema é pequena. Se você tiver um firewall isolando a sua rede local da internet, você poderá conviver com isso sem muitos sustos. 🙂

Dentro do “Centro de Controle do KDE” (em cada estação), acesse a seção “Internet & Rede > Compartilhamento de arquivos”. Clique no “Modo administrador”, forneça a senha de root e marque a opção “Compartilhamento simples (habilite o compartilhamento simples, para permitir que os usuários compartilhem pastas de sua pasta pessoal (home), sem saberem a senha de root.)”.

No botão “Usuários permitidos” você tem a opção de autorizar todos os usuários (permitir a todos os usuários compartilhar pastas) ou autorizar apenas os usuários de um determinado grupo. Neste caso, use o “users-admin” ou outro programa de configuração de usuários e grupos para criar um novo grupo e adicionar os usuários desejados a ele:

7a637451

A partir daí os usuários poderão compartilhar pastas simplesmente acessando a aba “Compartilhar” dentro das propriedades de cada uma e ativando a opção “Compartilhado”:

m761ee28e

Este compartilhamento do KDE faz, na verdade, um duplo compartilhamento. Além do Samba, os compartilhamentos ficam disponíveis na rede através do NFS, permitindo que você possa escolher qual protocolo prefere usar em cada caso. Lembre-se de que, se você não quiser o compartilhamento via NFS, basta desativar (ou desinstalar) o serviço “nfs-kernel-server” (ou “nfs”, nas distribuições derivadas do Red Hat). Naturalmente, para que o compartilhamento funcione, você deverá ter o servidor e o cliente Samba instalados no sistema e manter o serviço SMB ativo.

Sobre o Autor

Redes Sociais:

Deixe seu comentário

X