Apresentando o Eyefinity

O crescimento no poder de processamento entre as 58xx e 59xx trouxe um problema para a AMD, que é como justificar os upgrades, já que a predominância de títulos portados dos consoles (que possuem GPUs muito mais modestas) e a preocupação dos desenvolvedores em manterem os jogos compatíveis com PCs moderadamente antigos faz com que placas de duas ou até mesmo três gerações atrás ainda sejam capazes de rodar satisfatoriamente a maioria dos jogos.

Junto com os esforços em relação ao DirectX11 e aos aplicativos capazes de usar o processamento da GPU, a AMD passou a enfatizar o uso de múltiplos monitores, através do Eyefinity, que permite a conexão de até 6 monitores na mesma GPU, usando links DisplayPort independentes, que podem ser usados tanto para criar uma área de trabalho com vários monitores quanto para estender a área de visão em jogos, criando um ambiente imersivo:

m61ba5fce

A ideia básica é que com mais monitores a área a ser renderizada é proporcionalmente maior, o que exige mais processamento e mais memória, criando assim um novo ciclo de upgrades. Subitamente, aquela Radeon HD 4850 que o vinha atendendo tão bem a 1280×800, começa a parecer ultrapassada, já que você passa a procurar por placas capazes de manter um bom FPS com três monitores.

O Eyefinity está disponível a partir da Radeon HD 5870, com suporte a 3 monitores na versão regular da placa (que possui duas saídas DVI, uma HDMI e uma DisplayPort, com suporte ao uso simultâneo da DisplayPort e mais duas das outras saídas) e até 6 monitores na Radeon HD 5870 Eyefinity Edition, que inclui 6 portas Mini DisplayPort. O principal obstáculo é que enquanto os monitores com interface DisplayPort não estiverem largamente disponíveis, você precisará de adaptadores DisplayPort > DVI, que ainda são caros.

A presença do Eyefinity não deixa de oferecer possibilidades interessantes, já que permite criar estações de trabalho com 3 ou mais monitores utilizando uma única placa de vídeo, mas a utilidade nos jogos é contestável, devido às bordas dos monitores.

Usar seis monitores em grid, como na foto anterior, é uma ideia que só funciona nos press-releases, já que as bordas tornam o uso quase impraticável. Na vida real, seria muito mais inteligente comprar um único monitor full-HD e caprichar nos efeitos visuais.

Uma possibilidade mais prática é o uso de três monitores para aumentar a visão periférica, o que pode ser bastante útil em jogos de tiro e de corrida. Com o lançamento das primeiras placas, a AMD passou a trabalhar junto aos desenvolvedores, de forma de muitos títulos já oferecem suporte à área de visão estendida, realmente apresentando uma área útil maior, em vez de simplesmente esticar a imagem.

Sobre o Autor

Redes Sociais:

Deixe seu comentário

X