Configurando o KDE

Configurando o KDE
O KDE é baseado na biblioteca Qt, desenvolvida pela TrollTech. Em 1997, quando o KDE começou a ser desenvolvido, a biblioteca Qt era de uso gratuito, mas não tinha o código aberto, o que gerou uma grande polêmica e levou ao surgimento do Gnome, baseado na biblioteca GTK, a mesma usada por programas como o Gimp.

Com o crescimento do KDE e a possibilidade de formar uma grande comunidade de desenvolvedores, que impulsionariam o desenvolvimento e o uso da sua biblioteca, a TrollTech resolveu liberar o Qt sob a GPL em setembro de 2000, o que removeu este entrave inicial. O Gnome continuou sendo desenvolvido, mas agora com o objetivo de ser uma interface mais fácil de usar, não como um concorrente “livre” ao KDE, já que agora ambos são :).

As configurações do KDE são organizadas em um utilitário central, o Kcontrol (Centro de Controle do KDE). À primeira vista, o Kcontrol parece simples. Do lado esquerdo da tela temos uma lista dos módulos disponíveis, organizados em categorias. Clicando em qualquer um, você tem acesso às opções no frame do lado direito. Caso tenha dúvidas sobre um determinado módulo, você pode clicar na aba “Help”, que exibe a ajuda. Os módulos mais simples possuem apenas um texto curto explicando para que servem, mas alguns possuem manuais bem completos. Vale a pena dar uma olhada.

O Kcontrol tem vários quartos escuros e passagens secretas; então, mesmo que você já use o sistema a algum tempo, é provável que você não conheça muitas das opções.

Por exemplo, existem dois modos de exibição para as opções dentro do Painel, em Árvore ou em Ícones, que você define na opção “Ver > Modo”, na janela principal. Como são muitas opções, muita gente prefere o modo de exibição em ícones, onde ao clicar sobre uma seção, você passa a ver apenas as opções referentes a ela. Você pode definir também o tamanho dos ícones e definir atalhos de teclado para estas opções.
kde_html_m6699f1e6
Aqui vai um resumo de algumas opções importantes:

Administração do Sistema

Algumas partes desta seção podem ser acessadas apenas pelo root, já que alteram aspectos sensíveis do sistema. Para ter acesso a elas, clique no botão “Modo Administrador”.

A seção “Gerenciador de Login” permite configurar a tela de login do sistema, alterando as cores, papel de parede, etc. É aqui que você pode também ativar ou desativar o autologin, o recurso usado para que o KDE seja aberto diretamente durante o boot. Se preferir, você pode desativar isso, fazendo com que o sistema passe a pedir login e senha, como em outras distribuições, e vice-versa.

A seção “Data e Hora” permite ajustar a hora e o fuso horário do sistema, a mesma função que pode ser acessada clicando com o botão direito sobre o relógio. O módulo “Instalador de Fontes” permite que você instale fontes truetype que passam a ser usadas automaticamente pelos programas instalados. Ele é bem simples de usar: clique no “Adicionar Fontes”, indique a pasta e onde estão as fontes, selecione os arquivos e clique no botão de ok.

Você pode tanto instalar as fontes logado como usuário normal, de modo que elas fiquem disponíveis apenas para o seu login, ou como root, tornando-as disponíveis para todos os usuários. Não é difícil encontrar vários sites que disponibilizam fontes por aí. Você também pode copiar as pastas de fontes do Windows (c:WindowsFonts) ou de programas como o Corel Draw.

Instalar as fontes do Windows permite que os documentos escritos no Microsoft Office sejam exibidos com formatação perfeita no OpenOffice, por exemplo, pois você terá instaladas as mesmas fontes que o autor original usou.
kde_html_113b66fd
As fontes ficam automaticamente disponíveis para os navegadores e também para programas como o OpenOffice/BrOffice. Você pode também usar as novas fontes para personalizar o visual do sistema, acessando a seção Aparência > Fontes do Centro de Controle do KDE.

A partir do KDE 3.3 existe uma forma ainda mais simples de instalar novas fontes. Abra uma janela do Konqueror e digite “fonts:/” na barra de endereços. Você verá duas pastas: “Pessoal” e “System”. Para instalar novas fontes, você só precisa arrastar os arquivos para dentro de uma das pastas para que elas sejam automaticamente reconhecidas pelo sistema, como você faz no Windows ao copiar novas fontes para a pasta “C:WindowsFonts”.

Copiando as fontes para a pasta Pessoal, você faz uma instalação particular, válida apenas para o seu usuário. Copiando para a pasta System, você instala de uma vez para todos os usuários cadastrados no sistema. Neste caso, o Konqueror vai pedir a senha de root. Para que as fontes fiquem disponíveis também dentro do OpenOffice/BrOffice, copie os arquivos para dentro da pasta “System/truetype/openoffice”.
kde_html_3eb51153

Aparência & Temas

Esta é provavelmente a área mais acessada do Kcontrol. Parece que todo mundo gosta de personalizar o seu desktop e o KDE oferece uma grande flexibilidade neste sentido. Você pode alterar a decoração das janelas, o tamanho da barra de tarefas, o conjunto de ícones do sistema e assim por diante. Além dos componentes que vêm pré-instalados no sistema, existem centenas de conjuntos de ícones, papéis de parede, conjuntos de sons de sistema, etc. que você pode baixar no http://www.kde-look.org.

Para instalar um conjunto de ícones, baixe o arquivo .tar.gz (neste caso um simples arquivo compactado contendo os ícones e não um pacote com código fonte), acesse a seção “Ícones” e clicar no “Instalar Tema”. A partir daí você pode escolher qual tema usar na lista. A maioria das distribuições usa o tema “Crystal SVG”, um conjunto de ícones bonito e neutro, que agrada a maioria. Outros temas populares são o Crystal Clear, o Nuvola e o Noia. No kde-look existe até um tema que imita os ícones do Windows 2000 (gosto não se discute, se lamenta ;).

O Wallpaper é a personalização mais simples. Para alterar vá em “Fundo de Tela > Papel de Parede”. O KDE suporta imagens em vários formatos, incluindo .jpg, .gif, .png e .bmp. Você pode usar também a opção “show de slides”, onde você aponta uma pasta com várias imagens e ele troca a imagem periodicamente. Você pode ter um papel de parede diferente a cada minuto, por exemplo.

Nos menus Cores, Fontes, Estilo, Painéis e Decoração de Janela você pode configurar várias opções relacionadas ao visual do sistema. A “Decoração da Janela” é a moldura com a barra de arrastar e os ícones para maximizar, minimizar e fechar usada em todas as janelas abertas. Você pode trocar essa moldura por outra com ícones parecidos com os do Windows ou MacOS X, por exemplo. O estilo determina a aparência dos botões, barras de rolagem e outros componentes da tela. Os dois mais usados são o Plastik e o Lipstik. Existe até um tema particularmente feio, que tenta imitar o visual do Windows 9x ;).
kde_html_7ecadc16
Muitas distribuições incluem um conjunto reduzido de protetores de tela, mas você pode obter um conjunto mais completo instalando o pacote “kscreensaver”, pelo apt-get ou a ferramenta de gerenciamento de pacotes disponível.

A “Tela de Apresentação”, aquela que aparece durante a abertura do KDE, é, na verdade, um conjunto de imagens que fica na pasta “/usr/share/apps/ksplash/pics/”. Assim como no caso dos ícones, você pode baixar novos temas no kde-look e instalá-los usando a opção “Tela de Apresentação > Adicionar”.

Área de Trabalho

Nesta seção estão opções relacionadas à barra de tarefas, menu iniciar e ao comportamento das janelas. Por exemplo, no Windows um clique duplo sobre uma janela faz com que ela seja maximizada, enquanto que no Konqueror o padrão é ocultar a janela, deixando apenas a barra de títulos, um comportamento natural para quem está acostumado com outros gerenciadores de janela, mas bem estranho para quem vem do Windows. Você pode alterar isso na opção “Comportamento de Janela > Ações”. Para ficar como no Windows, configure a opção “Clique duplo na barra de títulos:” como “Maximizar”.

Veja que você pode definir funções para os outros botões. Na configuração padrão, o botão do meio serve para minimizar a janela.
kde_html_m2e3ef388
Um recurso interessante oferecido não apenas pelo KDE, mas pelas interfaces do Linux em geral são os desktops virtuais. Cada desktop funciona como uma área independente e você pode alternar entre eles usando atalhos de teclado.

No KDE você pode alternar entre as áreas de trabalho virtuais pressionando Ctrl + uma das teclas de função, da F1 à F12, como em Ctrl+F2 (para mudar para o segundo desktop), Ctrl+F1 (para voltar para o primeiro), etc. Para enviar um programa aberto para outro desktop virtual, clique sobre a barra com o botão direito do mouse e use a opção “Para o ambiente…”.

Os desktops virtuais permitem organizar melhor os programas abertos e alternar entre eles com mais facilidade. Você pode organizar os programas “por tema”, por exemplo, deixar todas as janelas do navegador no primeiro desktop, as janelas do editor de textos e o leitor de e-mails no segundo e assim por diante.

Você pode ajustar o número de desktops virtuais através da opção “Múltiplas Áreas de Trabalho”. Uma observação é que cada desktop virtual faz com que o sistema passe a consumir entre 2 e 4 MB a mais de memória RAM (de acordo com a resolução de vídeo usada), o que pode ser um problema em micros com 256 MB ou menos.
kde_html_m2390a3aa
Como um complemento, você pode incluir o Pager na barra de tarefas. Ele é um applet que permite alternar entre as áreas de trabalho. Para incluí-lo, arraste o campo onde aparece a lista de janelas um pouco para a direita e clique com o botão direito sobre a área vazia. No menu, clique no “Adicionar > Mini aplicativo > Pager”.
kde_html_m3bb09d4d
Estão disponíveis vários outros applets que podem ser adicionados da mesma forma. Vale a pena perder um pouco de tempo testando as opções disponíveis :). Um que acho particularmente interessante é o Kweather (apt-get install kweather), que mostra a temperatura, velocidade do vento e outras informações meteorológicas e um ícone que mostra se o tempo está nublado ou chuvoso na sua cidade.

Voltando ao Kcontrol, você encontra mais opções de personalização da barra de tarefas, incluindo seu tamanho, pano de fundo (a barra pode ficar transparente ou usar uma imagem qualquer como fundo), entre várias outras configurações na opção “Painéis”. Você pode até mesmo ativar uma segunda barra de tarefas, exibida no topo da tela, como usado no Gnome e no MacOS.

Componentes do KDE

Esta seção concentra algumas opções “Avançadas” relacionadas ao funcionamento do KDE. A mais importante é provavelmente a seção “Associações de Arquivos”, onde você define quais programas serão usados para abrir quais extensões de arquivos. Você pode atribuir a mesma extensão para dois ou mais programas e definir uma ordem de prioridade, onde o primeiro abre os arquivos por default, mas você pode escolher um dos outros clicando com o botão direito sobre o arquivo.
kde_html_6317fccc
Muitos programas alteram as associações padrão ao serem instalados, assumindo a posse dos formatos de arquivos que suportam, mas você pode sempre alterar as configurações, além de criar novas associações de arquivos através do Painel.
kde_html_me216da1
O KDE usa o Ispell como corretor ortográfico. O mesmo corretor é usado em vários programas do KDE, incluindo o Konqueror, Kedit, Kword e outros. O corretor entra em ação até mesmo ao postar uma mensagem em um fórum ou blog, grifando em vermelho as palavras incorretas.

Se esta opção não estiver habilitada por padrão, clique com o botão direito sobre o texto escrito, dentro do Konqueror, e marque a opção “Verificar ortografia automaticamente”. A grande limitação é que o corretor não é integrado ao OpenOffice, de forma que você fica com dois corretores diferentes, cada um usando uma lista de palavras própria.

Na opção “Gerenciador de arquivos” existem algumas opções referentes ao Konqueror, como as fontes usadas e os tipos de arquivos para os quais ele exibe previews. Na opção “Performance do KDE” existe um item importante, relacionado ao uso de memória. Selecione a opção “Minimizar uso de memória > Nunca” se você tem 256 MB de RAM ou mais, isso melhora o desempenho geral do KDE e evita alguns problemas esporádicos.

Controle de Energia

Esta seção é especialmente útil para quem usa um notebook, pois permite ativar o medidor de bateria e configurar várias opções relacionadas à economia de energia, como ajustar a freqüência do processador e o brilho da tela, de acordo com o status da bateria. A maioria das opções só ficam habilitadas depois de clicar no “Bateria do Laptop > Configurar ACPI > Definir Aplicação Auxiliar”. Esta opção ativa o suporte a ACPI, carregando os módulos de Kernel apropriados.

Ao usar um notebook, é importante usar uma distribuição atual, com um Kernel recente, pois esta é uma área em que o sistema tem evoluído rapidamente nos últimos meses. Por exemplo, o HP nx6110 é, a partir do Kernel 2.6.13, um dos notebooks melhor suportados no Linux: tudo funciona, incluindo o suporte a 3D, a placa wireless (usando o Ndiswrapper), o ajuste da freqüência do processador, suspender e até mesmo o softmodem que vem onboard. Porém, ao usar uma distribuição com um Kernel apenas um pouco mais antigo, nem o 3D, nem o modem, nem o suspender funcionam corretamente.

Internet & Rede

Esta seção concentra opções relacionadas à configuração da rede. A opção “Compartilhamento de Arquivos” permite criar compartilhamentos de rede Samba e NFS (os dois simultaneamente) de uma forma simples. Naturalmente, para compartilhar arquivos com máquinas Windows, é preciso que o servidor Samba esteja instalado.

A opção “Compartilhamento do desktop” abre a tela de configuração do krfb, que permite compartilhar a imagem do desktop com outras máquinas da rede, para fins de suporte, enquanto a “Rede sem fio” mostra a configuração do kwifimanager, ambos disponíveis através do iniciar.

As opções “Navegador Web”, “Navegação em Rede Local” e “Proxy” estão relacionadas ao Konqueror. A primeira contém opções diversas relacionadas ao navegador, incluindo as opções de cache e relacionadas à segurança. A segunda permite configurar um usuário e senha padrão para serem usados ao visualizar os compartilhamentos de outras máquinas da rede ao usar o módulo “smb:/” do Konqueror. A última contém a configuração de proxy, caso você esteja dentro de uma rede que utilize um.

Sobre o Autor

Redes Sociais:

Deixe seu comentário

X