Configuração da rede

 

A configuração da rede continua sendo feita através do bom e velho NetworkManager, disfarçado agora de applet do Unity:

O NetworkManager surgiu ainda na década passada, como um utilitário de configuração de rede de “nova geração”, que utiliza as informações coletadas pelo HAL para detectar as interfaces que estão disponíveis, oferecendo um menu de opções que permite que você se conecte a redes wireless, redes cabeadas e até mesmo a conexões 3G ou ADSL/PPPoE, alternando entre as redes disponíveis de maneira bastante prática.

Ao ativar o transmissor da rede wireless, ele detecta as redes disponíveis e mostra a lista através do applet ao lado do relógio. Ao se conectar a uma rede protegida, ele se oferece para salvar a passphrase e guarda a configuração, passando a se conectar à rede automaticamente quando você estiver dentro da área de cobertura, assim como seria de se esperar.

Ao plugar um cabo de rede, ele chaveia automaticamente da rede wireless para a rede cabeada, obtendo a configuração via DHCP. Desconectando o cabo de rede, ele volta a tentar se conectar a uma das redes wireless disponíveis, e assim por diante.

Por default, ele tenta configurar todas as conexões via DHCP (e desativa a conexão caso o DHCP não esteja disponível, ou o servidor esteja fora do ar), mas você pode também configurar os endereços manualmente, acessando as propriedades da interface, clicando com o botão direito sobre o applet e acessando o “Editar conexões”:

Desde o Ubuntu 8.10, ele oferece também suporte a modems ADSL configurados em modo bridge (conexão via PPPoE) e até mesmo a conexão com VPNs, oferecendo uma solução de conectividade bastante completa. No caso das conexões ADSL, existe também a opção de usar o clássico pppoeconf (“sudo pppoeconf” no terminal), que é o mesmo assistente de configuração usado em outras distribuições derivadas do Debian.

Está disponível também o suporte a conexões 3G, que podem ser configuradas manualmente ou através de um assistente:

As conexões 3G se comportam de forma muito similar às antigas conexões dial-up, incluindo um número de discagem, login de usuário e APN (que funciona como uma espécie de gateway padrão). Existem valores padronizados para cada operadora, por isso o assistente não tem problemas em configurar a conexão a partir da indicação da operadora usada. A questão central é que o modem usado precisa ter suporte no Linux. Atualmente, a maior parte dos modems USB (com exceção de alguns modelos recentes) e também celulares da Nokia (conectados ao PC em modo PC Suite) e outros que suportam o uso como modem USB são diretamente suportados pelo sistema, através do módulo usbserial, mas ainda existem casos em que você precisa adicionar uma regra específica, ou mesmo instalar algum módulo ou utilitário para ativar o suporte. Vale notar que esta opção se destina apenas a modems USB e telefones ligados através da porta USB. No caso dos mobile hotspots, a conexão é feita diretamente, já que eles se comportam como pontos de acesso Wi-Fi

Sobre o Autor

Redes Sociais:

Deixe seu comentário

X