Parte 2

Mostre os ícones Meu computador e Meus documentos no desktop. Por padrão, o Windows XP mostra apenas o ícone da Lixeira na área de trabalho, quando o menu Iniciar moderno está ativo. Você pode fazer com que ele mostre os outros ícones tradicionais, criando um atalho para eles (arrastando-os do Iniciar para a área de trabalho) ou, através das propriedades. Na mesma tela onde você desativou o assistente de limpeza (propriedades da área de trabalho > guia Área de trabalho > botão Personalizar a área de trabalho), marque os ícones que deseja que sejam mostrados, na seção “Ícones da área de trabalho”.

Menu Iniciar. O menu Iniciar do Windows XP mantém os programas mais recentemente acessados a um clique de distância. Por qualquer questão, se você quiser manter o menu tradicional, de uma coluna só, poderá fazê-lo. Clique com o botão direito no botão Iniciar, escolha “Propriedades”. Na guia “Menu Iniciar”, escolha “Menu Iniciar clássico”. O menu ficará como nas versões anteriores do Windows. Dica: seja no modo clássico ou moderno, clicando no botão “Personalizar” na mesma tela comentada, você poderá definir diversas opções do Iniciar. Por exemplo, os itens que serão mostrados ou não, a exibição do painel de controle e meu computador como um sub-menu, etc.

Papel de parede
. Prefira apenas imagens em bitmap, e no tamanho exato da sua área de trabalho. Use o Paint para salvar as imagens de JPG para bitmap, de 24 bits, depois defina-as como papel de parede. Mesmo gerando arquivos maiores, o formato bitmap não precisa ser descompactado como o JPG e outros formatos, sendo exibido mais rápido (se bem que o Windows XP descompacta e guarda num cache, o que não prejudica tanto assim o desempenho). Se você tem uma imagem de plano de fundo em JPG e definir uma em bitmap, esta última poderá não aparecer (nas versões anteriores ao XP, devido um erro do Active Desktop, que vem desde o Windows 98…). Nas propriedades da área de trabalho, então, deixe sem papel de parede nenhum (na primeira guia das opções da área de trabalho). A seguir, escolha a imagem em bitmap desejada. Usando apenas imagens em bitmap você verá que o desempenho da área de trabalho será melhor, especialmente ao minimizar todas as janelas ou ao mandar atualizar os ícones (teclando F5).

Configure o agendamento de processador e memória. Nas versões para desktop, estações de trabalho e domésticas de Windows, como é o caso do XP Home e Professional, estas opções já vem configuradas para desempenho otimizado. No entanto, quem usa as versões de servidor em desktop ou estações de trabalho (workstations), ou para rodar aplicativos comuns, deve ativá-las para melhorar o desempenho. Clique com o botão direito no “Meu computador” e escolha “Propriedades”. Na guia “Avançado”, clique no botão “Configurações” da seção “Desempenho”. Será aberta a tela dos efeitos visuais… Clique então na guia “Avançado”. Marque a opção “Programas” no quadro “Agendamento do processador”, e “Programas” também no quadro “Uso de memória”. Veja:
index_html_6eefc49a
Isso deve ser feito, por exemplo, no Windows Server 2003. Assim os recursos do sistema (processador e memória) serão distribuídos preferencialmente ao programa em primeiro plano (a janela ativa). Uma dica usada por muitos é agilizar o acesso aos arquivos aumentando o cache de disco, como muita gente fazia no Windows 98. Neste caso, deixe marcado “Cache do sistema” para o item “Uso de memória”. Com isso o Windows usa mais memória para cache de disco, onde são gravados os arquivos copiados ou que você manda salvar; no tempo mais ocioso é que os dados vão sendo gravados realmente no HD. Apesar de melhorar o desempenho, esta opção deve ser usada em computadores conectados a um no-break, ou muito estáveis, pois deverão ser evitados ao máximo os desligamentos incorretos.

Opções de pasta. Usuários avançados e médios podem preferir exibir todos os arquivos ocultos, além das extensões dos arquivos. Abra alguma janela de pasta qualquer (ou o “Meu computador”), clique no menu “Ferramentas” e escolha “Opções de pasta”. Na guia “Modos de exibição”, marque o item “Mostrar pastas e arquivos ocultos” e desmarque o “Ocultar as extensões dos tipos de arquivos conhecidos”. Esta última pode atrapalhar os iniciantes, por exemplo, ao renomear arquivos, já que sempre terão de digitar a extensão. Mas traz segurança: ao baixar um arquivo malicioso da Internet como sendo uma foto, por exemplo. Supondo o nome “Maria.jpg”, se for um programa (um possível vírus) e as extensões estiverem sendo exibidas, ele será listado como Maria.jpg.exe, portanto o usuário saberá que não se trata de uma imagem. Já se terminar no .jpg somente, então será apenas uma imagem. Muitos e-mails ultimamente tentam enganar usuários leigos assim, deixando o arquivo com “duas extensões”, sendo que a última é a que vale.

Painel de tarefas. Para deixar a navegação pelas pastas mais rápida, e também mais espaçosa (se você usa uma resolução pequena para o Windows XP, como 800×600, por exemplo), você pode desativar o painel de tarefas, que aparece à esquerda nas janelas de pastas. Na primeira guia das “Opções de pasta” (comentadas no tópico acima), marque o item “Usar pastas clássicas do Windows”. Não se preocupe, todas as tarefas do painel podem ser feitas com o botão direito do mouse, pela barra de ferramentas ou pelos menus (especialmente os menus “Arquivo” e “Editar”, das janelas de pastas).

Mostrar o controle de volume. Dependendo do instalador do driver da sua placa de som, o controle de volume do Windows fica oculto. Para exibi-lo na barra de tarefas, perto do relógio, vá ao painel de controle, “Sons, fala e dispositivos de áudio”, abra o item “Sons e dispositivos de áudio”, e marque a opção “Mostrar controle de volume na barra de tarefas”:
index_html_m740ea8b8
Se as opções desta tela estiverem desabilitadas (em cinza), então você precisará primeiro instalar os drivers corretos da sua placa de som.

Opções de energia. Para evitar a diminuição da vida útil dos equipamentos, vale a pena desativar o desligamento automático do monitor e do HD, nas opções de energia, pelo painel de controle (“Iniciar > Painel de controle > Desempenho e manutenção > Opções de energia”). Escolha “Nunca” nos campos “Desligar o monitor” e “Desligar os discos rígidos”:
ndex_html_73b942ac
Quando você for se afastar do computador pelo período de uma hora, por exemplo, para logo depois retomar o trabalho, vale a pena desligar o monitor no botão dele, para economizar energia. Em intervalos pequenos de tempo (como 10, 15 minutos, meia hora…) sem uso, não era recomendável desligar os monitores CRT (de tubo), isso prejudicava a vida útil deles, mas nos recentes esse problema é menor. O HD também, a inicialização e aceleração do mesmo o desgasta mais do que ficar uma hora girando continuamente (sim, os discos do HD ficam girando o tempo todo enquanto o computador está ligado, mesmo que não esteja em uso). Já vi casos em que o computador não voltava após o desligamento do disco rígido ou do monitor (ele deveria voltar ao mexer o mouse ou teclar alguma coisa). Isso provavelmente se deve à falta de drivers atualizados, ou então uma incompatibilidade com a versão do BIOS. É terrível deixar o Windows parado um tempo e ao retornar, ter que reiniciar no botão, porque o sistema não volta, perdendo os dados não salvos. Se for seu caso, pode desativar então o desligamento do monitor e HD, como comentado aqui.

Desative a hibernação. Se você não usa, desative a hibernação, ainda nas opções de energia (“Painel de controle > Desempenho e manutenção > Opções de energia > guia Hibernação > desmarque o item Ativar hibernação”). Com a hibernação ativada, é criado um arquivo “hiberfil.sys” na unidade raiz do sistema, cujo tamanho será a quantidade de memória RAM instalada, ou seja, se seu PC tem 512 MB de memória RAM, por exemplo, esse arquivo terá esse tamanho também. A hibernação normalmente é boa para iniciar o computador mais rapidamente, normalmente é beeem mais rápido voltar da hibernação do que iniciar o Windows do zero (para hibernar no XP, segure SHIFT e mova o mouse para o botão “Em espera”, na tela de desligamento; a opção se transformará no “Hibernar”). Sim, pode desligar da tomada sim, você não perderá dado nenhum! (no modo “em espera” é que não pode desligar, mas na hibernação, os dados da memória são realmente gravados no HD e o hardware é encerrado). Porém… Em computadores com muita memória, ela pode atrasar a inicialização (dando um efeito contrário!), pois um arquivo gigantesco deverá ser lido do HD. Neste caso vale mais desativá-la, e assim poupar espaço.

Configurando o layout de teclado. Muita gente se perde nas versões mais recentes de Windows. Se seu teclado é em português brasileiro, por exemplo, se ele tem a tecla com o “Ç”, além dos acentos… Provavelmente ele é do tipo ABNT2 (um padrão brasileiro). E deve ser configurado como tal no Windows para que essas teclas especiais funcionem, mas na correria é muito comum você passar pela instalação sem configurar isso. Acontece que no Windows XP ou superior, essa opção não está (por incrível que pareça!) disponível nas opções do teclado, no painel de controle. No painel de controle, abra o item “Opções regionais e de idioma”, clique na guia “Idioma”, e na seção “Serviços de texto e idiomas de entrada”, clique no botão “Detalhes”. Finalmente (ufa!) será aberta a tela que permite configurar o layout do teclado. Clique no botão “Adicionar”, escolha “Português (Brasil)” na primeira lista que aparece, e “Português (Brasil ABNT2)” na segunda. Dê OK, depois OK novamente:
index_html_m7a23cf4b
Antes de dar o OK, no entanto, é altamente recomendável selecionar TODOS os layouts não utilizados e clicar no botão “Remover”. Isso libera memória, já que os layouts listados aí serão sempre carregados na inicialização do Windows; e desativa a barra de idiomas, também. Só não faça isso se outras pessoas usarem outros idiomas de entrada no seu computador – o que raramente ocorre, a menos que você tenha uma namorada japonesa que gosta de deixar o layout de teclado em japonês, por exemplo… Ou uma tia espanhola. Ou um tigre africano, quem sabe. 🙂

Barra de status em todas as janelas! O XP oculta a barra de status, o que é ruim pra muita gente. E mais, o Home oculta até a barra de endereços… Dependendo do caso você tem que ficar ativando toda vez que abre uma pasta que ainda não tenha sido aberta. No Windows XP SP2, faça isso: feche todas as pastas, e abra o “Meu computador”. Clique em “Exibir > Barra de status”. Se for o Home Edition, clique também em “Exibir > Barra de ferramentas > Barra de endereços”. Feito isso, elas aparecerão. Feche a janela do “Meu computador”, e se tudo der certo, todas as janelas abertas a partir daí deverão aparecer com essas barras. Nas versões de Windows XP anteriores ao SP2, pelo que me parece (por experiência própria), se você exibisse a barra de status numa janela, ao abrir outras pastas que não aquela, a barra de status não aparecia, devendo ser ativada novamente (um buguizinho corrigido no SP2). Nessas versões sem o SP2 deve-se fazer isso: abra uma única janela de pasta (de preferência, agora sem ser o “Meu computador”), exiba a barra de status e a de endereços, se for o caso. Clique com o botão direito e configure os ícones como você mais gosta, seja o lado a lado ou o normal. Aproveite e clique com o direito na pasta novamente, escolhendo agora “Organizar ícones > por nome”. Feito isso, nessa pasta, clique em “Ferramentas > Opções de pasta”. Na guia “Exibição” clique em “Aplicar a todas as pastas”. Pronto, agora sim. O inconveniente de fazer dessa forma é que em todas as pastas a organização e estilo dos ícones serão aplicados como estiver nessa, por isso pedi antes par selecionar o estilo da exibição e organização dos ícones. Se você clicar no botão “Aplicar a todas as pastas” em uma pasta que esteja sendo exibida em miniaturas, por exemplo, a partir daí todas as pastas serão exibidas como miniaturas, independente de terem arquivos de imagem ou não.

Boas personalizações!

Marcos Elias Picão é produtor do Explorando e Aprendendo (http://www.explorando.cjb.net), um blog de informática que traz toda semana dicas de Windows, programas, sites, configurações e otimizações, para todos os níveis.
Iniciou sua vida digital em 2001, e aos poucos foi evoluindo, para frente e para trás, avançando nas novidades do mercado e, ao mesmo tempo, voltando ao passado para conhecer as “Janelas” antigas, de vidro a vidro.
Mexe livremente com programação em Delphi, e mantém sites com dicas e tutoriais, além dos seus programas para Windows.

Sobre o Autor

Redes Sociais:

Deixe seu comentário

X