Processadores: Athlon 64, X2 e Sempron

Processadores: Athlon 64, X2 e Sempron

Clique aqui para ler a quarta parte

No tutorial anterior, falei sobre a era Pentium 4 e a introdução dos processadores de 64 bits. Continuando a história, estudaremos agora sobre os modelos do Athlon 64, Athlon X2 e Sempron, com os quais a AMD enfrentou o Pentium D e as primeiras versões do Core 2 Duo

Assim como na questão dos soquetes, a lista de modelos do Athlon 64 apresenta uma variedade espantosa de arquiteturas, variações na quantidade de cache, soquete usado, frequência do HyperTransport e assim por diante. Para complicar, na época a AMD ainda vendia os processadores segundo o índice de desempenho iniciado com o Athlon XP, o que levou a muitos casos de processadores com clocks, caches e arquiteturas diferentes vendidos sob o mesmo índice, sem nenhuma distinção clara em relação aos demais.

Todo processador inclui uma pequena área de memória com detalhes sobre a arquitetura usada, quantidade de cache, frequência, tensão, conjuntos de instruções suportados e assim por diante. Estes códigos de identificação são acessíveis através de uma série de programas de diagnóstico, que podem ser usados para identificar o processador. Um dos mais práticos (para Windows) é o CPU-Z, disponível no: http://www.cpuid.com/cpuz.php.

572d7e28

No Linux você pode usar o comando “cat /proc/cpuinfo“, deixando que o próprio Kernel do sistema leia os códigos de identificação e mostre as informações na tela. Embora não seja tão bem organizada, a lista inclui boa parte das informações exibidas pelo CPU-Z. Vamos então à tortuosa lista dos modelos da safra inicial, culminando com uma explicação sobre como reconhecê-los baseado nos códigos de identificação:

Sobre o Autor

Redes Sociais:

Deixe seu comentário

X