Chipsets da SiS

Por:
Em junho de 2000, a AMD lançou a primeira versão do Duron. Na época ele era quase uma pechincha, pois oferecia cerca de 90% do desempenho de um Athlon Thunderbird do mesmo clock por quase um terço do preço e ainda por cima suportava overclocks generosos, com a versão de 600 MHz suportando trabalhar a 800 MHz ou mais.

O maior obstáculo à popularização do Duron nos primeiros meses não era a performance do processador, mas sim a carência de chipsets com vídeo onboard. O Celeron contava com as placas baseadas no i815, mas o Duron precisava ser combinado com placas mini-ATX baseadas no VIA KT133, que, combinadas com uma placa 3D offboard, resultavam em PCs muito mais caros que os Celerons.

Esta carência foi suprida por três chipsets. O VIA KM133 (que já vimos), o Ali MAGIK1 e o SiS 730S, que marcou a entrada da SiS no ramo das placas soquete A. Ele era uma solução single-chip, onde a ponte norte e ponte sul foram combinadas em um único chip, com a comunicação interna ainda feita através do barramento PCI.

Ele utilizava um chip SiS 300 como vídeo integrado. Apesar dos problemas relacionados aos drivers, o desempenho era razoável, similar ao i752 usado no chipset i815, destinado ao Celeron e levemente inferior ao ProSavage utilizado no VIA KM133.

O SiS 730S foi usado exclusivamente em placas de baixo custo, sempre no formato micro-ATX e contando tipicamente com um slot AGP e três slots PCI. O desempenho do controlador de memória era sensivelmente inferior ao do VIA KM133, de forma que o desempenho geral das placas era cerca de 5% inferior, mas, em compensação, as interfaces IDE do SiS 730S eram mais rápidas e o chipset de vídeo incluía suporte a iDCT e motion compensation, o que reduzia a utilização do processador ao assistir filmes em Divx e DVDs. Este era um diferencial importante para quem tinha um Duron de baixo clock e queria manter um filme rodando em segundo plano enquanto navegava ou trabalhava.

Completando as especificações, o SIS 730S oferecia suporte a até 1.5 GB de memória (ainda SDRAM, sem suporte a DDR), AGP 4x, 6 portas USB 1.1, interfaces ATA-100, som e rede onboard (com a opção de usar um modem AMR). Ele oferecia suporte a bus de 133 MHz, mas o chipset não trabalhava de forma inteiramente estável acima de 100 MHz, de forma que ele era mais adequado aos Durons.

Esta é uma PC-Chips M810LR, um triste exemplo de placa de baixo custo, baseada no SiS 730S que acabou tornando-se extremamente popular no Brasil devido ao baixo custo.

Ela incluía as portas de expansão típicas em uma placa micro-ATX da época, incluindo o slot AGP, dois slots PCI, o slot AMR utilizado pelo modem, dois slots de memória, duas portas IDE, além do vídeo, som e rede onboard. Entre os diversos problemas da placa estão a falta de estabilidade geral, deficiências no sistema de alimentação elétrica do slot AGP, o que impedia o uso de placas AGP mais parrudas (já que o slot AGP não era capaz de fornecer a energia necessária), problemas de durabilidade causados pela baixa qualidade dos capacitores, deficiência nos reguladores de tensão do processador, baixo desempenho, problemas diversos relacionados ao BIOS e drivers e dificuldade de encontrar e baixar atualizações para eles. Ou seja, assim como outras placas da PC-Chips, a única qualidade a M810LR era mesmo o preço.

index_html_m33fdb276PC-Chips M810LR, baseada no SiS 730S

Poucos meses depois foi lançado o SiS 735, onde o vídeo onboard foi substituído por um controlador de memória adicional, que adicionou o suporte a memórias DDR. Ele manteve todos os demais recursos básicos, incluindo o design baseado em um único chip e o uso do barramento PCI para toda a comunicação interna, mas o uso de memórias DDR tornavam as placas baseadas nele consideravelmente mais rápidas.

Ao contrário do 730S, o 735 acabou não se tornando uma solução tão popular, já que a falta do vídeo onboard dificultava seu uso em PCs de baixo custo. Ele acabou sendo substituído pelo SiS 740, uma atualização da linha anterior (com vídeo onboard), que voltou a ser baseado em dois chips separados, interligados por um barramento MuTIOL de 533 MB/s.

O SiS 740 mantém o suporte a até 1.5 GB de memória DDR, bus de 266 MHz (133 MHz x 2) e mantém o chipset de vídeo SiS 300 utilizado no 730S. Os fabricantes tinham a opção de utilizar o chip SiS961 ou o SiS962 como ponte sul. Ambos incluíam som e rede onboard, mas o 961 oferecia interfaces ATA-100 e 6 portas USB 1.1, enquanto o 962 incluía interfaces ATA-133 e USB 2.0.

O 740 foi sucedido pelo SiS 745, que trouxe um novo controlador de memória, com suporte a memórias DDR-333 e a até 3 GB de memória (3 módulos de 1 GB) mas, em compensação, abandonou o suporte às memórias SDRAM, em uma época em que a migração SDR > DDR já estava em estágio avançado e módulos das duas tecnologias já custavam aproximadamente o mesmo.

Apesar do aumento na frequência da memória, ele oferecia suporte oficial apenas aos processadores com bus de 266 MHz. Assim como em muitos dos chipsets da VIA, a memória operava de forma assíncrona, de forma que o sistema se beneficiava do barramento mais rápido com a memória, mesmo sem um aumento correspondente na frequência do processador.

Ao contrário do SiS 740, o SiS 745 voltou a utilizar um design single-chip, mas sem o uso de vídeo onboard. Na verdade, os dois chipsets são descendentes de linhagens separadas: 745 é uma evolução do 735, enquanto o 740 é uma evolução do 730S.

Ele utilizava o chip SiS963 como ponte sul (integrado ao chip principal), que mantinha os recursos do SiS962, acrescentando o suporte a firewire. Ele mantinha também o AGP 4x disponível nos antecessores.

Embora o número de identificação seja mais baixo, o SiS 741 foi lançado alguns meses depois do 745. Ele era uma atualização direta do 740 (baseado em dois chips), incluindo agora um chip SiS Mirage como vídeo onboard, uma solução mais rápida que o antigo SiS 300, embora padecesse dos mesmo problemas de estabilidade relacionados aos drivers.

Ele oferecia suporte a toda a linha de processadores soquete A, incluindo os processadores que utilizavam bus de 333 e 400 MHz, além de manter o suporte a módulos DDR-400 e a 3 GB de memória RAM. O barramento AGP foi atualizado, com suporte ao padrão 8x e ele passou a utilizar o chip SiS964L como ponte sul, que incluía suporte a ATA-133, 8 portas USB 2.0, além de som e rede onboard, e suporte a modem AMR. Existia ainda a opção de utilizar o chip SiS964, que incluía duas interfaces SATA e suporte a RAID.

O 741 recebeu também uma versão de baixo custo, o SiS 741GX, que era destinado a micros de baixo custo baseados no Sempron. A limitação em relação ao 741 era que ele suportava apenas os processadores com bus de 333 MHz e módulos DDR-333. Na verdade, o 741GX foi utilizado para vender os chips 741 que não eram capazes de trabalhar estavelmente a 400 MHz, uma manobra similar à utilizada pela Intel em diversos dos processadores e chipsets.

Sobre o Autor

Redes Sociais:

Deixe seu comentário

X