Clientes de E-mail

Em seguida, temos os clientes de e-mail, que, embora estejam rapidamente perdendo espaço para os webmails, ainda são utilizados por muitos, sobretudo por quem precisa de suporte ao Exchange ou outro sistema corporativo.

Embora talvez não seja o maior em volume de usuários, o Evolution (http://projects.gnome.org/evolution/) é provavelmente o cliente Linux mais importante, devido ao suporte ao Microsoft Exchange, que possui uma penetração muito grande em redes corporativas. Ele faz parte da suíte do Gnome, o que faz com que venha pré-instalado no Ubuntu e na maioria das outras distribuições que o utilizam como interface padrão. Além das tradicionais funções de e-mail, ele oferece funções de agenda, listas de tarefas, etc. desempenhando também a função de gerenciador pessoal.

O Evolution suporta o Exchange através do pacote “evolution-exchange”, que contém o plugin de integração (que anteriormente era chamado de Ximian Connector). Ele não é instalado por padrão na maioria das distribuições, mas quase sempre está disponível nos repositórios.

A grande limitação é que (pelo menos enquanto escrevo) ele é compatível apenas com servidores rodando o Exchange 2000 ou 2003, ainda sem suporte ao Exchange 2007. Outro recurso importante é a integração com smartphones e PDAs através do OpenSync, que é instalado através do pacote “opensync-plugin-evolution”.

Para quem precisa apenas de um cliente de e-mail, que faça apenas uma coisa e seja bom no que faz, outra boa opção é o Thunderbird (www.mozillamessaging.com), o primo-irmão do Firefox, que surgiu do desmembramento do Mozilla.

O principal diferencial dele em relação a outros programas é um poderoso filtro anti-spam, que aprende durante o uso, se tornando cada vez mais preciso. Para ativá-lo, marque a opção “Ferramentas > Anti-Spam > Filtro Adaptável > Identificar Spam ao receber mensagens desta conta”. O filtro é desenvolvido de forma a preservar os e-mails úteis, excluindo mensagens apenas quando houver certeza. Depois de ativar o filtro, você precisa “treiná-lo”, indicando o que é e o que não é spam, de forma que ele identifique um padrão e passe a agir de forma autônoma.

Sempre que receber um spam, clique com o botão direito sobre a mensagem e use a opção “Marcar > Como Spam” ou pressione a tecla “J”. Marque também as mensagens importantes como não-spam, pressionando “Shift+J”.

Na aba “Ferramentas > Anti-Spam > Opções” você pode configurar o que fazer com as mensagens marcadas como spam, onde o padrão é movê-las para a pasta “Spam” e deletá-las depois de alguns dias. É importante que nos primeiros dias você cheque as mensagens movidas para a pasta e marque manualmente como não-spam qualquer mensagem boa classificada de forma equivocada pelo filtro. Depois de alguns dias de treinamento, o filtro passará a eliminar o grosso dos spams e, depois de algumas semanas, passa a eliminar quase tudo. Quanto mais você o treina, mais ele se torna apurado.

O Thunderbird guarda os e-mails e configurações dentro da pasta “.mozilla-thunderbird” (ou “.thunderbird”, de acordo com a distribuição usada), dentro do seu diretório home. Basta conservar esta pasta ao reinstalar o sistema, e seus e-mails e filtros continuarão intactos.

Por ser um programa bastante popular, é possível encontrar o Thunderbird na maioria das distribuições. Uma observação importante é que no Debian Lenny e derivados o pacote não se chama “thunderbird”, mas sim “icedove”, embora o aplicativo em si continue o mesmo. A mudança no nome foi causada por um problema com a fundação Mozilla, que argumentou contra o uso das marcas “Firefox” e “Thunderbird” no Debian, já que os desenvolvedores aplicavam patches e correções “não-oficiais” nos programas.

Além de instalar o Thunderbird diretamente através do gerenciador de pacotes, você pode também usar a versão disponível no: http://www.mozilla.org.br/. Esta versão não precisa ser instalada, basta descompactar a pasta em qualquer diretório (você pode inclusive instalar dentro do seu diretório home, sem nem precisar usar a conta de root) e executar o comando “./thunderbird” dentro da pasta.

Mais uma dica é que, assim como o Outlook, o Thunderbird mantém cópias de todos os e-mails recebidos (mesmo os deletados), de forma que os arquivos de mensagens simplesmente vão inchando indefinidamente, consumindo muito espaço em disco e fazendo com que o programa passe a ficar lento e instável. A solução para remover o lixo é simples. Clique com o botão direito sobre o ícone da pasta de entrada e use a opção “Condensar esta pasta”.

Concluindo, temos também o Kmail, que é o cliente oficial do KDE. As três vantagens dele em relação ao concorrentes são o fato de ser bastante leve quando executado sobre o KDE (o que o torna uma opção popular entre as distribuições baseadas no ambiente), se integrar ao Korganizer (e os outros aplicativos da suíte KDE PIN) e manter um bom desempenho ao trabalhar com pastas com muitos e-mails (ele é capaz de visualizar pastas com 4 ou 6 GB de e-mails sem problemas) o que o torna uma boa opção para quem assina muitas listas e precisa gerenciar um volume muito grande de e-mails.

Sobre o Autor

Redes Sociais:

Deixe seu comentário

X