Clock da GPU

Assim como no caso dos processadores, aumentar o clock da GPU resulta em um ganho proporcional no poder bruto de processamento da placa, já que mais vértices, pixels, texturas e efeitos podem ser processados no mesmo espaço
de tempo. Entretanto (assim como nos processadores) o desempenho de diferentes placas pode ser brutalmente diferente, mesmo que elas operem à mesma frequência, devido a diferenças na arquitetura (sobretudo no número de unidades de processamento e no
barramento com a memória).

Por exemplo, o chipset GMA 950 (onboard) usado em placas com chipset Intel (que é o low-end entre os chipsets low-end) opera a 400 MHz, enquanto a GPU da GeForce 8800 GTS, que já esteve no topo da pirâmide, opera a 500 MHz,
apenas 100 MHz a mais. Este é um exemplo extremo de como o desempenho de duas placas de clock similar pode ser brutalmente diferente.

Nas placas recentes, é comum que alguns componentes internos operem a uma frequência maior que o restante da GPU, de forma a melhorar o desempenho. Na GeForce 8800 GTS do exemplo anterior, as unidades de processamento operam
a 1.2 GHz, mais do dobro do restante da GPU. Isso torna ainda mais difícil comparar diretamente o desempenho de duas placas diferentes.

O clock da GPU pode ser ajustado via software (assim como o clock da memória), usando utilitários como o ATI Tray Tools, o RivaTuner ou o ATITool. Em muitos casos, os próprios fabricantes podem alterar o clock do chipset, de
forma que suas placas sejam um pouco mais rápidas que concorrentes baseadas no mesmo chipset. O maior problema é que as placas de vídeo normalmente trabalham muito próximo do limite, de forma que você raramente obtém overclocks de 20% ou mais, como é
comum nos processadores. Em muitas placas, um overclock de 5% já é suficiente para desestabilizar o equipamento.

Ao contrário dos processadores, as GPUs são baseadas em unidades de processamento com poucos estágios de pipeline e são pesadamente limitadas ao desempenho da memória (embora as GPUs mais recentes incluam pequenas
quantidades de cache, ele não funciona de forma tão efetiva quanto em um processador, devido à natureza dos dados processados). Por isso, elas acabam operando a frequências muito mais baixas, mesmo quando produzidas usando uma técnica similar de
fabricação (comparado aos processadores).

Sobre o Autor

Redes Sociais:

Deixe seu comentário

X