Após mais de 20 anos usando Windows, jornalista migra para o MacOS; confira o que ele achou da mudança

Após mais de 20 anos usando Windows, jornalista migra para o MacOS; confira o que ele achou da mudança

Mês passado, trouxemos aqui uma análise que um jornalista fez num site alemão relatando a sua experiência de ter saído do Windows e migrado para o Linux. Após testar diversas distros, ele conseguiu se adaptar bem a EndeveaourOS, e disse que não quer mais voltar para o sistema da Microsoft. Hoje vamos para mais um relato nesse sentido, mas tendo como protagonistas o Windows e o MacOS, os dois sistemas para computadores com os maiores percentuais de quota de mercado.

O relato é do jornalista Antonio Vallejo, do site espanhol GenBeta. Ele classifica a sua percepção sobre essa transição como um pouco estranha, já que ele nunca imaginou que alguma vez diria que um sistema que não fosse o Windows pudesse ocupar o posto de seu SO favorito. “Nunca pensei que teria que escrever sobre algo assim, mas, mesmo assim, aqui estou. Não à toa, mas porque sou usuário do Windows desde que lembro e grande parte dessa culpa está no meu amor por games, por ser o sistema operacional mais confiável e compatível com a maioria dos títulos do mercado”.

Ele diz que não há nenhum arrependimento nessa troca, e que foi como dar um passo num mundo desconhecido. Para desbravar esse mundo do ecossistema da Apple ele adquiriu o MacBook Air com chip M.2. Vallejo classifica o dispositivo como: leve, com ótima bateria, eficiente e mais que suficiente para tudo que ele fará com a máquina. Ele também elogiou o teclado e o trackpad do aparelho.

MacBook Air M2 adquirido pelo jornalista

Assim como muitas pessoas, ele manteve a dobradinha de ter um PC com Windows para games e o MacBook como sua plataforma de trabalho. Devido as inúmeras horas dedicadas ao ofício, o uso com o sistema da Apple irá sobrepor ao contato com o sistema da Microsoft.

“Costumo ter a mente muito aberta quando se trata de usar qualquer tipo de dispositivo ou sistema. Embora já use Android há anos, também tive um iPhone 3GS e um iPhone 5, além do meu indestrutível iPad Air, que uso até hoje”, relata.

Ele afirma que também já chegou a ter contato como várias distribuições Linux, mas nos computadores ele sempre optou pelo Windows, enfatizando novamente a alta compatibilidade com jogos.

Para ter uma visão mais crua da experiência com o MacOS, o jornalista diz que queria usar o sistema com o mínimo de softwares de terceiros, para ver que soluções, embarcadas nativamente, a Apple oferecia.

Fácil adaptação

Para ter uma visão mais crua da experiência com o MacOS, o jornalista diz que queria usar o sistema com o mínimo de softwares de terceiros, para ver que soluções, embarcadas nativamente, a Apple oferecia.

A conclusão dele foi a seguinte: trabalhar sem complicações. Ele diz que a Apple consegue sucesso nessa filosofia de um aparelho que já está redondinho, pronto para ser usado assim que a tampa do notebook é levantada.

“Fiquei surpreso com como acabei me adaptando bem e rapidamente ao macOS. A verdade é que é um sistema que se orgulha disso, a Apple lida de maneira cuidadosa para evitar ‘engasgos’. Além disso, o sistema oferece uma série de funcionalidades voltadas à produtividade e abordagem multimídia, exatamente o que eu procurava”, diz o jornalista.

Vallejo sente que as funções do sistema estão muito mais próximas do usuário e que você não precisa se aprofundar muito para pegar o jeito na hora de realizar qualquer tarefa. “Eu também não consegui superar o fato de poder visualizar praticamente qualquer tipo de arquivo. E apenas clicando em um elemento e pressionando a barra de espaço, podemos visualizar documentos, imagens e vídeos e muito mais sem abrir nenhum programa, recurso extramente útil que falta no Windows”.

Ele também cita que achou curiosa como os apps são instalados. “Ao abrirmos um arquivo DMG temos a opção de executar o aplicativo em questão em um ambiente isolado ou arrastá-lo para o sistema de armazenamento para instá-lo no computador. Talvez seja um dos pontos mais chocantes, principalmente se você for usuário do Windows, pois é um processo visivelmente diferente”.

Apps de terceiros essenciais para o MacOS

Ele também listou alguns apps de terceiros que costuma usar no dia a dia com o Mac:

  • Slack;
  • Discord;
  • Steam;
  • Telegram;
  • WhatsApp;
  • Nordpass
  • Moonlight

Sobre os apps, ele cita como uma decisão muito acertada do sistema a alternância de funcionalidades na barra superior, personalizada a cada aplicação executada. Desta forma, tudo fica mais à mão e não temos que ficar constantemente pesquisando nos menus para encontrar o que precisamos.

E os jogos?

Bom, a plataforma principal dele nesse ponto seguirá o PC com Windows, mas ele elogiou os diversos emuladores de jogos retrô compatíveis com o Mac, tornando o MacBook um ótimo dispositivo para instalar milhares de jogos antigos.

Nem tudo é perfeito

Um ponto que o jornalista colocou como altamente superior no Windows é o gerenciamento de janelas. “Há momentos em que é difícil colocá-las exatamente onde o usuário deseja e a filosofia da Apple de querer controlar todos os aspectos do seu sistema entra em conflito nesse sentido, pois acho que há uma preferência maior por fazer as coisas ficarem bem na tela em vez de conferir liberdade ao usuário e oferecer facilidades para colocar as janelas em qualquer lugar”

Alguns apps, como o Magnet, ajudam a melhorar essa questão do gerenciamento das janelas no MacOS.

O que considerar ao migrar?

Além do alto custo de um aparelho desse, principalmente em mercados como o Brasil, o jornalista menciona que “entrar no macOS também significa fazer uma série de sacrifícios, especialmente quando se trata de sair da nossa zona de conforto. Haverá funções que você provavelmente não gosta ou que talvez o sistema não atenda a todas as suas necessidades. É por isso que, se você está preocupado em testar este sistema operacional, tenha em mente primeiro o modo de uso que espera e se a plataforma atenderá suas expectativas.

Sobre o Autor

Editor-chefe no Hardware.com.br, aficionado por tecnologias que realmente funcionam. Segue lá no Insta: @plazawilliam Elogios, críticas e sugestões de pauta: william@hardware.com.br
Leia mais
Redes Sociais:

Deixe seu comentário

X