Custo de produção de jogos aumentou 10x desde anos 90, diz criador do Tekken

Custo de produção de jogos aumentou 10x desde anos 90, diz criador do Tekken

Durante um intenso debate sobre a implementação de trajes pagos em títulos de luta como Street Fighter 6 e Tekken 8, Katsuhiro Harada, o renomado diretor e criador de Tekken pela Bandai Namco, revelou que o desenvolvimento do seu último jogo teve um custo quase três vezes maior em comparação ao Tekken 7.

Harada também destacou que os custos de produção dos jogos atualmente são dez vezes maiores do que eram nos anos 90. “Os gastos com o desenvolvimento dos jogos atuais são dez vezes maiores do que eram nos anos 90, chegando a ser mais que o dobro ou até quase três vezes os custos de Tekken 7”, explicou Harada em um debate no Twitter.

Leia também
FIFA, GTA e CoD são os “jogos favoritos da vida” dos usuários de console no Brasil, revela pesquisa
PlayStation 5: nada de jogos exclusivos de suas grandes franquias até 2025

Ele prosseguiu, mencionando os gastos adicionais com a manutenção de servidores, essenciais para o aspecto multiplayer online dos jogos de luta atuais, uma funcionalidade que não estava presente na década de 90. “Antigamente, também não tínhamos que lidar com altas resoluções e definições gráficas”, acrescentou.

Hoje em dia, a comunidade deseja que os jogos recebam suporte e atualizações por um longo tempo, gerando custos contínuos”, acrescentou o diretor de Tekken. Harada ainda tocou em outro ponto crucial: a percepção das pessoas sobre a evolução tecnológica e como isso afeta os custos. “Toda tecnologia avançada implica em maiores despesas”, observou.

Respondendo a um fã que joga Tekken desde o segundo título da franquia e criticava as microtransações, Harada comentou: “Ele provavelmente guarda ótimas lembranças dos jogos antigos que jogou na infância, mas ignora as realidades atuais de mudanças e aumento de custos. O cenário econômico está em constante evolução. Se não adaptássemos nossas estratégias, como ele sugere, o jogo deixaria de funcionar em poucos meses. Isso é o que ele deseja?”, questionou Harada.

Ele concluiu afirmando que argumentar com essa pessoa seria inútil, pois ela parece preferir “cessar as atividades econômicas e interromper as atualizações e o suporte ao jogo”.

A discussão gerou opiniões divididas, com alguns apoiando a visão de Harada, enquanto outros questionam se o preço de US$ 70 (equivalente a R$ 270 no PC e R$ 350 nos consoles) não seria suficiente para sustentar o jogo. Por outro lado, há quem afirme que pagaria qualquer valor por novos personagens.

E você? Qual a sua opinião sobre isso?

Fonte: Wccftech

Sobre o Autor

Cearense. 34 anos. Apaixonado por tecnologia e cultura. Trabalho como redator tech desde 2011. Já passei pelos maiores sites do país, como TechTudo e TudoCelular. E hoje cubro este fantástico mundo da tecnologia aqui para o HARDWARE.
Leia mais
Redes Sociais:

Deixe seu comentário

X