Rumor: NVIDIA está perto de lançar a RTX 4090D, versão “capada” da GPU para a China

Rumor: NVIDIA está perto de lançar a RTX 4090D, versão “capada” da GPU para a China

Rumores recentes dão conta de que a NVIDIA está prestes a lançar a GeForce RTX 4090D, uma nova versão de sua placa de vídeo, específica para o mercado chinês. Segundo os boatos, ela será lançada em 28 de dezembro.

Esta versão foi adaptada para cumprir as sanções impostas pelos Estados Unidos, que restringem a venda de GPUs de alta potência para a China. Nos próximos parágrafos dou mais detalhes sobre esta nova versão da RTX 4090.

Leia também
NVIDIA vai encerrar a linha de GPUs GTX 16 a partir do próximo ano
EUA x China: Entenda como a tensão entre os países pode afetar negativamente a NVIDIA

Quais as diferenças para a versão original?

A RTX 4090D compartilha algumas características com a versão original, como o preço e certos aspectos técnicos. Por exemplo, ela mantém a largura de banda de 1008 GB/s e 24 GB de memória GDDR6X (384-bit). No entanto, existem diferenças notáveis que influenciam diretamente no desempenho da placa.

GeForce RTX 4090D

Entre as principais alterações, estão as seguintes:

  • Redução do TDP para 425 W (25W a menos que a RTX 4090 padrão);
  • Ligeiro aumento na frequência base para 2280 MHz (em comparação com os 2235 MHz da RTX 4090);
  • Impossibilidade de aplicar overclock na RTX 4090D;
  • Redução do Total Processing Power (TPP) para menos de 4800 (em comparação com os 5286 da versão padrão).

Esse último aspecto é importante. Caso você não saiba, o Total Processing Power (TPP) é um parâmetro técnico que indica a capacidade total de processamento de uma GPU. Essencialmente, representa a potência computacional máxima que a GPU pode alcançar.

O TPP é calculado com base em vários fatores, como a quantidade de núcleos de processamento, a velocidade do clock, e outras especificações técnicas da GPU. Ele é um indicador crucial da performance geral da placa, influenciando diretamente em sua capacidade de executar tarefas intensivas, como jogos de alta definição ou aplicações de realidade virtual.

Outras reduções incluem menos núcleos CUDA, núcleos Tensor e núcleos RTX, embora os detalhes exatos ainda não tenham sido divulgados. Essas modificações, especialmente a limitação no TPP e a incapacidade de overclocking, resultarão em um desempenho inferior em comparação com a versão original.

Por que a NVIDIA precisou lançar uma versão “capada” na China?

A necessidade de lançar uma versão modificada da RTX 4090 na China decorre das sanções impostas pelos Estados Unidos, que visam limitar o acesso da China a tecnologias de ponta em áreas sensíveis, como a computação de alta performance.

Essas sanções incluem restrições específicas à exportação de GPUs avançadas, forçando fabricantes como a NVIDIA a adaptar seus produtos para atender a essas regulamentações. Lembra do TPP que explanei no tópico anterior? Então, agora as empresas americanas só podem comercializar chips com TPP abaixo de 4.800.

Portanto, a GeForce RTX 4090D representa uma resposta estratégica da NVIDIA a essas restrições, permitindo que a empresa continue operando no lucrativo mercado chinês, enquanto cumpre as exigências do governo dos EUA.

Essas adaptações, embora necessárias para a conformidade regulatória, têm como consequência uma redução nas capacidades de processamento da GPU, limitando assim seu desempenho em comparação com a versão não restrita disponível em outros mercados.

Fonte: Tom’s Hardware

Sobre o Autor

Cearense. 34 anos. Apaixonado por tecnologia e cultura. Trabalho como redator tech desde 2011. Já passei pelos maiores sites do país, como TechTudo e TudoCelular. E hoje cubro este fantástico mundo da tecnologia aqui para o HARDWARE.
Leia mais
Redes Sociais:

Deixe seu comentário

X