Anitta: Spotify pode analisar se recorde global foi manipulado por fãs da cantora

Anitta: Spotify pode analisar se recorde global foi manipulado por fãs da cantora

No dia 25 de março, a cantora carioca Anitta chegou ao primeiro lugar do ranking de global de músicas mais ouvidas no Spotify, mas especialistas em análise de dados desconfiam da manipulação por parte dos fãs para impulsionarem a canção “Envolver”.

Nesta quarta-feira (13), até o momento desta publicação, a canção possui 145 milhões de reproduções.

Anitta Spotify

Contudo, o sucesso global de Anitta aparentemente não é tão global assim.

Embora, no final do mês passado, Anitta tenha se tornado a primeira artista brasileira a alcançar a primeira posição no ranking global do Spotify (na playlist Top 50 Global) com a canção “Envolver”, a maioria dos streamings vieram do Brasil.

 

Das 6,4 milhões de vezes em que a música foi reproduzida até alcançar a primeira posição, 4,1 milhões de plays vieram do Brasil.

Anitta Spotify
Anitta possui mais de 32 milhões de ouvintes mensais no Spotify. No entanto, as cinco primeiras cidades que escutam Anitta ficam exclusivamente na América Latina.

Ontem (12), começaram a surgir matérias na imprensa nacional — após um artigo de um site americano — sobre a manipulação nos streams da cantora.

De acordo com a coluna de Ricardo Feltrin no UOL, o Spotify irá analisar se o recorde de Anitta foi, de fato, manipulado por fãs. A plataforma alegou ter ferramentas para determinar se houve fraude ou uso de bots por parte dos fãs da cantora.

Como os fãs de Anitta burlaram o Spotify?

O site Rest of World, que entrevistou alguns fãs de Anitta, bem como profissionais da indústria musical, levantou o questionamento sobre a relação entre o sucesso da música da cantora e a manipulação de fãs no algoritmo do Spotify.

Vale ressaltar que a manipulação dos algoritmos da plataforma são possivelmente uma violação dos termos e condições do serviço.

Além disso, segundo a matéria do site americano, a manipulação dos fãs no algoritmo do Spotify foi encorajado pela própria equipe de produção da Anitta.

A equipe da cantora encorajava incessantemente os fãs a impulsionar as reproduções da música “Envolver” no Spotify.

Capa do single “Envolver”, que chegou ao topo do ranking global do Spotify.

No dia 14 de março, o perfil do fã clube oficial da Anitta no Twitter, QG da Anitta, retuitou uma publicação sorteava assinaturas premium do Spotify aos fãs que mandassem prints reproduzindo a canção.

https://twitter.com/QGdaAnitta/status/1503765434700550156

Outro fã clube, inclusive, pediu aos seus seguidores para usar contas diferentes no Spotify e trocá-las após 20 reproduções.

Um fã de Anitta entrevistado pelo Rest of World afirmou ter criado várias playlists no Spotify para reproduzir a canção mais de duas mil vezes por dia utilizando um notebook e dois celulares, executando “Envolver” através de contas diferentes simultaneamente.

Leia também: Como criar uma playlist no Spotify

De acordo com a matéria do site, o fã afirmou que sua vontade era impulsionar a popularidade da canção de Anitta no Spotify como forma de retribuir uma artista que teve uma influência tão importante em sua vida.

O fã também explicou que o Spotify não conta como reprodução as vezes em que a canção é repetida, pois o algoritmo da plataforma entende ser a atuação de bots. Portanto, é preciso criar uma playlists com diferentes músicas para alterná-las com a que o usuário quer impulsionar.

Por não haver o uso de bots pelos fãs da cantora Anitta, o Spotify pode enxergar como algo normal, em vez de manipulação.

O que diz o Spotify?

spotify-premium-akcio-001-1024x576

Conforme dito acima, aparentemente, a campanha dos fãs para impulsionar a música de Anitta no ranking global do Spotify não recorreu a bots.

Sendo assim, a  maioria dos streams vieram de um exército de fãs extremamente engajados.

Caso fossem bots, o Spotify solucionaria o problema facilmente. Entretanto, como a ação foi orgânica, o Spotify limitou seus comentários sobre o caso.

Confira o que o serviço de streaming de músicas disse à coluna de Ricardo Feltrin no UOL:

“Quando identificamos ou somos alertados sobre casos potenciais ou confirmados de manipulação de stream, tomamos medidas que podem incluir a retenção de royalties, a correção de números de streaming e medidas para garantir que a popularidade do artista ou da música seja refletida com precisão em nossos gráficos. O Spotify reserva-se o direito de remover conteúdo manipulado da plataforma.”

Enfim, o Spotify, basicamente, repetiu os termos de condições de uso da plataforma, antes de finalizar ressaltando os recursos disponíveis para identificar fraudes.

Leia:

“Colocamos recursos de engenharia e pesquisas significativos para detectar, mitigar e remover a atividade de streaming artificial no Spotify para que nada atrapalhe nossa missão de dar aos artistas a oportunidade de viver de sua arte e para que os detentores de direitos sejam pagos da maneira mais justa possível para o seu trabalho. A integridade disso é incrivelmente importante para nós, porque um fluxo ilegítimo significa que há artistas honestos e trabalhadores do outro lado que são afetados.”

Resposta da equipe de Anitta

Ontem (12), Paulo Pimenta, o empresário de Anitta, publicou uma carta aberta no Instagram abordando o tema de manipulação da música da cantora no Spotify.

Leia a íntegra:

Carta Aberta

“Muito se fala sobre ‘Envolver’ e seu sucesso que dura até hoje no top 50 global do Spotify. A primeira cantora latina a chegar a posição #1 de forma solo é brasileira e se chama Anitta. Foi ela mesma que lá atrás uma vez me disse que uma minoria sempre tende a elevar um artista só para depois ter o prazer de diminui-lo. Infelizmente, ela tem razão. Vamos aos números de “Envolver” nos *últimos 28 dias*? Reparem que o país que mais ouviu “Envolver” foi o Brasil: 38.420.876 de plays. Mas se você QUISER realmente estudar os resultados, a perspectiva muda. Somados, os streamings dos 9 países que mais ouviram “Envolver” resultam em um número relevante e global: 42.801,642.

O Brasil é o segundo mercado consumidor de música do mundo em número de ouvintes digitais e sua população e território são continentais. Logo, existe uma lei de proporcionalidade. Seria óbvio que uma cantora tivesse tal resultado em seu próprio país? Não necessariamente. Mas, se tratando da Anitta, tudo muda de figura. Enxergamos aqui outro fenômeno.

A cantora arrebatou seu país com um ritmo que não é brasileiro e em língua espanhola — não muito falada por aqui. Um posicionamento internacional de dentro para fora. Há quem diga que os fãs brasileiros ouviram muito Envolver. Mutirão. Mas isso é ruim? Vale ressaltar que Anitta tem mais ouvintes mensais nos Estados Unidos do que grandes cantoras americanas — é só QUERER pesquisar. Algumas poucas notícias sobre Envolver ainda podem revelar a teoria citada no início do texto. Mas ainda bem que a matemática não mente e que a grande maioria dos brasileiros ainda tem orgulho dos artistas nacionais e se envolveu com a Anitta ao ponto de quebrarem juntos barreiras nunca antes ultrapassadas”.

Sobre o Autor

Redes Sociais:

Deixe seu comentário

X