A casa caiu: Audi admite ter utilizado software que manipula poluentes em 2,1 milhões de veículos

A casa caiu: Audi admite ter utilizado software que manipula poluentes em 2,1 milhões de veículos

Na semana passada, depois de muitos rumores, a Volkswagen simplesmente admitiu que cerca de 11 milhões de veículos movidos a diesel foram manipulados em relação aos resultados de emissão de poluentes, graças a um software especial que burla os dados de emissão de poluentes apenas quando os carros estão em processo de teste. 

Todo esse imbróglio ocasionou a renúncia do presidente Martin Winterkorn, que foi substituído por Matthias Mueller, que veio da Porsche. O executivo, em um pronunciamento, disse que estava chocado com os acontecimentos dos últimos dias, e se sentiu abismado como um erro de conduta desse naipe aconteceu numa empresa da magnitude da VW. Porém, toda essa surpresa do ex-presidente da companhia, de acordo com alguns relatos, não passa de um verdadeiro teatro: uma investigação do jornal alemão Frankfurter Allgemeine afirma que o alto escalão dos executivos da Volkswagen (incluindo Martin Winterkorn) sabiam do uso do software desde 2011.

O montante de dinheiro para reverter esse lamaçal será bem grande. A montadora disse que reservou 6,5 bilhões de euros (cerca de R$ 29 bilhões) para solucionar o problema e segurar os rojões que esse episódio irá acarretar. Dentre as consequências, podemos citar uma queda de 37% nos valores das ações, além de um recall de 500 mil veículos só nos EUA.

Alguns dias se passaram, e agora mais uma montadora admitiu estar envolvida nessa história de manipulação de resultados via software. A Audi, que faz parte do grupo da Volkswagen, juntamente outras 10 montadoras (NSU Motorenwerke AG, SEAT, Skoda, Bentley, Bugati, Lamborghini, MAN SE, Scania, Italdesign Giugiaro e Ducati Motor Holding), admitiu que utilizou o mesmo software de manipulação de resultados em 2,1 milhões de veículos. De acordo com um porta-voz da Audi, só na Alemanha, 577 mil veículos foram afetados, enquanto nos EUA a quantia está em torno de 13 mil carros. 

O pessoal da equipe do Auto Esporte entrou em contato com a Audi Brasil para que a companhia se pronunciasse sobre o ocorrido. A Audi do Brasil declarou que não comercializa automóveis a diesel em nosso país.

Essa história envolvendo a VW e suas vertentes irá render e muito. As autoridades alemães estabeleceram que até o dia 7 de outubro todos os carros da montadora estejam cumprindo as normas nacionais de emissão de poluentes sem a ajuda do software.

Com todos os problemas provavelmente haverá uma redução drástica dos ativos da companhia alemã, forçando que parte do seu plante de montadoras associadas tenham que ser vendidas. Vamos aguardar os próximos capítulos!!

Sobre o Autor

Editor-chefe no Hardware.com.br, aficionado por tecnologias que realmente funcionam. Segue lá no Insta: @plazawilliam
Leia mais
Redes Sociais:

Deixe seu comentário

X