Microsoft sofre para aprovar app do SkyDrive na App Store da Apple

Por: Marcos Elias Picão
Microsoft sofre para aprovar app do SkyDrive na App Store da Apple

Quem é o proprietário do sistema operacional e dos aplicativos? Esta é uma questão bem delicada. Salvos os softwares livres, os sistemas e aplicativos normalmente são licenciados com severas restrições. Quem quiser usar o software precisa concordar com os termos de uso, e aceitar todas as limitações impostas. Não há o que fazer: as únicas opções são aceitar da forma como as fabricantes querem ou simplesmente não utilizar tais programas. Há uma terceira, que seria violar os termos e usar assim mesmo, mas esta não é suportada legalmente; e dependendo do caso, fica impraticável. É impossível publicar na App Store um app que viola as regras da Apple, por exemplo. Não dá pra violar os termos explicitamente quando a outra parte está no controle.

A situação fica mais crítica no caso de alguns fabricantes, como a Apple mesmo. Oficialmente a empresa não permite que aplicativos não autorizados rodem no iOS, seu sistema para iPhones, iPads e iPods touch. Tudo precisa passar pelo seu rigoroso processo de aprovação, para então ser disponibilizado na App Store. As regras de aprovação foram flexibilizadas nos últimos tempos perto das originais, mas ainda são bem duras. Para que um app venda coisas digitais, por exemplo, a Apple exige o uso do seu sistema de pagamento integrado, no qual ela embolsa 30% do valor das transações. A divisão de 70% para o produtor e 30% para a dona da loja é algo tradicional no ramo.

E quem não quiser? Os desenvolvedores que não quiserem se submeter a isso precisam basicamente abandonar a plataforma, ou bolar um jeito diferente ou simplesmente deixar de vender serviços dentro do app. Mesmo um simples botão de cadastro ou compra que leve para algum meio fora do app não é permitido.

Recentemente tem ocorrido uma briga desse gênero entre nada mais, nada menos do que duas gigantes bem conhecidas: Apple e Microsoft.

A Microsoft tem o app do SkyDrive, um serviço de armazenamento de dados na internet, quer por sinal concorre em algumas áreas com o iCloud. Além do plano gratuito o SkyDrive permite aumentar o espaço pagando uma assinatura. Aí que está o problema: a Apple só deixa se a Microsoft usar o sistema de pagamento dela, onde a maçã ficaria com 30% do valor anunciado. E a Microsoft não quer isso.

App do SkyDrive na App Store

App do SkyDrive na App Store

Como consequencia uma atualização do SkyDrive não foi aprovada na App Store. Além do recurso de compra de mais espaço, essa versão corrigia alguns problemas.

A Microsoft propôs remover a possibilidade de comprar a assinatura a partir do app, mas a Apple rejeitou: como o serviço oferece um meio de assinatura fora da App Store, ele deveria fornecer nela também – pagando os 30% da Apple, claro.

Quem paga o pato são os usuários da plataforma, muitos que nem sabem das regras de comércio ali dentro. Além de ficarem sem a última versão do app do SkyDrive diversos outros aplicativos também foram prejudicados, especialmente os que se integram ao SkyDrive por meio das APIs dele. A Apple tem reprovado vários apps que precisam fazer login no SkyDrive porque usam um meio “externo”, algo que ela não permite. Alguns casos são relatados na web, como este, mas há muitos outros que nem vêm a público.

Nessas horas é bom parar para refletir o estrago que as plataformas fechadas causam no mundo do software. Tudo bem que é um livre mercado, um comércio; quem não quiser se sujeitar, que simplesmente não utilize as iCoisas ou não desenvolva apps para a plataforma. Será que é isso mesmo que os usuários querem?

A Apple tem criado algumas exceções para certos periódicos, mesmo assim a grande maioria dos apps que precisam de cadastros ou pagamentos em fontes externas são sumariamente recusados. É triste ver que uma das plataformas que se diz mais inovadoras e fáceis de usar tenha esse tipo de política. Enquanto tiver quem compre provavelmente será assim, fazer o que.

Sobre o Autor

Redes Sociais:

Deixe seu comentário