VoIP em smartphones

Um bom suporte a VoIP está rapidamente se tornando um pré-requisito para qualquer smartphone atual. O motivo é simples: a baixa latência e as boas taxas de transferência das conexões 3G permitem realizar ligações com qualidade, muito diferente do que tínhamos nas conexões GPRS e EDGE, onde as chamadas de voz são quase inutilizáveis, com sua voz muitas vezes demorando 5 segundos ou mais para chegar até o interlocutor.

Desde que o sinal esteja bom, as conexões 3G são perfeitamente utilizáveis para VoIP, assim como as conexões via ADSL ou cabo. Tendo um plano de dados ilimitado, seria desperdício não utilizar o aparelho para fazer chamadas VoIP, que, afinal, são brutalmente mais baratas do que fazer interurbanos e ligações internacionais a partir do celular. No caso dos aparelhos com suporte a Wi-Fi, você pode também fazer as chamadas usando a conexão de rede, mesmo sem possuir um plano de dados.

Nos desktops, temos a predominância do Skype, mas outros aplicativos, como o Gizmo e o Vono também são bastante utilizados. No ramo empresarial, tem-se usado cada vez mais o Asterix, que oferece uma solução completa para realizar chamadas entre diferentes filiais e integrar as centrais com outros serviços de VoIP, assim como com a rede de telefonia (tecnicamente chamada de “POTS”, ou “Plain Old Telephone Service”).

Os clientes VoIP para smartphones podem ser divididos em duas categorias. A primeira é a dos clientes de VoIP “reais”, que fazem as chamadas usando unicamente a rede de dados (assim como os clientes para desktop). A segunda é a dos “híbridos”, que atuam de forma limitada, combinando uma chamada de voz regular até uma central próxima e uma ligação VoIP até o destinatário, ou seja, atuando apenas como pontes e não como aplicações VoIP “reais”.

Um bom exemplo de aplicativo híbrido é o iSkoot (http://www.iskoot.com/), um cliente para o Skype que está disponível para diversas plataformas. Ele funciona em praticamente qualquer smartphone, incluindo modelos com o S60, Windows Mobile, BlackBerry, UIQ e até mesmo alguns modelos da Motorola e da Palm, incluindo os modelos sem suporte a 3G.

Isso é possível por que ele utiliza a rede de dados apenas para atualizar o status dos contatos e para as janelas de chat. Ao fazer uma chamada de voz para um dos contatos do Skype, ele disca para um número local (utilizando os minutos de voz) de uma das centrais do serviço, que, simultaneamente, realiza a chamada de dados até o destino e conecta as duas:

Também é possível ligar para telefones fixos utilizando o SkypeOut, mas, nesse caso, você paga tanto a chamada de voz quanto a tarifa do SkypeOut, o que acaba saindo caro.

Outro exemplo de aplicativo híbrido é o Gizmo5 (http://gizmo5.com/mobile/), que também está disponível para diversas plataformas, incluindo o S60, Windows Mobile, Blackberry e UIQ. Ele ainda é baseado no uso de chamadas de voz, mas usa um sistema um pouco mais engenhoso, onde a central realiza duas chamadas simultâneas: uma para o seu aparelho e outra para o destinatário, conectando ambas. Por estranho que possa parecer, ao ligar para alguém seu aparelho começa a tocar, e você atende à chamada. 🙂

A vantagem do sistema é que você não paga pela ligação de voz local (já que é a central do serviço que faz a ligação e não você) mas, naturalmente, a ligação não sai de graça. Assim como no caso da versão para desktops, o serviço é baseado na compra de créditos e, ao usar o cliente móvel, você paga pelas duas ligações (da central para o seu celular e da central para o destinatário), o que faz com que as ligações consumam o dobro de créditos do Gizmo. Em outras palavras, você continua pagando pela chamada local, muda apenas a empresa que recebe por ela.

Em seguida temos o Skype, que possui uma versão nativa para Windows Mobile (apenas para ele), que você pode baixar no: http://www.skype.com/intl/pt/download/skype/windowsmobile/. Diferente do iSkoot e do Gizmo, esta é realmente uma versão completa, que trabalha usando unicamente o tráfego de dados:

Estão disponíveis duas versões: Pocket PC (para os aparelhos com tela touchscreen) e Smartphone (aparelhos sem touchscreen). Você pode tanto usar o arquivo .exe (que é instalado via ActiveSync, usando um PC com Windows) quanto instalar diretamente no smartphone, usando o arquivo .cab.

Quando usado via Wi-Fi, o Skype funciona realmente muito bem, sem nenhum lag perceptível em relação ao que você teria ao usar um PC (ligado na mesma conexão). A única limitação grave é que a voz do interlocutor é tocada usando o speaker traseiro e não usando o fone frontal. Com isso, você é obrigado a usar o fone ou cobrir o speaker traseiro usando o dedo, para que o som ressoe pelo corpo do aparelho e você possa ouvir.

Como reportado pelos desenvolvedores do Skype (http://forum.skype.com/index.php?showtopic=96266, caso esteja curioso), esta é na verdade uma limitação do Windows Mobile, que não permite que aplicativos de terceiros tenham acesso ao speaker frontal. É um problema da plataforma, que afeta diversos aparelhos. Enquanto a Microsoft não disponibiliza uma correção, a melhor solução é usar os fones de ouvido, ou comprar um headset Bluetooth.

O Skype possui também uma versão em Java, que roda em diversas plataformas, disponível no http://www.skype.com/intl/pt/download/skype/mobile/. Esta é, entretanto, uma versão bastante limitada, que trabalha dentro de um sistema híbrido (assim como no caso do iSkoot), fazendo chamadas de voz até a central e criando a interface com a rede de dados a partir dela. O sistema é simples e a qualidade da ligação é boa, o grande problema é que, além da tarifa do SkypeOut, você paga a ligação de voz até a central. Isso faz com que ele seja utilizável apenas se você assina um plano com muitos minutos de voz, que quer converter em chamadas para os contatos do Skype.

Chegamos então ao Fring, outro exemplo de aplicativo de VoIP “real”. Ele é um aplicativo gratuito, que oferece suporte nativo a ligações VoIP através do Skype ou através de serviços compatíveis com o padrão SIP. Como um brinde, ele oferece também suporte a mensagens de texto (MSN, ICQ, Gtalk e Skype), resultando em uma solução de comunicação bastante completa.

A forma mais simples de instalá-lo é acessar o http://www.fring.com/download/ diretamente a partir do smartphone. Existe também a opção de acessar a página através do PC e fornecer o número do celular para que o link de download seja enviado através de uma mensagem de texto, mas ela não é muito recomendável, pois a mensagem demora para chegar (quando chega). Diferente do Skype, ele possui versões para diversas plataformas, incluindo o S60, UIQ, Windows Mobile e iPhone.

Ao abrí-lo pela primeira vez, cadastre sua conta do Skype, MSN e outros serviços que quiser utilizar. Ele baixa as listas de contatos automaticamente e cria uma lista unificada com os contatos de todas as redes. Na hora de fazer ligações, basta selecionar o contato do Skype ou SkypeOut e usar a opção “Make Fring Call”.

Sempre que você faz chamadas pagas através do SkypeOut, eles recebem uma percentagem da tarifa, que é o que mantém o serviço. Muitas das chamadas ficam com cortes ou chiados (previsível, já que as redes móveis trabalham com um índice de perda de pacotes maior do que em uma conexão via ADSL) e o fato dos servidores estarem situados na Europa adiciona cerca de 200 ms de latência adicional, mas, no geral, o serviço funciona bem.

A possibilidade de fazer chamadas usando o próprio celular, pagando pouco ou nada, é uma experiência realmente interessante. Você acaba fazendo bem mais chamadas, usando melhor o tempo enquanto está se deslocando.

O Fring pode ser também configurado para uso em conjunto com serviços baseados no protocolo SIP, como no caso do Vono (o serviço de VoIP via SIP da GVT, disponível no https://www.falevono.com.br/). Ele acaba sendo uma boa opção em relação ao Skype pois permite tanto fazer quanto receber ligações, e os servidores no Brasil garantem uma baixa latência e uma boa qualidade nas chamadas.

A configuração é bastante simples. Dentro do Fring, acesse o “Settings > Manage communities” e marque a opção “SIP”. Isso o leva a uma tela de seleção com vários serviços de VoIP que utilizam o protocolo. O Vono não está na lista, por isso escolha a opção “Other”. Basta preencher os campos com o login/senha e (o mais importante) usar o “vono.net.br” como servidor proxy, já que é através dele que o Fring irá realizar as chamadas:

User-ID: seulogin@vono.net.br
Password: *****
Proxy address: vono.net.br

Na hora de ligar, basta escolher a opção “SIP call” e fornecer o número, incluindo o 0 e o código da cidade. Se você mantiver o Fring aberto, pode também receber ligações normalmente. Ao criar sua conta, você tem a opção de criar um número fixo de entrada (estão disponíveis números em várias cidades), que permite receber também chamadas feitas a partir de telefones fixos.

O grande problema é que, por transmitir dados continuamente, o Fring gasta a carga da bateria muito rápido. Para poder mantê-lo aberto o tempo todo, você vai acabar precisando carregar o smartphone duas vezes por dia: uma de manhã e outra no meio da tarde.

Sobre o Autor

Redes Sociais:

Deixe seu comentário

X