Dicas de instalação

Por: Julio Cesar Bessa Monqueiro

Na tela de boot, o primeiro passo é pressionar a tecla F2 e ajustar a linguagem. Além de fazer com que o sistema seja instalado diretamente na linguagem selecionada, isso faz com que todas as opções daí em diante apareçam traduzidas desde o início da instalação.

Como era de se esperar, o Mandriva oferece um bom suporte ao português do Brasil, já que boa parte dos desenvolvedores trabalham no escritório de Curitiba. O Mandriva é também uma das distribuições que mais contribuiu na tradução do KDE e de outros aplicativos, desde a época do Conectiva.

Como de praxe, o instalador suporta opções para o kernel, que podem ser usadas para solucionar problemas. Para ter acesso à linha de edição, pressione a tecla F6 na tela de boot:

Se o instalador travar em algum ponto do boot, por exemplo, experimente desativar o ACPI, usando a opção “acpi=off”. Alguns recursos do sistema, como o medidor de bateria (em notebooks) e o gerenciamento de energia para o processador ficarão desativados, mas você poderá pelo menos concluir a instalação e usar o sistema. Experimente também a “acpi=oldboot”, que desativa apenas alguns recursos do ACPI, com menos efeitos colaterais.

Em casos de problemas com a detecção de alguns componentes, como a placa de som, placa de rede, ou de uma placa wireless (que possua drivers para o Linux), experimente usar a opção “pci=noacpi”. Ela faz com que o sistema não utilize o ACPI para o roteamento de interrupções de IRQ, recurso que não funciona corretamente em algumas placas-mãe. Além destas três opções, você pode usar todas as demais opções de boot que modificam o comportamento do kernel, como a “noapic”, “nolapic”, “pci=biosirq”, “irqpoll”, “reboot=b”, “all-generic-ide” e assim por diante.

Além da instalação tradicional, utilizando o drive óptico, o instalador oferece também a opção de instalar o sistema via rede. Nesse caso, você deve copiar todos os arquivos dos CDs ou do DVD de instalação para uma única pasta em um servidor remoto e compartilhá-la via NFS, FTP ou via HTTP. Você pode então dar boot nos clientes utilizando pendrives e usar a opção de boot “install=”, especificando o protocolo, o endereço IP do servidor e o diretório compartilhado, como em:

install=nfs://192.168.1.254/arquivos

O cliente tentará obter a configuração da rede via DHCP e contatar o servidor para iniciar a instalação. Se você não tiver um servidor DHCP na rede, pode usar a opção “hostip=” para especificar o IP que será usado pelo cliente, como em:

hostip=192.168.1.2 netmask=255.255.255.0 install=nfs://192.168.1.254/arquivos

Como comentei há pouco, o Mandriva foi uma das primeiras distribuições a trazer um instalador amigável (ainda na época do Mandrake) e as versões atuais mantêm a tradição. Apesar disso, conhecer as opções de instalação mais a fundo é sempre interessante, por isso vamos a elas:

Sobre o Autor

Redes Sociais:

Deixe seu comentário