blank blank

Opções para solucionar problemas

Em quase todas as distribuições, é possível especificar opções adicionais durante o boot. Estas opções são repassadas diretamente ao kernel, alterando seu comportamento ou desativando recursos que podem fazer com que o sistema trave durante o boot, ou que façam determinados componentes não serem reconhecidos. No Ubuntu, por exemplo, você pode acessar a linha de opções para o kernel pressionando a tecla F6 na tela de boot:

Você pode combinar várias opções, caso necessário, especificando de uma vez várias opções para solucionar problemas comuns (acpi=off, noapic, nolapic, etc.) de maneira a tentar fazer a máquina terminar o boot e, a partir daí, ir testando uma a uma para descobrir qual delas resolveu o problema.

Todas estas opções possuem efeitos colaterais, de forma que elas não servem para otimizar ou melhorar o desempenho do sistema, são apenas uma forma de solucionar problemas em casos específicos. Vamos então a uma lista das opções disponíveis, que você pode usar como fonte de consulta para quando tiver problemas:

acpi=off: Esta opção desativa o ACPI, corrigindo problemas diversos de boot em muitas máquinas. O ACPI é o responsável pelo monitoramento da carga da bateria, ajuste da frequência do processador e muitas outras funções importantes, de maneira que você deve deixar para desativá-lo apenas em último caso.

acpi=noirq: Esta é uma versão mais light da opção “acpi=off”, que ao invés de desativar completamente a função, desativa apenas a atribuição dinâmica de endereços, que é a causa de uma grande parte dos problemas relacionados ao ACPI.

Esta opção corrige problemas na detecção da placa de rede, placa de som e placa wireless em diversos notebooks da Acer, Positivo e de outros fabricantes, além de problemas em diversas placas-mãe com chipset SiS ou ATI, causados por bugs na atribuição de endereços por parte do BIOS.

Uma observação importante é que, embora corrija problemas em algumas placas e notebooks, esta opção cria problemas de detecção de componentes e conflitos em outros, fazendo com que a placa wireless ou periféricos USB não sejam detectados, por exemplo. Você deve usá-la apenas como forma de solucionar problemas, nunca como uma opção de rotina.

noapic: O APIC é um recurso usado nos micros modernos para atribuir endereços de IRQ, evitando conflitos entre os dispositivos. Entretanto, muitos PCs usam BIOS com bugs diversos, que atribuem os endereços incorretamente. O resultado mais comum é que alguns periféricos não sejam detectados pelo sistema, como nos misteriosos casos onde a placa de som ou a placa de rede não são detectados no Linux. Usar esta opção soluciona o problema em muitas situações.

Note que, em muitos casos, a melhor forma de corrigir de forma definitiva este tipo de problema é atualizar o BIOS da placa-mãe, já que uma versão corrigida pode solucionar o problema direto na fonte. Muitos fabricantes, como a Gigabyte e a Asus, oferecem um bom suporte com relação a isso; vale a pena verificar se não existe uma atualização disponível para sua placa.

Normalmente, o upgrade de BIOS é feito dando boot através de um disquete ou CD-ROM gravado com uma imagem baixada na página do fabricante. Atualizar o BIOS é um procedimento potencialmente perigoso, por isso não deixe de ler as instruções do fabricante e checar se o arquivo baixado é realmente para a sua placa.

nolapic: O LAPIC (local APIC) é uma variação do APIC, que é usado em máquinas com processadores dual-core ou quad-core. Assim como a “noapic”, a opção “nolapic” é usada para solucionar problemas relacionados ao boot ou à detecção de periféricos. Embora as duas possam ser usadas em conjunto enquanto você está atirando para todos os lados, normalmente apenas uma delas é necessária.

nosmp: Em máquinas com processadores dual-core, esta opção desativa o segundo núcleo, o que soluciona problemas de boot em muitas máquinas. Naturalmente, sem um dos núcleos o desempenho da máquina será mais baixo, mas ela serve como uma solução temporária, até que você descubra uma solução definitiva para o problema, que pode ser uma atualização de BIOS, uma nova versão do kernel, ou, simplesmente, uma versão atualizada da distribuição em uso.

pci=biosirq: Esta é mais uma opção que resolve problemas de detecção da placa de rede ou som em algumas máquinas. Ela faz com que o sistema siga a configuração de endereços definida pelo BIOS, em vez de usar o procedimento normal de detecção.

pci=bios: Mais uma opção de compatibilidade, desta vez destinada a burlar problemas com a controladora PCI da placa mãe. Embora raro, pode ser necessário usá-la para que o sistema consiga completar o boot em alguns notebooks.

pnpbios=off: Desativa o suporte a plug-and-play por parte do BIOS da placa-mãe, deixando que o Kernel se encarregue da detecção de todos os componentes. Esta é mais uma opção que resolve problemas de compatibilidade em algumas placas.

irqpoll: Esta opção modifica a forma como o sistema detecta os dispositivos da máquina, corrigindo uma série de problemas em PCs e notebooks recentes, sobretudo quando usados em conjunto com distribuições antigas, anteriores a 2008.

Ela é necessária para a placa wireless funcionar em alguns notebooks Acer com placas Broadcom; resolve problemas relacionados com a placa de som (ou com a placa de rede) em diversas configurações; e, soluciona um problema relacionado à detecção de HDs SATA em placas baseadas no chipset K8T890 (como a Asus A8V-E), entre outras. Esta opção causa poucos efeitos colaterais, se comparada com as demais.

reboot=b: Essa opção faz com que seja usada uma função alternativa para reiniciar o micro via software, resolvendo alguns casos em que a máquina não reinicia sozinha ao usar o comando “reboot”.

generic.all_generic_ide=1: Esta opção soluciona problemas de compatibilidade com as controladoras IDE ou SATA de algumas placas-mãe, sobretudo nas placas com o infame chipset SiS 761GX/965L (ao usar um HD SATA), como a PC-Chips K8 A31G. Esta opção deve ser usada em casos onde o sistema não consegue detectar os HDs do micro (o que, além de impedir que você acesse os arquivos, impossibilita a instalação). Ao usar a opção de boot, o sistema utiliza um modo de acesso genérico para os HDs, o que soluciona o problema na maioria dos casos.

Esta opção causa uma redução significativa no desempenho do sistema, por isso só deve ser usada quando realmente necessário. Uma peculiaridade é que ela faz o sistema detectar o HD SATA como “/dev/hde” e não “/dev/sda”, como seria usual. Apesar disso, a instalação do sistema ocorre de forma normal. Outra dica é que, em algumas placas com chipset VIA, pode ser necessário combiná-la com a opção “irqpoll”, solucionando também um problema com a atribuição dos endereços.

Em distribuições com versões antigas do Kernel, a opção é escrita como “all-generic-ide” (com traços em vez de underlines). Você encontrará referências também à “all_generic_ide”, que é uma versão curta da mesma opção.

Sobre o Autor

Redes Sociais:

Deixe seu comentário

blank