Escolhendo um novo smartphone, parte 2

Escolhendo um novo smartphone, parte 2

Para quem estava curioso sobre o smartphone do post anterior, acabei de postar a primeira parte da análise no GDH:

Escolhendo um novo smartphone


Foi-se o tempo em que os celulares eram usados “só para falar”. Conforme foram evoluindo, os celulares passaram a incorporar as funções de cada vez mais dispositivos, tornando-se progressivamente mais importantes. Com tantas funções, a escolha do smartphone ideal tem se tornado cada vez mais difícil, já que você não está escolhendo apenas um gadget, mas sim vários deles simultaneamente. É muito fácil errar na dose e pecar pelo excesso, gastando muito mais do que seria necessário, ou pela falta, comprando um aparelho limitado ou imprático de usar.

Para os apressados, que querem ir direto à conclusão, aqui vai:

Logo no início da pesquisa, percebi que a não seria possível encontrar nenhum modelo com menos de 100 gramas que oferecesse um teclado QWERT, já seria pedir demais. Se dinheiro não fosse problema e estivesse disposto a continuar carregando um aparelho volumoso, duas boas opções seriam o Nokia E95 8G (127 gramas) e o HTC Touch Pro (160 gramas):

fig22fig23

Poderia optar também por um Nokia E61 3G, que seria o sucessor direto do E62, com a mesma aparência e peso e o mesmo teclado QWERT:

fig24

Entre os três, o E61 3G seria o aparelho mais próximo dos objetivos traçados, já que ele é um aparelho relativamente barato e que oferece um bom conjunto de recursos. Ele é bastante confortável para navegar, escrever e-mails e trocar mensagens, mas tem a desvantagem de ser grande, pesado e feio.

Outro forte concorrente seria o Nokia E51, outro modelo 3G da safra atual. Ele oferece um bom conjunto de recursos, com suporte a redes Wi-Fi, câmera de 2 megapixels, 130 MB de memória interna utilizável, combinados com o suporte a cartões microSD de até 4 GB, pesando apenas 100 gramas:

fig25

Entretanto acabei me decidindo por um modelo ainda mais simples, o Nokia 6120 Classic, que é o modelo mais leve e mais barato dentro da linha 3G, pesando apenas 89 gramas. Com exceção do 11 gramas a menos, ele não tem nenhuma vantagem com relação ao E51, pelo contrário, possui menos memória RAM, menos espaço de armazenamento e não possui Wi-Fi. Entretanto, ele possui um argumento de venda digno de nota, o preço:

fig26

Embora o preço “cheio” na loja da Nokia seja R$ 850, é possível encontrá-lo por valores muito mais baixos em outras lojas e o valor cai bastante ao assinar um plano pós pago, como você pode ver no screenshot.

O 6120 vai cair como uma surpresa para muitos, já que é um dos aparelhos mais baratos da nova linha, mas apesar disso ele é capaz de atender aos objetivos propostos. A segunda parte da análise, que pretendo postar no início da semana que vem, será dedicada a como explorar melhor os recursos do aparelho, fazendo com que ele desempenhe todas as funções propostas, com dicas que servem também para outros celulares Nokia com o S60.

Sobre o Autor

Redes Sociais:

Deixe seu comentário

X