blank blank

Apresentações em PDF com efeitos 3D

Apresentações em PDF com efeitos 3D

PDF-based presentations with 3-D effects
Autor original: Bruce Byfield
Publicado originalmente no:
lwn.net
Tradução: Roberto Bechtlufft

A princípio, a idéia de adicionar transições tridimensionais a softwares de linha de comando para apresentações pode causar uma certa dissonância cognitiva. Assim como faria se um sujeito adicionasse um sistema de rastreamento GPS a uma carroça puxada por um cavalo que se move a dois quilômetros por hora, você deve estar se perguntando se isso é mesmo necessário. Mas a dissonância desaparece conforme você começa a explorar o controle e a precisão encontrada em programas como o PDFCube e o Impressive (conhecido anteriormente como KeyJNote). Ambos são programas pequenos e eficientes que permitem adicionar transições e outros efeitos especiais a apresentações em PDF, embora as opções de cada um variem bastante.

Antes de usar o PDFCube ou o Impressive, você precisa ter instalado o suporte a gráficos 3D. O PDFCube funciona bem com o OpenGL, e também com as placas de vídeo listadas em sua página de compatibilidade de hardware. O Impressive, por outro lado, é bem mais errático com o OpenGL, causando lentidão em algumas transições, especialmente quando há menos de dois gigas de RAM disponíveis. Mesmo assim, é possível escolher alguns efeitos e fazer um test-drive com o Impressive sem recorrer a drivers proprietários.

O código fonte dos dois aplicativos está disponível nos respectivos sites. Você ainda vai ter que instalar as dependências para obter suporte a PDF, como o Poppler para o PDFCube e o Xpdf Reader ou o Ghostscript para o Impressive. O Impressive também precisa de Perl e Python. Para maior conveniência, você pode preferir os pacotes do Debian para ambos os programas ou, no caso do PDFCube, os pacotes disponíveis nos repositórios do Fedora e do Ubuntu. O Impressive também está disponível para OS X e Windows.

PDFCube

O PDFCube, que acaba de chegar à versão 0.0.3, é mais uma prova de conceito do que um aplicativo pronto. Na verdade, no momento ele só tem um efeito de transição: um cubo giratório. Porém, um dia após o lançamento da última versão, o mantenedor Mirko Maischberger postou um breve anúncio na página do projeto informando que começou a trabalhar em uma “camada de abstração para efeitos 3D (como cubo, fading e cover flow) em C++ e OpenGL”.

pdfcube_sm

No momento, o PDFCube conta com o motor básico. Não há opções disponíveis, então basta digitar pdfcube nomedoarquivo.pdf para experimentar o PDFCube.

Mas antes de testar o PDFCube, leia a man page dele para aprender a navegar pelo programa. Ao contrário de aplicativos de escritório completos como o OpenOffice.org Impress ou o KPresenter, o PDFCube é completamente operado pelo teclado, e ao menos até agora, não funciona com mouse.

Felizmente, são poucos os comandos básicos. Pressionar ‘c’ ou espaço muda para a próxima página da apresentação usando um efeito. PageUp muda para a próxima página sem efeitos, e PageDown volta para a página anterior sem efeitos. As teclas ‘h’,’j’,’k’ e ‘l’ seguem para cada canto da página atual, e ‘z’ dá um zoom no centro. Essas teclas também saem do zoom, e Esc interrompe a apresentação. Essas são as teclas de controle de que você deve precisar.

Como Maischberger sugere no site do projeto, é tentador abusar do cubo giratório, e pode ser uma boa idéia limitá-lo a transições importantes. Para isso, adicione os números das páginas antes dos lugares nos quais você quer a transição. Por exemplo, digitar pdfcube filename.pdf 0 3acrescenta o cubo giratório apenas entre as páginas 1 e 2 e as páginas 4 e 5. As outras transições não usarão o efeito.

Também é bom saber que o PDFCube foi feito para páginas com orientação de paisagem. É possível exibir PDFs com orientação de retrato, mas no momento o aplicativo não oferece maneiras de rolar a página para cima ou para baixo. Tirando essa limitação, o PDFCube oferece uma simplicidade e um desempenho que não são fáceis de encontrar em seus equivalentes no desktop.

Impressive

Na versão 0.10.2, o Impressive é bem mais completo que o PDFCube. Ele não apenas exibe slides de diretórios com imagens BMP, JPEG, PNG e TIFF e documentos PDF, como também inclui um conjunto completo de controles únicos para ajuste fino da execução da apresentação.

A lista completa de opções pode ser vista com um impressive --help, ou na página de documentação do projeto. Dentre elas estão as opções para configurar automaticamente uma apresentação de slides completa rodando em loop, o tamanho da janela da apresentação e praticamente todos os aspectos da execução e da aparência da apresentação que você possa imaginar. Duas opções dignas de nota são -d, que define um tempo para toda a apresentação, com uma barra discreta na parte inferior da tela para você se orientar, e -u, que verifica os arquivos originais regularmente em busca de atualizações.

Se quiser usar transições nos slides, entre com impressive --listtrans para listar as mais de 20 transições possíveis. Todas as transições têm nomes como SlideUp (deslizar para cima) ou WipeDownRight (apagar rumo ao canto inferior direito), que são claras o suficiente para dispensarem explicações, embora o help inclua um descrição maior. Para usar uma transição, inclua seu nome com a opção -t. Porém, ao contrário do PDFCube, o Impressive só permite usar uma transição em toda a apresentação, uma limitação que vai frustrar alguns usuários, mas que também ajuda a impedir o desastre estético causado pelo uso de muitas transições.

Além disso, o Impressive inclui vários controles úteis. Pressionar Tab mostra na tela todos os slides da apresentação, e Enter ilumina o ponteiro do mouse, de modo que você possa usá-lo para orientar o publico.

impressive_sm

Outra opção é desenhar uma forma com o mouse, escurecendo e borrando o resto da tela para que o público se foque na área definida. Podem ser definidas várias áreas iluminadas, e cada uma delas pode ser fechada com um clique direito do mouse. A tela volta ao normal quando a última área iluminada é fechada.

A tela de visualização de todos os slides do Impressive lembra bastante a visão de slides de vários programas, ou o Sun Presenter Console do OpenOffice.org, mas os quadros e o ponteiro iluminados são recursos que ainda não vi em programas gráficos. Só esses recursos já bastariam para você conferir o Impressive, mas os usuários mais avançados devem apreciar a vasta gama de opções disponíveis, mesmo que não as usem com freqüência.

Conclusão

Tanto o PDFCube quando o Impressive estão em desenvolvimento, e a julgar pelo ritmo de desenvolvimento atual, devem levar alguns anos para alcançarem suas versões 1.0. Mas em suas versões atuais, o PDFCube traz um motor básico superior, enquanto o Impressive dá mais controle ao usuário. Apesar da falta de opções do PDFCube e do suporte medíocre ao OpenGL do Impressive, vale a pena ficar de olho nos dois.

Os dois programas, cada um à sua maneira, demonstram que ao contrário do que muitos usuários de desktops parecem imaginar, os aplicativos de linha de comando não são as sobras de civilizações antigas. Leva tempo para inserir todas as opções nesses aplicativos de linha de comando, mas se você estiver disposto a se familiarizar com eles, vai achar mais fácil lidar com seus controles do que usar janelas de edição confusas em aplicativos para desktop como o OpenOffice.org Impress. Longe de estarem ultrapassados, aplicativos como o PDFCube e o Impressive são demonstrações práticas de que os aplicativos de linha de comando podem ser modernos e inovadores ao mesmo tempo.

Créditos a Bruce Byfieldlwn.net
Tradução por Roberto Bechtlufft <roberto at bechtranslations.com>

Sobre o Autor

Redes Sociais:

Deixe seu comentário