Fique tranquilo, seu SSD não irá perder dados caso fique alguns dias desconectado

Fique tranquilo, seu SSD não irá perder dados caso fique alguns dias desconectado

A internet possuí um poder de viralizar conteúdo de uma forma tão grande que nem os meios de comunicação convencionais conseguiriam, o compartilhamento de informações graças aos usuários que mantêm essa grande rede é enorme trazendo como um de seus benefícios, que mais e mais informação chegue a um número cada vez maior de pessoas.

Mas nem sempre tudo que se torna viral acaba sendo correto e usuários mais leigos acabam sendo pegos de surpresa e consequentemente ficam desesperados. Um desses exemplos aconteceu no início do mês quando começaram a circular pela internet boatos que se um SSD ficar alguns dias desconectado de um computador, ele simplesmente começaria a perder informações.

Confira nossas dicas para escolher um bom SSD para o seu computador

Claro que para uma noticia dessa praticamente virar a internet de ponta a cabeça, precisaria que de uma grande fonte por trás dessa informação. E realmente houve, mas a propagação da notícia aconteceu de forma errônea. Vamos partir do princípio, há cinco anos Alvin Cox que é engenheiro da Seagate fez uma apresentação demonstrando para os centros de dados e clientes corporativos o que poderia acontecer a um SSD depois do término da sua vida útil. Na ocasião Cox era presidente de um comitê da JEDEC (Solid State Technology Association), que é um órgão que define os padrões de engenharia de semicondutores da EIA, é justamente por esse motivo que nos slides divulgados aparece o logo da JEDEC.

Mas até ai tudo bem, era apenas mais uma apresentação, mas porque tomou todo esse impacto? Tudo isso começou porquê um blog de computação forense trouxe a tona recentemente que os SSDs poderiam começar a perder dados em um curto espaço de tempo a altas temperaturas, e todo esse burburinho acabou sendo associado a apresentação de Cox na JEDEC.

Desde o início de toda essa história, achamos estranho e resolvemos nem publicar sobre o fato, resolvemos esperar por uma melhor definição tanto pelo Alvin Cox que foi o condutor dessa apresentação como também por outros engenheiros de outras companhias. E felizmente essa reposta veio e de forma positiva. Você pode ficar tranquilo em relação aos dados do seu SSD, o que aconteceu na verdade foi uma má interpretação dos dados divulgados na apresentação.

Tanto Ken Smith que também é engenheiro da Seagate como Cox disseram em entrevista ao site PC World que as pessoas entenderam mal os dados daquela apresentação. Cox explica que na verdade uma “perda” de dados somente aconteceria em situações extremas que incluem o SSD estar fora do seu tempo de vida útil e em temperaturas extremas. Com a diversidade de interpretações que foram disseminadas pela internet, dava a entender que se você comprasse um SSD novo e deixasse-o por algum tempo fora do computador a perda de dado iria acontecer, e isto está simplesmente errado.

Então tudo que foi mostrado na apresentação não se destina aos produtos que estão no auge da sua vida útil, tanto para o consumidor final como o corporativo. Alguns sites tanto nacionais como internacionais disseram que se um SSD ficasse sem energia por uma semana, os dados já poderiam começar a serem perdidos, gerando muitas dúvidas para os usuários.

Há outro item essencial nessa questão de perda de dados que é os ciclos de escrita e gravação do SSD, que afeta claro diretamente em sua vida útil, e consequentemente em seu desempenho. Por isso que a apresentação de Cox era destinada a mostrar os efeitos de um SSD bastante utilizado, e como isso poderia impactar por exemplo uma grande corporação que utiliza discos de estado sólido como backup e realizam diversos ciclos de gravação no SSD. Uma situação que está muito longe de qualquer usuário final.

Podemos pegar como exemplo o SSD Corsair Neutron GTX que precisa de um total de 1.1 petabytes de gravações de dados para que comece o processo de desgaste. Resumindo: o seu computador será modificado inúmeras vezes até que o seu SSD começe a sofrer com uma possível perda de dados.

Corsair Neutron GTX

Alguns sites como o Techreport conseguiram “destruir” alguns SSDs, mas somente após realizarem um ciclo de escrita e gravação de dados gigantescos, também na casa dos petabytes, além de uma enorme carga de trabalho. Que também está bem longe do uso cotidiano de um usuário final. 
Cox ainda explicou que mesmo com um alto fluxo de ciclos realizados um SSD ainda conseguirá passar um ano sem perda de dados, e fora a temperatura que terá que ser de 87ºC o tempo todo para que você pudesse se preocupar com isso 😉

Claro que como qualquer forma de armazenamento falhas podem ocorrer, mas num cenário comum, você não deveria esquentar sua cabeça com a forma como o seu SSD está lidando com os seus dados. 

Até para o usuário corporativo isso não deve ser um grande problema porquê na maioria dos casos as corporações preferem outros métodos como backup, já que o preço dos SSD é bastante elevado. 

Fitas de backup utilizado pelo Google em seu Data Center

Entramos em contato com o pessoal da Kingston e eles nos enviaram a seguinte nota sobre o caso:

“Ao longo dos últimos dias temos visto algumas matérias enganosas sobre a capacidade de retenção de dados dos SSD quando deixados sem energia e em condições não ideais de temperatura. Os problemas apontados nas matérias, da maneira como foram expostos, estão excessivamente simplificados e condicionados a circunstâncias de situações extremas. A Kingston gostaria de reafirmar aos seus consumidores que, assim como todos os outros produtos da empresa, os SSDs são submetidos a uma série de testes rigorosos – inclusive testes de resistência e durabilidade – que colocam os componentes em condições de exigência extrema tanto no período de pré-produção quanto de fabricação e pós-produção, antes de serem distribuídos. Esses padrões e diretrizes que a Kingston e outros fabricantes de SSD seguem são estabelecidos pela JEDEC, o órgão regulador da indústria de microeletrônicos. Mesmo confiando que os dados estejam seguros, sempre incentivamos, encorajamos e lembramos os nossos clientes a seguirem boas práticas, como fazer backup de dados regularmente tanto em SSDs, como em HDDs, pendrives ou cartões SD e CF.”   

Um SSD em boas condições de uso é capaz de reter os dados em média por 52 semanas (1 ano) enquanto está desligado, com uma temperatúra ambiente de 30ºC. Como mostra a tabela acima, então fique despreocupado em relação a perda de dados do seu SSD. Esperamos ter ajudado 🙂

Sobre o Autor

Editor-chefe no Hardware.com.br, aficionado por tecnologias que realmente funcionam. Segue lá no Insta: @plazawilliam
Leia mais
Redes Sociais:

Deixe seu comentário

X