blank blank

Desktops x Notebooks

Por:

Ao contrário dos primeiros modelos portáteis, que começaram a surgir no início da década de 80, os notebooks evoluíram ao ponto de mesmo como tamanho reduzido, apresentarem uma performance e conforto ao usar próximos dos micros de mesa. Mesmo a diferença
de preço vem caindo. Esta evolução vem permitindo que muita gente passe a usar notebooks ao invés de micros de mesa.

Mas, apesar de tudo ainda existem algumas diferenças entre os componentes usados em notebooks e os usados em micros de mesa, o objetivo deste artigo é falar um pouco sobre elas.

Processador

Enquanto num micro de mesa o principal requisito para um processador fazer sucesso é um bom desempenho, num notebook a principal preocupação é o baixo consumo elétrico. Tanto a Intel quanto a AMD lançam versão mobile de seus processadores, com
modificações sobre os destinados a micros de mesa visando diminuir o consumo e a dissipação de calor. A Intel disponibiliza versões de até 800 Mhz do Pentium III, com o speedstep, que diminuir a freqüência do processador, visando diminuir o consumo,
estando disponíveis também os mobile Celeron de até 700 MHz.

A AMD por sua vez disponibiliza versões do K6-2, K6-3 e K6-2+. Eles vem trabalhando numa versão do Athlon, mas ela deve chegar no mercado apenas lá pela metade do ano. A demora é justificável, pois o Athlon consome muito mais eletricidade do que um
Pentium III, o que dificulta o desenvolvimento de uma versão com um consumo aceitável para um notebook. Recentemente foi lançado o Mobile Duron, inicialmente em versões de 600 e 700 MHz.

Outra concorrente é a Transmeta com o Crusoé, que já é usado em alguns modelos de notebooks. O Crusoé é atualmente o chip que consome menos eletricidade, mas em compensação apresenta um desempenho bem inferior ao de um Pentium III do mesmo clock.

HD

Os HDs para notebooks são miniaturizados, os discos medem apenas duas polegadas, contra 3,5 polegadas dos HDs para desktops. Além do tamanho reduzido, eles apresentam uma velocidade de rotação mais baixa, apenas 4.200 RPM, contra 5.400 ou 7.200 RPM dos
HDs para desktops, o que resulta em um desempenho um pouco inferior, mas uma grande economia de eletricidade.

Apesar do preço salgado, já existem HDs para notebook de até 30 GB.

Monitor

Desde os primeiros notebooks, são usados monitores de cristal líquido, que além de mais finos e leves, consomem muito menos eletricidade. Antigamente o mais comum eram telas pequenas, de 7, 8 ou no máximo 11 polegadas, porém atualmente as mais comuns já
são as de 13,5 polegadas, com alguns modelos trazendo telas de 14 ou até mesmo 15 polegadas, lembrando que pela imagem usar 100% da tela, um monitor LCD de 15 polegadas tem uma área de visão próxima à de um monitor tradicional de 17 polegadas.

Existem tanto LCDs de matiz passiva, quantos LCDs HPA e de matiz ativa. Nos de matiz passiva além da imagem demorar para ser atualizada, o que resulta em imagens sombra, podemos observar a imagem apenas estando de frente para a tela. De outros ângulos as
cores aparecem invertidas ou não é possível distinguir o que está na tela.

Os LCDs HPA apresentam uma velocidade de atualização maior e possuem uma área de visão maior, mas não se comparam com as telas de matiz ativa, que são de longe as melhores e mais usadas atualmente.

Em geral os notebooks trazem uma saída VGA, que permite acoplar um monitor externo, recurso muito usado por quem faz apresentações.

Placa de vídeo

As placas 3D para desktops consomem muita eletricidade para serem usadas num notebook. Uma GeForce DDR por exemplo consome quase 20 Watts, que é metade do que um notebook de configuração média consome. Até algum tempo atrás os únicos chipsets 3D para
notebooks eram versões do ATI Rage 128, um chip de desempenho bastante fraco se comparado com os GeForce. Atualmente já existe uma versão mobile do GeForce MX, o que garante um bom desempenho 3D também para notebooks.

Som

Atualmente todos os notebooks vem com som. Em todos são usados chipsets simples de 16 bits, equivalentes em recursos a uma Sound Blaster 16 ou AWE 32. Isto é suficiente para reprodução de música ou para assistir DVDs, mas pode decepcionar quem pretende
jogar ou trabalhar com edição musical. A qualidade do áudio também varia, tanto por causa dos caixinhas embutidas quanto devido à própria qualidade do chipset de som usado.

Drives

O drive de disquetes ainda é padrão, mas já é opcional em muitos modelos de notebooks. O CD-ROM, em geral de 24x já é padrão, já vindo embutido ou existindo como opcional. A grande novidade são os gravadores e drives de DVD que já estão disponíveis em
muitos modelos.

Baterias

A autonomia das baterias é um dado fundamental em qualquer notebook. Alguns modelos tem autonomia de apenas 2 horas, enquanto alguns poucos chegam a 8 horas. Em alguns modelos é possível substituir o CD-ROM ou drive de disquetes por uma bateria
extra.


Resistência e durabilidade

Como deve ser preparado para ser usado em trânsito, muitos componentes do notebook recebem proteção extra contra vibrações e choques, como os HDs. é por isso que um notebook pode ser usado em um carro por exemplo sem apresentar bad-clusters ou outros
danos no HD, enquanto um simples tapinha no gabinete do desktop enquanto o HD estiver girando pode ser suficiente para aparecerem alguns bads.

Mouse e teclado

Existem três tipos de mouse para notebooks, os touchpad, trackball e trackpoint, mas sempre existe a possibilidade de instalar um mouse externo, que invariavelmente será muito mais confortável de usar. Quanto ao teclado, existem notebooks com teclados
full size, com teclas e espaçamento idênticos às de um teclado tradicional, quanto modelos compactos, com teclado reduzido. Existe a possibilidade de instalar um teclado externo usando a saída PS/2 ou USB do notebook.

Sobre o Autor

Redes Sociais:

Deixe seu comentário