blank blank

Componentes testados: discos e memórias

Usamos três discos rígidos totalmente diferentes no nosso teste:

  • Um disco lento e de baixo consumo de energia da Western Digital, série Caviar Green (WD20EARS);

  • O novo VelociRaptor HDD (WD6000HLHX) da Western Digital, com alta velocidade, 600 GB, 10.000 RPM e buffer de 32 MB;

  • Um dos SSDs mais populares, o Intel X25-M G2 (SSDSA2MH160G2), com memória flash NAND de 34 nm.

Consulte a seção de HDs do X-bit labs para mais detalhes sobre esses produtos. Por enquanto, é bom lembrarmos do nível de velocidade deles segundo as medições sintéticas simples do CrystalDiskMark 3.0.

  • Western Digital Caviar Green (WD20EARS)

  • Western Digital VelociRaptor (WD6000HLHX)

  • Intel X25-M G2 (SSDSA2MH160G2)

Como se pode ver, o desempenho desses dispositivos varia drasticamente, apesar de todos serem dispositivos modernos. A série WD Green foi feita pensando na economia de energia, e oferece maior capacidade de armazenamento, enquanto o WD VelociRaptor traz a maior velocidade de rotação entre os discos rígidos com interface SATA. O SSD da Intel é só um SSD muito bom e veloz, baseado em memória flash NAND. Espera-se que o SSD esteja à frente de seus concorrentes em todas as aplicações, exceto na gravação sequencial de dados. No processamento de blocos de endereços aleatórios, ele é muitas vezes mais rápido do que os HDs tradicionais. Os HDs variam entre si, diferindo em parâmetros como velocidade de rotação, densidade de gravação e tamanho do disco.

Em relação à quantidade de memória, os típicos computadores desktop têm 4 GB. É preciso ter um sistema de 64 bits para lidar com tanta memória, mas isso já não é mais problema. O sistema operacional Microsoft Windows 7 é mais “confortável” com 4 GB de memória, especialmente quando acompanhado de muitos aplicativos. Aliás, é por isso que nos últimos anos nós temos equipado nossos computadores com dois módulos de 2 GB.

Enquanto isso, com as versões de 64 bits do Windows 7 se mostrando tão populares e com a disponibilidade de módulos de memória SDRAM DDR3 de alta capacidade a bons preços, muitos usuários já pensam em expandir para 8 gigabytes. O Windows 7 não é um obstáculo, já que todas as suas versões de 64 bits suportam 8 GB.

Logo, não há problemas técnicos, e você só vai precisar de um sistema operacional de 64 bits e de módulos de memória apropriados. Com mais memória, o computador vai acessar o HD com menos frequência, melhorando o desempenho como um todo. Em outras palavras, aumentar a memória pode, indiretamente, melhorar o subsistema de discos. É por isso que vamos tratar disso nesta matéria, que é basicamente centrada no armazenamento em disco.

Hoje em dia, todos os grandes fabricantes de módulos de memória para entusiastas oferecem kits de memória 2×4 GB. Desenvolver esses módulos não é muito complicado, já que os chips SDRAM DDR3 de 2 giga já estão disponíveis há tempos. Em nossos testes, vamos usar a memória DD3-1600 que nos foi fornecida pela Mushkin (código 996808).

Trata-se de um par de módulos DDR3-1600 de 4 GB, 7-9-8-24, com 1,65 V. O kit de memória tem suporte a XMP e contém dois perfis: DDR3-1600 por padrão e DDR3-1333 com agressivos 6-8-7-21.

Os módulos estão equipados com o exclusivo sistema de refrigeração Ridgeback, que consiste em placas de alumínio em contato com os chips de memória e de um pequeno dissipador de calor por cima. O conjunto tem exatamente 40 mm de altura, sendo bem maior do que os módulos de memória comuns.

Quem faz overclock costuma desconfiar de módulos de capacidade aumentada, mas as possibilidades de overclock do kit Mushkin 996808 não são diferente do que vemos em módulos de memória comuns de lado único e 2 GB. Instalar o dobro da quantidade de memória passível de overclock parece ser uma forma para lá de viável de se aprimorar um computador de alto desempenho.

Bom, vamos ter que testar isso. Vamos lá.

Sobre o Autor

Redes Sociais:

Deixe seu comentário