blank blank

Consumo e bateria

Por: Julio Cesar Bessa Monqueiro
O Turion MK-36 usado no 5050 possui um TDP de 31 watts. Se apenas o processador consome 31 watts, significa que o consumo total do notebook, incluindo a tela e outros componentes deve ser bem mais alto, certo?

Bem, isso seria verdade se o processador operasse o tempo todo na freqüência máxima, sem nenhum tipo de gerenciamento de energia. Mas, felizmente não é isso que acontece.

Um dos principais pontos fortes do Turion é o sistema de gerenciamento de energia. Como bem sabemos, os processadores mobile da AMD oferecem oferecem suporte ao PowerNow, que é a versão mobile do Cool’n’Quiet, usado nos processadores para micros desktop.

Tanto o PowerNow quanto o Cool’n’Quiet trabalham dentro do mesmo princípio, ajustando o multiplicador (e conseqüentemente a freqüência) do processador, juntamente com a tensão, conforme mais ou menos poder de processamento é exigido.

Cada “degrau” corresponde a uma redução de 1x no multiplicador o que (no caso do Turion) corresponde a uma redução de 200 MHz na freqüência do processador. A freqüência de 2.0 GHz do Turion MK-36 é reduzida sequencialmente para 1.8 GHz e 1.6 GHz, ponto no qual o processador entra no estágio mais baixo, onde passa a operar a apenas 800 MHz.

Juntamente com a freqüência, a tensão também é reduzida, já que o processador é projetado para funcionar estavelmente usando tensões mais baixas, desde que operando a freqüências também mais baixas. Quando mais processamento é exigido, a tensão volta ao valor inicial, seguida do aumento correspondente na freqüência.

O TDP de 31 watts do Turion MK-36 é um teto máximo teórico, que seria atingido apenas em aplicativos que realmente utilizassem todos os recursos do processador. Na prática, o consumo do MK-36 não ultrapassa os 29 watts (a 2.0 GHz), 24.5 watts (a 1.8 GHz), 20 watts (a 1.6 GHz) e, finalmente, 7.9 watts, quando operando na freqüência mínima (800 MHz).

Como a mesma freqüência de 800 MHz é usada como estágio final em todos os Turions, independentemente da freqüência original, todos os modelos acabam consumindo apenas 7.9 watts quando ociosos.

Uma observação é que a freqüência do processador fica em 800 MHz ou 1.6 GHz na maior parte do tempo. A freqüência sobe para 2.0 GHz apenas ao executar aplicativos pesados por um certo tempo. Como muitos programas de diagnóstico (como o “cat /pro/cpuinfo”, no Linux) mostram a freqüência dinâmica do processador, muita gente acaba achando que a freqüência do processador é de apenas 1.6 GHz, o que não é o caso nesse modelo. Note que existem versões do Acer 5050 baseadas no Turion X2, que operam a freqüências mais baixas. O Turion X2 TL-50, por exemplo, opera a apenas 1.6 GHz, embora o desempenho geral seja melhor que o do MK-36, já que ele é um processador dual-core.

O Acer 5050 utiliza uma bateria de 6 células, com tensão nominal de 11.1V e 4000 mAh de capacidade, o que corresponde a 44.4 watts, o que é, na melhor das hipóteses, medíocre para uma bateria de 6 células. As baterias utilizadas nos modelos mais caros normalmente possuem 4800 ou 5200 mAh de capacidade.

index_html_12ab8829

Vamos a alguns testes de consumo, medido no Linux usando o comando “cat /proc/acpi/battery/BAT1/state”, que mostra as informações geradas pelo Kernel, usando chamadas do ACPI. Embora não seja completamente livre de falhas, ele resulta em uma medição bastante apurada, que pode ser comprovada acompanhando o uso da bateria.

Como o chipset Mobility Radeon X1100 usado no Acer 5050 não oferece suporte ao AVIVO (recurso que permite que o chipset de vídeo decodifique vídeos nos formatos H.264, VC-1, WMV9 e MPEG-2 via hardware), um bom teste é abrir um vídeo no formato H.264, com 720 linhas de resolução, que, por ser processado via software, faz com que o processador passe a operar na freqüência máxima. Mantendo o brilho da tela no máximo e a placa wireless ativada, o comando mostra o seguinte:

index_html_5207f4e1

O “present rate” mostra justamente o consumo atual, informado nesse caso em mili-amperes (e não em mili-watts), tornando o cálculo um pouco mais complicado, já que você precisa multiplicar pela tensão da bateria, no caso 11.1V.

No caso, os 3136 mA mostrados pelo comando, correspondem a 34.809 watts. Como a bateria possui uma carga total de 44.4 watts, isso resultaria em uma autonomia de pouco mais de 1 hora e 15 minutos.

Assistindo a um DVD, o consumo cai para apenas 2320 mA (25.752 watts). Isso acontece por que o chipset X1100 oferece aceleração via hardware para DVDs, o que permite que o processador fique em estado de baixo consumo, operando a apenas 800 MHz. É por isso que, mesmo com o consumo adicional gerado pelo drive de DVD, o consumo é bem inferior ao registrado ao assistir o vídeo H.264. Assistindo o DVD, a autonomia seria de quase 1 hora e 45 minutos.

index_html_24c3b645

Continuando, experimentei fazer as duas coisas ao mesmo tempo, somando o consumo do processador decodificando o vídeo X.264 e o consumo do drive de DVD, o que fez o consumo subir para 3959 mA, com picos de até 4100 mA, que foi o máximo que consegui medir nesse modelo. Nesse perfil de consumo a bateria duraria pouco mais de uma hora, mas, naturalmente, não seria um perfil normal de uso.

index_html_m1d1bb6d4

Mantendo o brilho da tela no máximo, mas deixando o processador ocioso, o consumo cai para 1881 mA (20.879 watts), o que já resulta em uma autonomia de mais de duas horas.

index_html_m40be94e7

Reduzindo o brilho da tela, é possível manter o consumo abaixo dos 1500 mA (16.650 watts), mesmo com a placa wireless ativada. Esse seria um perfil de uso leve, como quando utilizasse o note apenas para navegar e rodar aplicativos leves:

index_html_5ecec8f5

Mantendo este perfil de uso, consegui fazer a bateria durar 2 horas e 39 minutos enquanto escrevia um trecho desse texto, o que fica dentro da promessa de 2 horas e 30 minutos da Acer.

Aqui temos uma foto da bateria e da fonte, apenas para efeito de comparação. A fonte é bastante compacta e leve, mas em compensação fica relativamente quente enquanto o notebook está carregando a bateria (situação em que o consumo é maior). Ela (fonte) é bivolt, trabalha com 19V de saída, com capacidade de 3.42A.

index_html_m60680fc5

Sobre o Autor

Redes Sociais:

Deixe seu comentário